O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

1615

Em virtude de resolução da camara dos senhores deputados se publica o seguinte

(Continuado do n.° antecedente)

Documento n.° 11

Dizem Joaquim Pinto Moreira, official da administração do concelho de Santa Martha e João Paulino Matheus, ambos da freguezia de S. Miguel, do dito concelho, que, constando lhes que varios individuos asseveram que o primeiro dos supplicantes fôra commissionado pelo administrador do mesmo concelho para, pela occasião das eleições camararias, a que no dito concelho se procedeu no mez de novembro ultimo, se esconder na igreja d'aquella freguezia, munido das competentes listas para de noite viciar as urnas, e por se lembrarem que similhante facto, ainda que não verdadeiro, vae na syndicancia a que se está procedendo ser levado ao conhecimento de v. ex.ª, o que por boas rasões suppõe, sendo como é certo que tal é o empenho que n'isso ha, que para o primeiro supplicante se offerecer a vir perante v. ex.ª depor em sentido affirmativo, lhe foram já offerecidas vinte libras e um logar no contrato do tabaco, pretendem, aproveitando a occasião da syndicancia que se acha aberta, que v. ex.ª os admitia a juramento, pois que ambos e em mui breve espaço querem informar a v. ex.ª de quanto é falsa aquella asserção, com que calumniando-o, tentam diffamar o dito administrador, e por isso

Pede a v. ex.ª, ill.mo e ex.mo sr. commissario regio, se digne ouvi-los de juramento ou por simples informação, mandando que o presente requerimento seja junto ao processo de syndicancia para os convenientes fins. — E. R. M.ce

Santa Martha, 12 de março de 1864. = Joaquim Pinto Moreira = João Paulino Matheus.

Conheço a assignatura de João Paulino Matheus supra.

Villa Real, 15 de março de 1864. = Padre Hermenegildo Pereira da Silva.

Conheço a assignatura supra de Joaquim Pinto Moreira..

Villa Real, 15 de março de 1864. = Antonio Joaquim Pinto Moreira.

Reconheço a letra e as duas assignaturas dos conhecentes infra, padre Hermenegildo Pereira da Silva e Antonio Joaquim Pinto Moreira, de que dou fé. Villa Real, 15 de março de 1864. Em testemunho de verdade. = O tabellião, Domingos José de Carvalho Araujo.

Compareçam no dia 15 do corrente pelas dez horas da manhã na sala da syndicancia. Villa Real, 12 de março de 1864. = O commissario regio, Almeida.

Documento n.º 12

Certidão. — Roque Fernandes de Matos, carcereiro das cadeias de Villa Real, por Sua Magestade Fidelissima, etc.

Certifico e faço certo em como vendo o livro dos assentos da entrada dos presos n'estas cadeias, n'elle a fl. 271 v. se acha o assento do teor seguinte:

Domingos de Carvalho, casado com Joaquina de Barros, de Gouvães do Douro, trabalhador, filho de Manuel Cabeças Anta, já fallecido, e de Maria Governo, de trinta e cinco annos de idade, de sessenta e uma pollegadas de altura, rosto comprido, olhos azues, cabellos e barba castanhos escuros, nariz e bôca regulares, côr trigueira, vestido de calças e colete de cotim, e jaqueta de saragoça, tudo usado, de sapatos e chapéu de roda larga; é accusado do crime de morte, e declarou que nunca estivera preso.

E para constar fiz exarar este termo que assigno.

Villa Real, 26 de junho de 1863. = O carcereiro, Roque Fernandes de Matos.

Nada mais se contém no referido termo fielmente copiado do proprio livro a que me reporto.

Outro sim certifico e faço certo, em como o mesmo preso desde que deu entrada n'estas cadeias nunca d'ellas saía até hoje.

O referido é verdade, e para constar aonde convier fiz passar a presente que assigno.

Villa Real, 19 de março de 1864. = O carcereiro, Roque Fernandes de Matos.

O delegado do procurador regio n'este juizo de Villa Real, para satisfazer ao que lhe é exigido pelo ex.mo sr. commissario regio em syndicancia no districto de Villa Real, pretende que o carcereiro Roque Fernandes de Matos lhe certifique se o preso Domingos de Carvalho, da freguezia de Gouvães, do julgado de Sabrosa, se achava preso na cadeia d'esta villa no dia 22 de novembro ultimo.

Pede a v. s.ª, sr. juiz de direito, se sirva deferir na fórma requerida. — E. R. M.ce

Villa Real, 19 de março de 1864. = O delegado, Valentim de Faria Mascarenhas Lima.

Deferido. — Villa Real, 19 de março de 1862. = Pimentel.

Documento n.° 13

Governo civil de Villa Real — 1.ª Repartição — N.° 1 — Ill.mo e ex.mo sr. — Tenho a honra de enviar a v. ex.ª a in-