O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

APPENDICE A SESSÃO DE 11 DE ABRIL DE 1888 1050-A

O sr. Teixeira de Vasconcellos: - Sr. presidente, mando para a mesa uma representação da camara municipal de Amarante dirigida a esta caba do parlamento, pedindo-lhe que não sanccione por fórma alguma a exclusão da linha ferroa do valle do Tamega do projecto que o sr. ministro das obras publicas tenciona apresentar a esta casa do parlamento.

Esta representação deriva naturalmente de uma noticia publicada nos jornaes da capital e transcripta nos jornaes do Porto, e na qual se diz que o illustre ministro das obras publicas tenciona excluir a linha ferrea do valle do Tamega da proposta que s. exa. muito brevemente tem de apresentar á camara.

Esta noticia sobresaltou naturalmente as povoações interessadas na construcção d'essa linha ferrea. Eu como seu natural representante hei de fazer valer o seu direito, combatendo com ardor e energia para que tal facto se não venha a realisar.

Eu não quero discutir e apreciar a opportunidade d'esse projecto, espero fazel-o quando for discutido n'esta casa; por isso não insistirei n'este ponto. Mas é me licito declarar que, como representante d'aquelle circulo, e como representante da nação hei de protestar energicamente contra tal intenção, se porventura cila existe na mente do sr. ministro das obras publicos.

Sr. presidente, fui talvez dos primeiros a ler essa noticia, e, a dizer a verdade, não lhe prestei grande fé, e não lhe devia prestar sem que os factos a confirmassem, e porque, não posso duvidar das intenções do illustre ministro com relação a um projecto tão importante como este e de cuja utilidade e incontestaveis vantagens s. exa. está perfeitamente convicto.

Ora seria extraordinario que o sr. ministro que mandou estudar esta linha com a maior brevidade, recommendando igualmente que os estudos fossem feitos para via larga, naturalmente porque s. exa. estava persuadido que era uma linha destinada a ter um grande movimento; era realmente inacreditavel que s. exa., depois de ter manifestado esta opinião, o depois de ter asseverado no seio do parlamento que o projecte ou havia do ser discutido e votado com todas as linhas que tinha mandado estudar, ou não seria discutido nem votado. Era extraordinario e inacreditavel, repito, que s. exa. á ultima hora suprimisse do seu projecto a linha do valle do Tamega, que a todos os respeitos só recommenda, como sendo a que melhor devia ser; vir, não só aos interesses de uma região importantissima, mas que ao mesmo tempo devia concorrer efficazmente para alliviar o thesouro dos encargos contrahidos com a construcção da linha do Douro.

Não sei se este projecto foi discutido em conselho de ministros, mas era todo o caso é me licito suppor que o sr. ministro da fazenda alguma cousa deverá saber com relação ás idéas que deminam o governo sobre esto projecto.

Claro é que s. exa. é do todos os ministros aquelle que mais póde influir, não só na discussão como na votação e approvação d'este projecto.

Claro é s. exa. É de todos os ministros aquelle que póde influir, não só na discussão como na votação e approvação d'este projecto, porque é s. exa. que tem de prestar os elementos financeiros para occorrer ás despezas exigidas pela construcção das linhas n'elle comprehendidas; e, sendo assim é natural que s. exa. Esteja habilitado a dizer-me se o governo está resolvido a proceder á immediata, construcção de todas as linhas que foram mandadas estudar e que fazem parte do projecto enviado ao ministerio das obras publicas pela repartição de engenheria do Porto, tranquillisando com a sua resposta as localidades interessadas na construcção da linha do Tamega; é necessario que s. exa. me diga se existe ou não a idéa do excluir do projecto, que consta será brevemente apresentado na camara pelo sr. ministro das obras publicas, esta linha tão importante a todos os respeitos.

Espero que s. exa. terá a bondade de me dar uma resposta sobre este assumpto, e se dignará responder ,a esta pergunta, que é feita com igual espontaneidade e egual interesse por todos os povos das localidades e regiões que têem os seus interesses agricolas e economicos altamente dependentes da construcção d'esta linha.

Eu comecei por dizer que não acreditava, n'uma idéa tão injusta, porque não me é licito suspeitar nem do caracter nem das boas Intenções dos homens que estão assentados n'aquellas cadeiras, e seria duvidar do seu caracter e das suas boas intenções suppor que era separada do projecto a linha mais importante de todas as que n'elle estão comprehendidas. E esta opinião não é só minha, e perfilhada por todos os engenheiros, e por todos aquelles que conhecem as condições economicas das localidades a que este caminho de ferro tem de servir e sobretudo por os que têem na maior consideração acrescentar e enriquecer o movimento commercial da linha do Douro, que tão cara ficou ao paiz e que merece bem a urgencia da construcção de todas as linhas subsidiarias que tiverem por fim principal, o enriquecer o seu trafego e alliviar o thesouro o mais rapidamente possivel dos enormissimos encargos que contrahiu com a construcção d'aquella linha.

Não querendo insistir n'este ponto e não querendo tomar tempo á camara sobre este assumpto, mesmo porque eu espero que o sr. ministro da fazenda ha de dar-me a resposta satisfactoria, que me contente e que tranquillise os espiritos n'este momento altamente sobresaltados com esta noticia, cuja origem não conheço e cujo valor não posso apreciar, eu termino as minhas considerações, esperando por essa resposta, e reservando-me o direito de trabalhar sem descanso para que os interesses do paiz sejam respeitados. (Apoiados.)

Peço a v. exa. tenha a bondade de consultar a camara sobro se permitte que a representação seja publicada no Diario do governo.

62