O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

1828 DIARIO DA CAMARA DOS SENHORES DEPUTADOS

com que se quer approvar este projecto, lamento não poder aproveitar a occasião para chamar a attenção do governo e da camara sobre o estado da instrucção secundaria e sobretudo sobre a necessidade de se tomarem providencias urgentes pelo que toca ao professorado que esta sendo nomeado provisoriamente, o que dá logar a que todos os dias se esteja fazendo a escolha desgraçadissima e deploravel de professores sem habilitações, completamente inhabeis para as funcções que têem a desempenhar, adiando indefinidamente a publicação do regulamento para o concurso dos professores. (Apoiados.)
Era para esta questão que eu queria chamar a attenção do governo, mas como não posso, limito-me, repito, a lavrar o meu protesto, reservando para a primeira occasião as considerações que tenho a fazer.
Dou o meu voto ao projecto porque entendo que não ha tempo para cuidar seriamente n'uma remodelação completa de ensino secundario; (Apoiados.) e não havendo o tempo preciso para isso, creio que esta camara não póde fazer outra cousa que não seja dar o sen voto ao projecto, e no anno proximo occupar-se mais de espaço dos negocios relativos á instrucção secundaria.
Eram estas as poucas considerações que eu precisava fazer, sem todavia pretender impugnar o projecto, e que rendo sómente deixar consignada a minha opinião a este respeito, e lamentar que não esteja presente o sr. ministro do reino.
Tenho dito.
Vozes: - Muito bem.
(S. exa. não reviu as notas tachygraphicas.)
O sr. Presidente: - Não ha mais ninguem inscripto.
Vae ler-se o parecer para depois se votar.
Leu-se e seguidamente foi approvado.
O sr. Ministro da Fazenda (Hintze): - Mando para a mesa, por parte do meu collega da marinha, uma proposta de lei relativamente a fixação da força naval.
Leu-se na mesa. - É a seguinte:

Proposta de lei n.° 108-A

Artigo 1.° A força naval para o anno economico de 1885-1880 é fixada em 3:063 praças distribuidas por 1 navio couraçado, 3 corvetas e 10 canhoneiras de vapor, 2 vapores, 1 lancha, 2 transportes, 1 fragata-escola pratica de artilheria naval, 2 corvetas-escolas de alumnos marinheiros e 1 rebocador.
Art. 2.º O numero e qualidade dos navios armados podem variar segundo o exigir a conveniencia do serviço, comtanto que a despeza não exceda a que foi votada para a força que se auctorisa.
Secretaria d'estado dos negocios da marinha e ultramar, 27 de abril de 1885. = Manuel Pinheiro Chagas.
Enviada á commissão de marinha depois de publicada no Diario do governo.

O sr. Presidente: - A ordem do dia para amanhã é trabalhos em commissões; e para sexta feira, alem da que estava dada, mais os projectos n.ºs 88, 90 e 52, devendo começar a ordem do dia pela discussão do tratado de commercio com a Hespanha.

Está levantada a sessão.

Eram seis horas da tarde.

Rectificações

Na sessão de 25 do corrente, pag. 1:765, col. 1.ª, lin. 11.ª e 12.ª, onde está «já preparado com a instrucção superior» leia-se «já habilitados já com preparatorios d'instrucção superior»; lin. 16.ª, onde esta «os alumnos requereram agora» leia-se «os alumnos do primeiro anno de medicina da universidade de Coimbra requereram, no principio do corrente anno lectivo»; lin. 24.ª, onde está «tendo esses actos de estar» leia-se «tendo os actos dos quatro primeiros annos de estar»: lin. 25.ª, em vez de «10 de junho» leia-se «10 de julho».

Redactor = S. Rego