O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

tem se distribuiu, não é nenhuma, porque ò Gô-v*rno com este -Projecto não faz mais do que satisfazer ao cumprimento de uma obrigação.

Quanto aos meios, com que o Governo psrtendtí levantar os fundai .propostos no outro Projecta, o nobre Drputado sabe que isso depende de uma infinidade de couzas, que não podem ser presentes: porém o que o Governo pôde aífiançar a Cair ara e, que qualquer que seja a automação , que se lhe dê por aquelle Projecro não ha de usar delia senão em ultima necessidade, e não ha de usar delia aenão para fazer operações as mais vantajosas que poder ser.

O Sr. Soure: — Sr. Presidente, a única rasâo qije eu ouvi produzii ao Sr. Msmstro da Fazenda e que não pesa sobre o Governo a obrigação â: pagar senão do m?z de Juuho de 1839 «m diante; mas çu desfjaria saber a rasão, potque só pesa stibre o Governo a obrigação de pagar adivida, que ha d<_-b-ta de='de' obrigação='obrigação' alguma='alguma' lixando='lixando' finanças='finanças' governo='governo' gíraes='gíraes' epucha='epucha' toda='toda' pagar='pagar' havemos='havemos' sempre='sempre' me='me' presidente='presidente' ver-se='ver-se' embaraçado.='embaraçado.' em='em' caminhar='caminhar' todas='todas' ao='ao' sr.='sr.' sobre='sobre' as='as' pesa='pesa' _-ou='_-ou' que='que' fizes-='fizes-' nós='nós' desta='desta' se='se' ponto='ponto' era='era' epo-chá='epo-chá' traz....='traz....' divida='divida' regras='regras' pafa='pafa' mal='mal' não='não' fluctuaute='fluctuaute' convinha='convinha' _='_' a='a' ptd='ptd' classe='classe' b='b' pa-jecejé='pa-jecejé' preciso='preciso' e='e' queeste='queeste' ou='ou' maneira='maneira' capitalisação='capitalisação' n='n' estendesse='estendesse' capitahsação='capitahsação' o='o' p='p' ha='ha' diante='diante' princípios='princípios'>

ses

srmos excepção deMe principio e regra .geral ; porque não vejo que possa haver preferencia para ca-pitalisação da divida a umas classes, e para nõpca« pitalisação da d:vjda a outras. Mas agora t-tu vencido já que não haja c.ipitalistição a r^s-ptito das classes activas, e resta só que nós resolvamos u TPS-peito das classes não activas; ora porque nisâo se ha de marcar esta- epocha , e não se ha de rmircar outra qualquer; poique. rasáo não havemos nós ir aos princípios das cousas, e marcar a epocha que é indicada chronolagicaoi^nte i quero dizer a mais antiga: é natural que o Sr. Ministro da Fazenda falle ainda outra vez, e então eu peço a S. Ex.a, que me esclareça sobre os motivos porque faz datar essa eps chá dol.° de Julho de39 em diant* , e não para traz. A obrigação d<_> pagamento integralmente dá«se a respeito d? tcda a divida seja qual fila for, pelo menos desde a restauração para cá pesa sobre,o Governo Constitucional a obiigação de pagar toda a divida contrahida desde então para cá, e então já digo, não sei porque se ha de procurar data posterior. Em fim S. E\.a explicará isto se assim o entender.

-. Mas, Sr. Presidente, ha ainda uma cousa para qnn eu queria chamar a atlençâo de S. E\.a, e e' sobre as clames a quem nt> de\e do l,*'de Julho pa-fa traz; quero dizer — Murço, Abril e Maio e Junho de 39 s qve são quatro meaes que se deixaram de pagar quando o Groverna linha trontfahido ébria*1 obrigação de pagar um tnez eti) cada me;.... (O 'Sr. Ministro da Fazenda: — Ei^-aiii a rasão porque prefiro essa epocha: ahi está a explicação.) O Ura-dor : — Prefere essaepocba por queter favorecer mais os possuidores dos títulos desses aie^es, ou por não querer? Se ^ por os qiifl.-tír favorecer e preciso que S. Kx.a apresente já de proti-ipto iicna medida j^ela qual clles se convençaa) dy que ha de pagar; porque se acaso S. Ex.B data o pagamento desde essa

