O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

1600

DIARÍO DA CAMARA DOS SENHORES DEPUTADOS

Não termino hoje som fallar das caixas economicas escolares»

Seriam completa novidade em Portugal, apesar do já serem tão numerosas n'outras nações.

Não faço a historia d'esta salutar instituição; alludirei ró aos esforços efficazes empregados em Gand por um dos mais notaveis escriptores d'este seculo, o sabio professor Laurent, tão conhecido pelo3 seus livros de historia o de direito.

O sr. Laurent fez conferencias ácerca das vantagens da economia; percorreu as escolas, dirigiu-se ás classes d'elles. dirigiu-se até a cada alumno; por toda a parte evangelisou as vantagens economicas e morae3 da economia; se bem recordo, cedeu a favor da propagação das caixas economicas escolares um premiado 10:000 francos, conferido a uma excellente lição feita por elle ácerca da economia. Os seus grandiosos esforços foram coroados dos melhores resultados.

Estas caixas recebem dos alumnos quantias pequenissimas, 5 réis até; o professor colhe estas parcellas, e quando chega ao minimo que se pede depositar na caixa economica da localidade, vae entregal-o ahi em nome do respectivo discipulo.

A influencia economica d'esta instituição é enorme; contam-se por milhões as sommas já reunidas por ella. O seu influxo salutar ha familia é ainda maior. As creanças vão para casa educar os velhos ácerca das vantagens de poupar; os paes talvez até então não tinham reflectido n'isto, ou não attentaram no livro que leram na conversação que ouviram a tal respeito; mas quando é a creança quem falla, o ensino vao direito ao coração; é attendido porque prececede de quem o dá conforme o verdadeiro amor.

Ainda o anno passado uma professora húngara contava o seguinte n'um congresso celebrado em París: ella não

acreditava nas caixas economicas escolares; mas rendeu-se á evidencia dos factos; estabeleceu uma para as suas creancinhas; entre varios acontecimentos que provaram a vantagem da instituição, deu-se um que merece ser narrado: o avô de uma das alumnas embriagava-se desde muitos annos; debalde se tentara libertal-o do vicio; um dia a neta fallou-lhe, como ás vezes sabem fallar creanças, ácerca da caixa economica de que ella era depositaria; o antigo ébrio converteu-se em homem economico e bem procedido; aquella creancinha tornara-se apostolo do bem no seio da familia.

.Costumamos dizer que são os paes os que educam os filhos'; mas não só a educação dura toda a vida, mas tambem a melhor parte d'esta é ás vezes a que, se. recebe dos filhos.

Mas eu tenho ainda tanto que dizer á camara sobre instrucção primaria, bem como um pouco sobre bellas artes, e a hora está tão adiantada, que eu peço a v ex.ª que me reserve a palavra para ámanhã.

Vozes: — Muito bem.

(O orador foi comprimentado, por srs. deputados de todos os lados da camara.)

O sr. Presidente: — A ordem do dia para ámanhã é trabalhos em commissões, e para sesta feira é a continuação da que estava dada, e mais o projecto n.º 113.

Está levantada a sessão.

Eram cinco horas a tres quartos da tarde.

Rectificações

Na sessão de 6 de maio de 1879, pag. 1:557, col. 1.ª, lin. 36 e 37, onde se lê =- contestada =' deve ler-se •— contestável —; na lin. 37, onde se lê = o procedimento dos dois chefes de secção da direcção = deve ler-se — a situação de dois chefes de secção na direcção =; nas lin. 46 e 47, onde se lê = por elle ter ido = deve ler-se = de ter elle ido -.

i

«5*