O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

[imo resultado â mais vergonhosa, de todas as ex-poliações. E', Sr. Piesidente, o que me resta ver. A emenda que .apresentou o Sr., Deputado, Sotusa Magalhães é fundada toda eomo. o- Artigo da, Çfqm-missão neste principio de, injustiça, e de indignidade, por consequência espero que tenb,a a'mesma sorte que o Parecer da Commissão. '

Sr; -Presidente, outr-a só circumstancia pondeia-rei porque eçtpi). fatigado-e-não posso tornar, a usar da pàlavrija,-*» vem a ser tem-se argumentado cqoi Q peso destas indemnisações, na Sessão de 39 quando se tractou desta matéria alguns Srs. Deputados entre elles o Sr.

• Sr. Presidente, separa qu« esta Lei pae.se e necessário o sacrifício da honra, .e da independência, dç uma Camará,-«u não quero essa. Lei» s.e-.é neces^ sar.io Q sacrifício do principiei,da mofai;fr,4

Sr. Presidente ^ mas nem ;essa razão pôde vaV^, e'-um sofisma especiosa com. jq«e í6e,pertenc|<í de='de' casa='casa' prehender='prehender' mós='mós' que-o='que-o' caso='caso' dar='dar' presidente='presidente' eála='eála' _.sur-j='_.sur-j' em='em' este='este' pôde='pôde' espíritos='espíritos' nesta='nesta' _.extremamente='_.extremamente' constituiçãotenho='constituiçãotenho' matéria='matéria' caso.ha='caso.ha' rejeita.='rejeita.' senso='senso' algum='algum' que='que' bom='bom' applicaçào='applicaçào' deixar='deixar' uma='uma' desta='desta' nós='nós' da.='da.' por='por' se='se' d.as='d.as' é.este='é.este' pomo='pomo' principio='principio' contas='contas' não='não' votado='votado' ser='ser' derj-butos='derj-butos' a='a' á='á' nossa='nossa' opinião='opinião' os='os' e='e' desinuivamente='desinuivamente' certo='certo' dava.='dava.' é='é' opiniões='opiniões' sr..='sr..' _.felizmente='_.felizmente' p='p' levando-os='levando-os' tf='tf' votação='votação' ha='ha' apoiados='apoiados' ninguém='ninguém' da='da'>

Discurso do Sr. Deputado" Jsidro. Chaves, que.,dç? via fêr.o&e a pag, 77 deste f^ol. ^ .onde está.. a nota respectioa...... •

O ST. Jsidro Chaves:-'*Sr* Presideníe.,, é com; o coração apertado que me.levanto quando ,tenh,o d* fdllar depots do illustre Deputado, pelo. Porto ^ .cujo eloquentíssimo discurso prodiuiu a cnáis, profunda impressão na Aesembleai E quando lenho de .ÍÍRT pugnar a opinião de um varão tão distiocto icomo o-Sr. Bispo de Leiria, cujoi profundo» tal^ntog,,e vasto saber,- e de mais brilhantes qualidades me, pré-r 30 de apreciar e respeitar! .Entretanto cugle OI.ÍJUB custar^satisfarei a uma das condições essenciaes jdo logar que'«ecttpo,' a de dizer o que'entendo, pat.a mostrar "que votei «conio &r\lend'\ (Apoiados). , .)

Com referencia- a V. Ex.a, Sr. Presidente,,,^irei q&e bem sei que é a emenda qac(3« reputa, mas que também sei que is&o não altera,.nem-pçde alterar a ordem da discussão > cujo objecto contiiíúa a ser o mesmo; averiguar e decidir se hão de extiiv?

guir^ge totjas as prestações foraleiras, ou subsistir ãl» gumas^e quae^? Verdade e quç a emenda fa« uma restricçâp á generalidade das p.reBtaçõss que a Com-missâp quer que subsistam, mas, dessa restricçâo só pódejçonl}ecer-s

Aotes de proseguii; seja-me pertnittidft umu ex-phcação que devo a mim, e á Camará, Sr. Presidente, o, illtjstre Deputado pelo Porto invectivou contra, aquelle hpmei», contra aquelk Deputado que nesta Camará se Jeáibrára de fallac nos cUu8 ramos do Corpo LfgisJativo ad terrorem, e insidiosamente. Sr.-Presidem^, 'esse Deputado fui eu, esse homem fui eu; «ias não o fiz nem insidiosamente, nem «rá terrorem. K .como, quando eu estou nas idéus do nobre Deputado? Quando nossas opiniões, e voto* se identificam' nesta material.*». Entre algumas considerações gflraes -que eu apresentei sobre este Projecto, disse que nos devíamos lembrar.de s,, qaar.o duer,,uma Lei. d» F.Qraes., í^àp o4 fiz ad terror^fr^j^neja insidio* samente, e a;pp,0Uo,- paca ~o teateçounlto ,d$ ,Ca,mara sôbre^a franqAieza^eclealdide 4^*U,, e denodas .as rainhas opiruõas aP-Parlamgnto.f/Í^QiaJoí^

O.^p «$ea$ra;,-rr.O,Sr. Depuiadof ha^.permittir-me que, Ihedecjare que nãoisabia q.uen/o tinha dito, por.que.nçiq assisai £ Sessão., t" ,

Q Orçdor „• <_- que='que' jvias='jvias' e='e' e-por='e-por' o='o' p='p' eu='eu' quero='quero' se='se' isso='isso' saiba='saiba' declaro='declaro' fui='fui' _='_'>

O Sr. ^Seabra ; ^— Eu não censurei ..a inten.ção do Sr. Deputado^ co/nsjderei 60 o efeito do

, O Qrqdor : —- Considero o nobre peputado.o que quizor, mas não me considere terrorista e< insidioso ppíqpe. me, faz, .inj.u^t.iça.