•ersncha, e deixn os outros »,p?es para traz, por querer acudir ao seu pagamento é preciso que esto* possuidores vejâo a prcbab'ííc!ade d<_ eu='eu' piolxtbihd-icíe='piolxtbihd-icíe' ellr='ellr' esta='esta' para='para' verem='verem' e='e' pagam='pagam' prcri='prcri' nto='nto'> q «e 9t» lhe apre^utem meios paia o pagamento; ma* o que elles vê<íf com='com' míios='míios' de='de' pede='pede' governo='governo' tempo='tempo' do='do' aqiifl-les='aqiifl-les' dr='dr' qos='qos' _80='_80' pagarnen-t.s='pagarnen-t.s' mezoá='mezoá' pagam.mut='pagam.mut' consequência='consequência' pigíiram-se='pigíiram-se' em='em' posterior='posterior' alonro='alonro' chegaram='chegaram' sr.='sr.' et='et' pró-mettcu='pró-mettcu' eu='eu' as='as' tag0:_='calla-sa:_' regislarrs='regislarrs' _8='_8' operações='operações' mezes='mezes' porque-='porque-' que='que' no='no' raixtas='raixtas' classes='classes' fazer='fazer' tag1:ís='_:ís' se='se' então='então' para='para' promessas='promessas' fi.eraín-se='fi.eraín-se' aníc-lior='aníc-lior' não='não' carralho='carralho' _='_' só='só' m.='m.' a='a' laspeito='laspeito' ecutivs='ecutivs' e='e' intento='intento' ejo='ejo' cumpriram='cumpriram' repetidas='repetidas' o='o' t='t' papeis='papeis' consecutivos='consecutivos' da='da' tr='tr' inactivas='inactivas' dadivsdíi='dadivsdíi' xmlns:tag0='urn:x-prefix:calla-sa' xmlns:tag1='urn:x-prefix:_'> que acniiteceti foi que «s papeis neíB^ l^mpo subiram a 80 ou talvez a mais, depois fa1to

O Sr. Rebello Cabral: — Sr. P residi?» LM , se a discussão continua no vago, em oup tem esi.ido, parece-rne que não se tirará resultado algum delia. Este Art. 4." tinha inteira conn-xão com oArt.3.°; a parte do Art. ,3.°, que tinha connoxão, CDOÍ çsts Art., está retirada; portanto parece-me qae oAtí. 4." não p'oderá entrar em discussão da maneira porque está concebido. O q:t« e' que se discute ino'Art. 4. ? que não lenha sido retirado da discussão quando se retirou a parte do Art. 3.% com quem ellc tinha conr,e\ao? DI^Í o Ari 4.° (/CM.) Que 4 mezes bã^o estt-3? São aquellp» que dbia o Art. 3.* Se haviam de pagar da dmria atrasada. Por isso entendo que tanto t*«te A f t. 4.°s como o 5.° realmente estão prejudicados. Queria, por isso, para beun da ordem , que se diciutase qual era o lhema verdadeiro para a discussâ*, da contrario entraremos no vago em que esteve o Sr. Deputado qu« acaba de fal-lar, e paieco-me que S. S.a não foi exacto, quando fullou da divida de 39, nem a este respeito fal-lava mesmo a lettra do Art. 4." Por tanto poço, que antes de continuar a discussão, V. Ex.a d«ela« ré o que está ein discussão.

Eu não fallo por parte da Commissão de qtJe fa-ÇO parte; mas faliu como outro qualquer Dspuía-do; entendo que o Art. 4.° não devia entrar otn discussão, porque ?stá prejudicado, e que o Gov«nio o dove sabstitosr, por i^r quem fez retirar a parte connexa dn Ari, 3.°