O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

1562 DIARIO DA CAMARA DOS SENHORES DEPUTADOS

siste a primeira na suppressão do ensino da arte de minas e da agricultura, zootechina e economia rural, substituindo a cadeira em que se lêem as doutrinas d'estas ultimas sciencias por outra onde se professe a anthropologia. É objecto da segunda a creação de secções independentes no museu de historia natural da mesma universidade, que devem ser dirigidas pelos professores das respectivas cadeiras. Estabelece-se tambem no primeiro d'aquelles projectos, que o professor de mineralogia e geologia será obrigado a realisar, em parte do anno lectivo, algumas excursões geologicas para instrucção dos seus alumnos.
É escusado encarecer quanto convem introduzir nos nossos estudos superiores o ensino da anthropologia, que tão grandes progressos tem feito, e que esta destinado a exercer uma profunda influencia no espirito das sciencias moraes e sociaes. E conveniente, porem, addicionar-lhe o estudo da paleontologia, sobretudo da paleontologia humana, já porque este ramo tambem não faz parte do quadro dos nossos cursos superiores, e anda intimamente ligado com a anthropologia, já porque a sciencia geral a que elle se liga - a paleontologia - e por falta de tempo perfunctoriamente aprendida no presente.
A necessidade da suppressão da cadeira de agricultura é de ha muito reconhecida. A sua indole repugna ao quadro das disciplinas da faculdade de philosophia. O mesmo diremos da arte de minas e da metallurgia. Os progressos que têem feito as sciencias applicadas e technologicas obrigaram as nações mais adiantadas a estabelecer o seu ensino em institutos especiaes, dotados dos meios convenientes para poderem transmittir aos alumnos um verdadeiro ensino profissional. Na universidade só podem cultivar-se as sciencias puras, porque já estas exigem um complexo material de observação e experiencia, e a organisação cuidadosa de laboratorios, onde se possam manusear aquelles dois grandes instrumentos das conquistas scientificas modernas. As excursões botanicas e geologicas são, alem d'isto, meios optimos e muito proveitosos de instrucção.
A independencia na direcção das secções do museu de historia natural é aconselhada pela divisão do trabalho e pela applicação á especialidade, indispensavel para o progresso de estabelecimentos d'esta ordem. É evidente que o professor de zoologia mal póde occupar-se das collecções de mineralogia ou geologia e vice-versa. O augmento successivo das collecções, e os conhecimentos especiaes que exigem a sua classificação e conservação, tornam impossivel que um só professor as possa vigiar, melhorar e completar.
É, portanto, necessario que as collecções respectivas a cada uma das cadeiras de sciencias naturaes sejam dirigidas pelo respectivo professor.
Por estas rasões é a vossa commissão especial de instrucção superior de parecer, de accordo com o governo, que os dois alludidos projectos merecem a vossa approvação, e attendendo ao seu objectivo devem ser convertidos no seguinte projecto de lei:
Artigo 1.º É supprimida na faculdade de philosophia da universidade de Coimbra, a cadeira de agricultura zootechnia e economia rural, bem como o ensino da arte de minas.
§ 1.º É creada em substituição d'aquella cadeira a de anthrologia, paleontologia humana e archeologia prehistorica.
§ 2.º O professor de mineralogia e geologia será obrigado, pelo menos durante a terceira epocha do anno lectivo, a realisar algumas excursões geologicas para instrucção dos seus discipulos.
Art. 2.º O museu de historia natural da universidade compõe-se de quatro secções, a saber: secção de botanica, secção de zoologia, secção de mineralogia e de geologia e secção de anthropologia e archeologia prehistorica.
§ unico. A cada uma d'estas secções pertence uma direcção independente e separada, exercida pelo professor da respectiva cadeira.
Art. 3.º Fica revogada a legislação em contrario.
Sala das sessões da commissão, em 9 abril de 1885. = Adriano Xavier Lopes Vieira = João Augusto Teixeira = Bernardino Machado = José elias Garcia = Avelino A. Cesar M. Calixto = F. A. Correia Barata, relator - Tem voto dos srs. Dr. Souto Rodrigues = Dr. Antonio Candido = Dr. Wenceslau de lima.

N.º 4

Senhores. - A vossa commissão de instrucção superior e especial vem dizer-vos qual o illustre deputado Bernardino Machado pretnde introduzir uma pequena, mas importante alteração, nos cursos da faculdade de philosophia da universidade de Coimbra.
Muito desejava a vossa commissão de instrucção superior e especial ter de dar a sua melhor attenção ao projecto de lei, que, arcando com a instrucção publica do nosso paiz, a vasasse em novos moldes, acabando com tudo quanto n'ella ha de obsoleto e inutil, terminando com a multiplicidade de escolas superiores que possuimos com os mesmos fins e completando o nosso quadro de ensino tão pobre e incompleto para a epocha actual. Mas já que os tempos não correm propicios a medidas d'este folego, é ella de parecer que não nos fiquemos em beatifica contemplação de um porvir cheio de esperanças, deixando o presente em lastimoso estado. Por isso entende que devem aproveitar-se as pequenas iniciativas, sempre que sejam conducentes a uma melhoria, por entender que mais vale ir reconstruindo pouco a pouco o edificio da nossa instrucção publica, do que deixar que elle completamente se esphacele de velho. A falta de plano geral póde, é certo, dar logar a alguns defeitos e faltas de harmonia. Mas esses serão nullos perante os que se attente n'elles com animo de emprehender larga reforma. Cada uma das grandes escolas superiores do nosso paiz deve ter a sua indole particular, que mal entendidas rivalidades nunca deverão querer apagar para as approximar de qualquer das que mais dê na vista. A indole da universidade de Coimbra, deduzida da sua tradição, da sua vida, do seu meio é o cultivo de sciencias puras.
Querer transformar a faculdade de philosophia em escola de sciencias proficionaes, introzindo nos seus programas a agricultura e a arte de minas, foi modificação contra a qual o seu organismo luctou, atrophiando por evolução sucessiva esses dois membros incompativeis com o seu viver.
A arte de minas não se professa n'ella ha annos já. E a agricultura desfallece entre as quatro paredes de uma aula. De real exitem apenas os progammas de ensino d'estas duas industrias, desempenhando o papel que os orgãos atrophiados por vezes representam nos seres vivos, uma inutilidade em via de eliminação. O illustre deputado Bernardino Machado propõe que de vez se supprima do quadro da faculdade o ensino d'essas duas industrias, que de vez se eliminem esses dois orgãos que estão gastando inutilmente forças que mais convenientemente orientadas poderiam trazer largo proveito á sciencia portugueza.
De facto, tirada a arte de minas da cadeira de mineralogia e geologia, poderá impor-se ao professor a obriagação de acompanhar as lições theoricas de excursões geologicas, por meio das quaes ensine a pratica dos trabalhos de campo.
Eliminada a agricultura, poderia, para fecho dos estudos de sciencias historico-naturaes, ensinar-se a anthropologia, que alem de ser hoje indispensavel remate em sciencias d'esta natureza, é aquella por que nós os portuguezes mais somos conhecidos no mundo scientifico, graças aos trabalhos de Carlos Ribeiro e Nery Delgado, e que desgraça-