O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

698

DIARIO DA CAMARA DOS SENHORES DEPUTADOS

cimento do […]; não está ainda na percentagem de 6 1/2 por cento de todo o oiro extraindo, percentagem que aliás poderá produzir uma quantia verdadeiramente importante; está no modo por que lia de concorrer para desenvolver a riqueza, n'uma das mais importantes privincias das nossas possessões.

Sr presidente, com os systemas seguidos até hoje nunca poderemos elevar as nossas possessões ultramarinas ao estado a que pela sua importancia e naturaes recursos muito convem que cheguem. Se queremos, pois, conservar essas possessões, como é nosso dever impreterivel, e como não sei que alguem possa pôr em duvida (Apoiados.); se desejámos povoar e civilisar, condições indispensaveis para as manter; (Apoiados.) se acreditámos que este paiz possa ainda ser, n'uma epocha mais Ou menos proxima, a metropole de um poderoso o opulento imperio ultramarino, é necessario não desprezar meio algum que nos guie a este fim. É necessario crear as forças de mar indispensaveis para que a nossa bandeira fluctue respeitada nas longiquas regiões (Apoiados.); é necessario encaminhar para as terras africanas as torrentes dos nossos compatriotas que vão á America procurar fortuna; é necessario promover a formação de grandes companhias para que a sciencia e a trabalho arranquem a esses terrenos quasi virgens as riquezas que possuem. (Apoiados.)

Não são de hoje estas minhas opiniões; não foram formadas ad hoc; já em tempo aqui as expuz, por occasião de se apresentar n'esta casa uni ministerio presidido pelo illustre marquez de Sá, o a que tambem pertenciam os srs. bispo de Vizeu e Latino Coelho.

Concordo em que o systema empregado pelo actual ministro da marinha não seja optimo, o declaro até que tenho poucas sympathias pelo monopolio. (Apoiados.) Mas é certo que é melhor do que a absoluta ausencia de providencias.

Tambem concordo em que muitos outros alvitres poderão ser aproveitados com vantagem, mas não nos falla na Africa. campo em que possam realisar-se as experiencias.

O que é preciso é fazer alguma cousa para que. as nossas possessões ultramarinas; principalmente na Africa, não se conservem no estado de decadencia o abatimento em que actualmente jazem (Apoiados.)

Mas se o decreto está, como firmemente me persuado, conforme com as leis e com ás conveniencias publicas, por que é que foi mal acolhido na opinião publica?

Consinta me a camara quo eu pretenda explicar o facto, contando-lhe em breves palavras unia, historia, que por dizer respeito a cousas do ultramar não virá completamente fóra, de proposito. Cumpre me, porém, positivamente affirmar que em qualquer analogia que possa haver entre o caso que vou narrar e, o assumpto que se discute, não ha nem cabe referencia alguma aos cavalheiros que n'esta e na outra casa do, parlamento discutiram o assumpto.

Quando Affonso de Albuquerque conquistou pela segunda vez Goa, mandou collocar na torro mais importante da fortaleza Manuel uma lapide em que estavam inscriptos os nomes dos principaes capitães e fidalgos que o tinham ajudado na empreza; pois foram taes os clamores, não só dos que não se 'achavam mencionados, mas ainda dos que o estavam, mas não em primeiro logar, que o heroe da India mandou voltar a pedra e inscrever na outra face as seguintes palavras da Biblia:

Lapidem quem reprohnverunt cedificantes, factus est in cuput anguli.

E ficaram assim todos contentes, diz o immortal auctor das décadas da Azia, porque ao portuguez mais lhe doe o louvor do vizinho do que o esquecimento do seu.

Vou terminar. Não sei se disse quanto bastava; em todo o caso disse quanto sinto. Agradeço á camara a attenção e benevolencia, com que se dignou ouvir-me.

Vozes: — Muito bem.

(O orador foi comprimentado por muitos srs. deputados.)

O sr. Saraiva de Carvalho: —... (O sr. Deputado não restituiu o seu discurso a tempo de ser publicado neste logar.)

O sr. Osorio de Vasconcellos: —... O sr. deputado não restituiu o seu discurso a tempo de ser publicado neste logar.)

Leu-se na. mesa a seguinte

Proposta

A camara espera que o governo nomeie com a brevidade possivel uma commissão mixta, composta de elementos dos dois corpos colegislativos o de elementos extra-parlamentares, á qual será commettido o exame e o estudo dos principios sobre que deve fundar-se a nossa politica ultramarina, não só em referencia ao progressivo desenvolvimento das colonias, senão tambem ás relações internacionaes com os paizes que possuam dominios vizinhos, confins com os nossos. — A. Osorio de Vasconcellos.

Admiti ida á discussão.

O sr. Laranjo:... (O sr. deputado não restituiu o seu discurso a tempo de ser publicado n'este logar.)

O sr. Presidente: — A ordem do dia para, ámanhã é trabalhos em commissões, e para sexta feita a continuação da que estava dada piara hoje.

Está levantada a sessão.

Eram cinco horas e meia da tarde.