O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

722 DIARIO DA CAMARA DOS SENHORES DEPUTADOS

argumentos que fundamentam este pedido, sendo certo que, dadas as condições da area e topographia do concelho, para pouco podiam valer aquelles fundos quando applicados para o seu destino legal, sendo bom melhor aproveitados para o fim que a camara indica.
Por tudo isto tenho a honra de submetter á vossa approvação o seguinte projecto de lei:
Artigo 1.º E auctorisada a camara municipal do concelho do Montalegre a levantar do cofre de viação municipal até a quantia do 8:555$480 réis, para a construcção de edificio para as repartições publicas e tribunaes judiciaes.
Art. 2.º Fica revoada a legislação contraria.
Sala das sessões da camara dos deputados, 11 de março do 1885. = O deputado por Monte Alegre, Henrique de Barros Gomes.
Admitido e enviado ás commissões de administração e obras publicas.

2.º Senhores. - A camara municipal de Villa Real da Santo Antonio pretende que o poder legislativo lhe conceda desviar do fundo da viação municipal a quantia de réis 2:000$000, para serem applicados á construcção e apropriação conveniente de dois cemiterios, um da villa, outro da freguezia de Cacella.
Quando se considera que ainda hoje um grande numero do povoações do paiz não possue cemiterios como a lei e a hygiene determinam; quando se considerar que convem, por todas as formas, facilitar a construcção do cemiterios em condições proprias o dignas, que imporem no espirito pouco esclarecido do geral do povo, a fim de banir as apprehensões que contra elles existem, e acabar de vez com o uso inconvenientissimo da enterramentos nas igrejas ou em terrenos annexos ou pouco decorosamente dispostos; e tendo em vista que o estado da viação municipal no concelho de Villa Real do Santo Antonio tem um desenvolvimento tal que, sem prejuizo maior, ou retardamento d'esses melhoramentos, se podo desviar aquella quantia, para um fim tão util, legitimo, legal e hygienico; e tendo o parlamento concedido distrates d'esta ordem, não só para identico fim, mas para melhoramentos porventura de menos importancia e necessidade, que o que se pretendo realisar; tenho a, honra do propor o seguinte projecto do lei:
Artigo l.º É auctorisada a camara de Villa Real de Santo Antonio a distrahir do fundo do viação municipal a quantia de 2:000$000 réis para dois cemiterios, um da villa e outro da freguezia de Cacella.
Art. 2.º Fica revogada a legislação em contrario.
Sala das sessões da camara dos senhores deputados, em 11 de março de 1880. =J. .B. Ferreira de Almeida.
Admittido e enviado ás commissões de administração e obras publicas.

Proposta

Requeiro, que pela mesa, se dêem as providencias precisas para a reimpressão do relatorio de direito da comarca de loanda sobre a sua commissão de Zaire para ser distribuido como documento illustrativo sobre a organisação dos direitos do Congo, quando esse projecto tenha de ser apreciado pela camara.
Requeiro que solicite do governo a publicação, pela fórma que julgar mais conveniente do relatorio da commissão do padre Barroso, chefe da missão de S. salvador do Congo, d'este ponto ao Bembe.= J. B. Ferreira de Almeida.

O sr. Presidente:- Esta proposta, que acabo de ter segunda leitura foi apresentada na ultima sessão, sob fórma de requerimento, pelo sr. Ferreira de Almeida.
A camara tem de se pronunciar a respeito d'ella.
Está em discussão.
O sr. Santos Viegas:- Na sessão passada tinha pedido a palavra, para precisamente me occupar da parte do assumpto a que se refere essa proposta, ácerca da qual v. exa. abriu o debate.
Infelizmente não estava na sala por motivo estranho á minha vontade, na occasião em que v. exa. me concedeu a palavra. Quando mais tardo voltei, vi que a hora estava adiantada, e que v. exa. desejava entrar na ordem do dia.
O que então desejava dizer, digo-o agora. Associo-mo completamente ao pedido feito pelo sr. Ferreira de Almeida, por occasião da ultima sessão a que nós assistimos. Talvez a camara se admiro de que se peça n'esta casa que se publique um relatorio feito por um padre.
Fallar do padres n'esta casa, elogiar os seus serviços, exaltar as suas qualidades o conhecimentos scientificos, é uma tarefa, ingrata. Hoje geralmente não se morre de amores pelos padres, e aproveita-se o mais insignificante ensejo, e até o mais inopportuno e inconveniente, para se ferir a sua reputação e a sua respeitabilidade.
Quantas vezes, infelizmente, não terá v. exa. ouvido n'essa cadeira, não n'esta sessão, palavras do desfavor, mesmo de ingratidão, para com os serviços prestados pela classe sacerdotal a que me lembro de pertencer? O que esta classe faz de bom, de proveitoso, do justo, é sempre envenenado, deturpado por aquelles, que em sua má lingua o mau criterio julgam dos outros o que deviam julgar de si.
Eu, sr. presidente, lamento o facto, e lamento-o como symptoma do que se possa pensar e dizer nas assembléas officiaes em que se trate d'assumpto que mais ou menos se ligue com pessoas ou cousas ecclesiasticas e religiosas. Nós, sr. presidente, já somos pequenos, não o somos o que fomos, o esta nossa pequenez póde tornar-nos ainda mais fracos, se porventura, se quizerem estabelecer rivalidades e antagonismos entre as diferentes classes sociaca. (Apoiados)
Todas as classes são uteis, (apoiados) todas têem o seu logar, todas são prestadias, e quando qualquer d'ellas cumpre os seus deveres, como sabe e póde, quando dentro dos limites da sua esphera de acção, dentro da arca que lhe marcaram, sabe satisfazer os seus encargos, e attender ás suas obrigações em beneficio de paiz a quem serve esta classe deve bem merecer da patria e receber as bençãos o respeitos publicos, e é precisamente por esta circunstancia, que eu da melhor vontade me apoio ao pedido feito pelo illustre deputado e meu amigo o sr. Ferreira de Almeida, votando a proposta que pede a publicação do relatorio do reverendo padre Barroso, que é o chefe ou superior das missões catholicas no Congo.
Creio que até agora alguma rasão podia haver que levasse a camara a não consentir n'esta publicação.
Hoje que a notavel conferencia, de Berlim declarou que era nosso o territorio onde se exerce esta missão, eu desejo que o relatorio do padre Barroco seja conhecido, porque n'elle se revelam conhecimentos philosophicos e mathematicos, o falla-se do elemento religioso, do catholicismo, como indispensavel á civilisação o engrandecimento dos povos. Os missionarios, sr. presidente, prestam relevantes serviços. Os missionarios, como disse, prestam valiosos serviços nas explorações geographicas o scientificas no interior da Africa; são por assim dizer missionarios da religião, e missionarios da sciencia.
Os missionarios são considerados, o respeitados, não por não desgraçamente, mas são respeitados por todos os exploradores estrangeiros, que sabendo avaliar os seus serviços, e dar apreço o valor a tantos sacrificios e males, a que se sujeitam; entendem correr-lhes o dever de fazer justiça, a quem, como os missionarios portuguezes, d'ella é digno. Mas ainda ha mais, e exemplifiquemos. Um dos mais distinctos exploradores da Africa, o sr. Cameron, tece aos missionarios portuguezes grandes elogios, faz-lhes justiça e dispensa-lhes honras que até aqui lhes têem sido regateadas, (Apoiados.) e não hesita em affirmar que as noticias por elles dadas sobre o interior da Africa se approximam muito da verdade, o que de grande exactidão devem considerar-se as cartas geographicas formuladas conforme taes