O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

906 DIARIO DA CAMARA DOS SENHORES DEPUTADOS

tos de réis, que admira que a nossa não possa de prompto realisar todas as suas aspirações?
Não sabemos todos que para alcançarmos a modesta quantia de 270:000$000 réis tivemos de lançar mão de um expediente financeiro, que, não sendo muito defensavel sob o ponto de vista militar, era o unico que permittia se podesse dar um passo no caminho da nossa reorganisação?
Mas o sr. Fontes tem o condão de ser sempre accusado por tudo que faz, porque o fez, e do que não faz, porque o devia ter feito; e ainda d'esta vez não deixou de se confirmar o proloquio popular, sendo o proprio sr. Bastos, que não é faccioso, que o agaride por a reforma do exercito não ter saído tão perfeita e acabada, como Palias saíu do cerebro de Jupiter.
Apesar da boa vontade do meu illustre collega, e das suas louvaveis declarações de que o seu discurso seria o mesmo se um ministro da sua parcialidade gerisse actualmente a pasta da guerra, comtudo na pratica s. exa. afastou-se mais das suas declarações, do que conviria para um tão distincto membro do exercito.
Tratando se de um assumpto de alta importancia para o exercito, tal como o da sua organisação, não deveria n'isto haver politica. (Apoiados.)
Ainda n'esta parte s. exa. seguiu um pouco os seus correligionarios, que atacaram a reforma do exercito, não porque ella seja tão feia como a pintam, mas principalmente por ter sido feita pelo sr. Fontes. (Apoiados.)
Não se tem discutido convenientemente os defeitos que ella apresenta, mas tem-se pretendido mostrar ao paiz que uma organisação decretada pelo sr. Fontes é por força má apesar de n'ella terem collaborado algumas das nossas primeiras capacidades militares. (Apoiados.)
Ha pelo menos dez annos que em todas as sessões legislativas se levantavam fortes clamores contra os ministros da guerra, porque não reformavam o exercito; diziam, e bem, que não era possivel vivermos com a organisação de 1864, quando quasi todos os paizes da Europa tinham tido, depois d'esta data, duas, tres e mais organisações.
E que respondiam os srs. ministros da guerra? Que estavam de accordo, mas que não tinham dinheiro. (Apoiados.)
O que haviam, pois, de fazer as opposições? Remetterem-se ao silencio, depois de tão importante argumento.
E faz-me isto lembrar aquelle general que, tendo depois de longo assedio entregue a praça do seu commando, respondeu no conselho de guerra a que foi por esse facto submettido, que só rendera por trinta rasões: «a primeira, por não ter nem polvora nem ballas:» ao que o conselho acudiu dizendo: «basta general, póde guardar as vinte e nove restantes.» (Riso. - Apoiados.)
Mas o sr. Fontes sem onerar n'um real o thesouro apresenta uma reforma de tal ordem, que nem mesmo o sr. Bastos póde contestar, que melhorou de uma maneira notavel o exercito, lhe deu quadros muito mais amplos e completos, que organisou as reservas, e augmentou em quatro annos o tempo de serviço, que ficou inferior, ainda assim, ao que está estabelecido em França, Allemanha, Italia, Suissa etc., mas igual ao da Hespanha, Austria, Inglaterra etc., alem de mil outras vantagens bem conhecidas pelos especialistas na materia.
E póde alguem de boa fé, e despido de facciosismo politico, vir aqui dizer que a reforma nada valo, e que ella não constituiu um altíssimo serviço feito ao paiz? (Apoiados.)
Disse s. exa. que a segunda reserva não tinha instrucção absolutamente nenhuma! Concordo que uma parte d'ella a não tem; mas não sabe s. exa. que outras nações, mais bem organisadas, militarmente fallando, têem em geral as ultimas reservas nas mesmas condições da nossa?!
A França, que póde mobilisar 3.753:000 homens, conta n'este numero 1.330:000 homens sem instrucção alguma absolutamente.
A Allemanha, que póde mobilisar 5.674:000 homens, d'esses apenas 2.655:000 homens têem, ou se presume que devem ter, alguma instrucção militar.
Ora que admiração é, que hoje no momento em que se decreta a reforma não se possa conseguir logo tudo o que lá fóra ha de melhor e mais perfeito, isto quando o proprio sr. ministro diz, que o acanhado dos meios não lhe permittiu dar o desenvolvimento, que desejava, á organisação do exercito?
Permitta-me s. exa. que lhe diga que não tem rasão alguma para accusar por esse motivo o governo. (Muitos apoiados.)
Vozes: - Deu a hora.
O Orador: - Dizem que deu a hora, e n'esse caso peço a v. exa. que me reserve a palavra para a sessão seguinte.
O sr. Presidente: - A ordem do dia para quinta feira é trabalhos em commissões, e para sexta feira a continuação da que vinha para hoje.
Está levantada a sessão.
Eram seis horas da tarde.

Redactor = Rodrigues Cordeiro.