O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

(111)

tíSo excederiam á 700 e tantos contos de re'is. Se me engano, S. Ex.a terá a bondade de rectificar.

O Sr. Ministro da Fazenda:—O'que eu disse foi, que já se tinham liquidado os 700 e tantos contos ; mas não disse, que se não continuava a liquidar. As dividas dos Corrventos montam a uma sotn-ma considerável; e eu, desejoso de ver, quaes erartn os reruisns do Estado; porque sempre entendi, que não devomos propor qualquer medida extraordinária, sem lermos esgotado todos os recursos, que possuirmos; enU-ndi, que devia mandar, pelos es-clíirecimentos que tinha fio Thesouro, e por aquel-Ifs que atli faliam, mas que é possível reunir, fazer um iYlappa dasdividaâ aos Conventos extinctos; e á hora ern que falloi ao Sr. Deputado, já tinha conhecimento da liquidação daqueila quantia. Kn-(retanto estes trabalhos conunuam ; a todos os mo-U!

O 'Orador: — DP bnrfttô concedido que a som ma liquidada não é d? 700 c ^1(0$; m.is- de 1200, que sr peidam ha\er unmediaiameiite por este Art. 4.° ; r u quero mesmo afé conceder, o que não épossi»ef, que S. E\." me prove, nenl que a Camará se con-vppra de lal , isto e, que todos esses devedores corram i m mediata mente a solver esses seu*) débitos, e uue se possam por consequência haver oâ recursos correspondentes a essas préstíiÇÔes , em relação á totalidade desses 1200 contos; a quanto âubirá o total correspondente das prestações conforme este Ari. ? A S'1-0 contos, Sr. Presidente? E240 contos corno? Pagos, parte em papel, e parle em metal; não podem por consequência dar mais de 120 ou 130 contos. Ora aq*>i «em a Camará como pelo Art. 4.* a Commissão Espacial mutiliaa todo o effeito do Art. 3.*, para o riu» que se q*)er no § 3.* do se» relatório. Nâ«> sei, s>e laboiurp»'»M» alguma conuad>çuo; se laborar, tractart-! dopeis de me explicar; ma» o que é ceito, c que uâo lubofo na immeíisa contradição em q n o laborou o illiiàtre Relator da Commissào Especial de Fazenda, quando disse, — que não era occasião opportuna de vexar os devedores, e terminou exclamando, que se vexassem com execuções 4>ffif{i7e« , etc.

(O Sr. Presidente:— O Sr. Deputado não falia devagar; ii:as ha tal sussurro na Cttt-a , e esta posi<_-cão para='para' ião='ião' e='e' lísalappropnada='lísalappropnada'>.; p der o.mraquil-lo que s.- iiu , que não posso, ainda que queira, e como e

O Orador: —Eu agradeço a V. Rx,a a urbani-dade com que me tracla , e repelirei. Eu disse, que não approvava o Ari. 4.°; p i votado n-i^é sentido, e agora vem ò Art.4." tjue estaU-U-ce us prestações. Oia, como e» já disse, que tne&mo quando se recebessem todas ou qnasi todas as dividíi», estas prestações não pôdiarn dar mais de 120 ou 130 contos.; .e além disso Viavia' orna desigualdade para os ditfe-

devedores, estava rectificando a contradicçaa d«sle Art. Cotn o § 3.° do relatório, para concluir que np?sat de querer, e desejar para os devedoras o favor d

O aiJdiLdmerito do Senado reformado em quanto á tlifíerença da» espécies de moeda, em que fui c<_-tiahida faltava='faltava' aos='aos' notar='notar' reflecti='reflecti' execuções='execuções' paptl='paptl' lei='lei' isto='isto' réis='réis' s.='s.' õq='õq' haveria='haveria' como='como' sabe='sabe' hy-polheca='hy-polheca' metal='metal' cair='cair' vamos='vamos' ágio='ágio' elie='elie' notando='notando' menos-a='menos-a' ao='ao' íeis='íeis' as='as' esses='esses' pagarem='pagarem' consrderar='consrderar' _50='_50' podia='podia' tuas='tuas' conoo='conoo' tag1:_='_:_' tanto='tanto' querer='querer' frxar-se='frxar-se' sb='sb' extinctos='extinctos' dividas='dividas' por='por' contradição='contradição' sacrifícios='sacrifícios' conuibsiintes='conuibsiintes' _000='_000' deverem='deverem' _='_' poisco.n-cede-se='poisco.n-cede-se' a='a' looooors.='looooors.' e='e' certo='certo' j='j' _100óoo='_100óoo' pagarão='pagarão' e-oj='e-oj' deputado='deputado' entregasse='entregasse' o='o' p='p' vexalo='vexalo' nào='nào' diase='diase' da='da' conventos='conventos' com='com' de='de' esn='esn' devedores='devedores' tag2:ue='q:ue' do='do' relator='relator' pape='pape' mesmos='mesmos' um='um' réis.='réis.' poderia='poderia' devedor='devedor' acoimou-me='acoimou-me' consequência='consequência' extraordinária='extraordinária' em='em' negociador='negociador' especial='especial' fazenda='fazenda' eofilrahidas='eofilrahidas' sr.='sr.' eu='eu' hoje='hoje' vi='vi' na='na' aquelles='aquelles' commissão='commissão' eilas='eilas' desfavor='desfavor' que='que' deixar='deixar' muito='muito' cai='cai' igualdade='igualdade' forma='forma' nós='nós' determinado.='determinado.' ilíustre='ilíustre' para='para' perfeita='perfeita' divida='divida' irá='irá' outros='outros' não='não' papel='papel' exigir='exigir' só='só' á='á' entregando='entregando' executar='executar' os='os' metálicos='metálicos' assim='assim' conciliava='conciliava' í='í' deveria='deveria' grande='grande' favor='favor' tudo='tudo' uns='uns' a-os='a-os' estas='estas' porque='porque' xmlns:tag1='urn:x-prefix:_' xmlns:tag2='urn:x-prefix:q'>