O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

( 154 )

bre a filosofia diis corças* preferindo .a*5 decisõas da Aulboridade qyç os.-qhspensauí de lê r' ò, ji 10 p rabo in« e0.rn.mudq- d_cdrev-a explicar* ràe, porque oã.p..SP .perderíít-^i&a biella occaeiâoi:de cal u m/)i a r, a,s RiiftbV.á i n t/ep_.çpf«r, ,fa?efld&-nje .pasaaE pó/ inimigo d^sa.grado difeito d« TpT.jsjrneilQ-de;1 ci. > jSr.-Ptesideí)JLei, que e; Q jliieiló/-'deupropribfibide , o direitc* cjè propriedade Jom^doujaíBUR-afôstraceãô^ na, genprajjd,ad,eí4)o, duxntq de;»saf.e;abusár;de' uma cousa, dês di*p, e tern por assi-ní Hiz^r uifjaáííhiz ,anti social, e tanto isto e- assrm,~Sr..Presidente-,'que áquelles Srs, qne %e rira,m da minha proposição1-4 respondo corri a X,egisl«çâo de todos 06'Baizes:/. :qu© e estíi Legislação senão, uma setief às rafiiTiaçôeç con«i tinuadas sobra o us|o.desta propriedctde ?-Ora,tee estfl principio só põr3si';é l5o poderoso que;, não poda soíTrer o. rnefu^ ftl&que , porque -razão estos. Lê 19,5.$ levantam d« Ujdsos «& lados pana o restringir^ Sn.-l^jcesid^nle,-esU onniha opinião tfôíi -por siiborofcngí de. gíafidg e&beçEte^je-para 'jq»ie, não .se-, ri «^•apontarei BenUian, Baccaria^ e -Fifongieri esperp agar,.). íiã0..,«$8-facabina rodf^ ,4Q',9uer elidisse ,, não' s

Poder-se-hu estranhar no-.ca^o presetUç deste direito^ ,De certo qyetn^a^ f)2erã

Agora, Sr. Presidente, digo ett quepoto cão que nós vamos tornar violarmos m.eiiifestafrijepte.as princípios cons.lit«Uvos .da.ordeqj.íSVcial:; poi's vanoo» fa?er que posem sobre parte do Paiz encargog de que; aliviauios outrn. parte, o resultado disto, é fa^ef com; qup'uma porção de Portuguezes'sfja \jrna ;po$çâo-de. iíjotas, nu ujeií^ desta mantida Spa.|ta,.», Sj"< P.res^deote, q-ue hão de ficar GS Po^os . Concelhos deba^9 d« toda o grayame, dps forces mesmo tempo que;as oi|iras.piovfíaç^es. la(S, e e\onerad,as, de; todos os seus. encargos..-JN. fqi. a niea.ma Cominissâo que declarou :riece&aaria,(j> extinção dos foraes como mcompativeis.coiq^as.con-dicçòes do nosso estado presente? Ah! Sr. Pr^side,n-te, se passasse urn escândalo desta najuresa no século em quq estamos dcviamo-rios envergonhar de ter entrado 'nesta Camará. JEra melhor qu^ estéf povos q-ae devem s

tativa áe beaúltiàniç tialuieãa n;ão hativesíem sidoil-hidídns com ^raiçoejrãtg 4arowe>«as:j-siro^ elles/terão de abandonar SPUS domicílios, não oomvpsde

do;i CéMitf.iôea tioaia-d« 3Si

^s," daq(jejtes;rj}esn?os;* que-enviaram, para -suslenfear^e dçffsíid-er E para qu8-"ta,manhja eniq^uitíade., ••$>&!&'• sal,i$tVze-r uma aa>hiçàó rirrraiarota, u?na iniqu:a xia; paf lê daquellas^quôdévio ser. rosno seu .próprio, i ateresse a./egblar similhantefa;-vor,. Lbngjff de. mirníSr* Presidenta, a idép. d? que sts aâo-alteadara -todos oa ioteresses : .ísi4',SQU:Q',pri« taerrotr á decfârar que *nesie caao dcinnísaçâoy quero*a:efficaz, quero-a; p.í fiãp'/-quéfo .foraes, ? i ,r - -,Srí> Presidente, Contem.pro-yocou-se aqui que t»e. faria esperar mais; algunnv cousa-da sidade.e patriotismo da Camará; couv a pqticia d« que ^qibavia submergido uma pequena Yilia ex<_5Í.ou p='p' se='se' abnndosetodos='abnndosetodos' iaig-vivo-sentimentalismo='iaig-vivo-sentimentalismo' oí='oí' o='o'>

condoarABD-se txsdoscioa coraçõe»;; hoje i.g submergir, aniquilar uns -poiicoékle Con e: tpdog os .corações se endurecei!) ,-feijda a. dade: gê ,a- • i ;S ,:,° ^ ,