O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

( 193 )

N.° 15.

í>0 €nc£rrament0. 1841.

A,

18 DE NOVEMBRO.

.o meio dia começaram a reunir-se na Sala da Camará dos Srs- Deputados os Membros de ambas as Camaias, occupando os seus respectivos lo-gares, sob a presidência do Sr. Duque de Palmella, Presidente da Camará dos Senadores, o quaf nomeou a Deputação que devia ir aporta do Palácio receber a Sua Magestade: era a Deputação composta dos

SENHORES SENADORES.

Jpão Maiia d'Abreu Casteilo Branco, Domingos Corrêa, Arouca, Conde das Antas, BarthoJoineu Gamboa e Liz, Francisco de Serpa Saraiva Machado, Felix Pereira 4* Magalhães, Visconde de Laborim, Venancio Pinló do Rego Cêa Trigueiros, Marquez de,.Xoule£ JVlarquez de Fronteira, Conde de Borafim, e Baião do Tojal.

SENHORES DEPUTADOS.

JiQãq.de Sousa Pinto Magalhães, José Marcelíino de,$á Vargas, Jpsé da Silva Carvalho, João Rebeílo da Costa Cabral, António José Maria Campei l ó, Manoel ,Luiz de Moura Cabral, Joaquim Filippe de Sou-ré, .João Baptista JFelgueiras, José de Sousa Pimen-teí de Fajia, João de Vascohcellos e Sá,"Jòã

A' uma hora da tarde entrou Sua Magèstàde acompanhada., d'EJ-Rei,. e precedida pela Corte, e Deputação, seguijndo~se o cerempmal ordenado no respectivo Progjsamma. Suas Magestades tomaram assento nas Cadeiras do Throno, asséntarám-se lambem os Senadores, deputados, e Ministros d'Estadó, e Sua Magesta.d.e A Rainha leu o seguinte discurso /.,'•"" , ( SENHORES :

A constantfij e assídua applicáçao a tantos, 'e tão -variadas objectos^ que têem feito o assumpto da presente Sessão da^Cprtes Ordinárias, demanda imperiosamente a repouso d*algum tempo, em que oses-piritos fatigados possam recobrar forças, é preparar-se para continuar os seus importantes trabalhos.

Eu Me congratulo cqrn os Membros do Corpo Legislativo pelo zelo, e disvelo, que mostraram nesta dilatada Sessão em benefício da Causa Publica, e

pela particular attenção que deram aos objectos por Mim reoooiAttendajdos. iio JXiscu,çso da Abertura.

Foi um delles, e sem duvida ornais principal, e o mais urgente, o prover ao Estado daFasenda, sem o que seria impossível satisfazer aos multiplicados e antigos empenhes contrahidos, e pôr em devida ordem os outros ramos da Administração.

JNão Posso deixar de sentir que as necessidades publicas, e as sagradas obrigações que pesam sobre a Nação, tenham exigitlo a imposição de alguns novos tributos; Estou porém .Convencida de que os Meus Súbditos a nenhum sacrifício deixam de prestar-se de bom animo, quando nelle,é interessada a honra, e o credito Nacional.

Vós tendes visto que a Segurança Publica no interior do Reino ha melhorado : os bandos, que infestavam o Algarve, e uma parte doAlemtéjo^ acham-se consideraveltnente diminuídos, em consequência das medidas opportunamente adoptadas, do zelo das Autoridades, e da efficaz cooperação da Força armada. Este objecto continuará a merecer toda a attenção do Governo.

Agradeço ás Camarás oâ subsídios votados para' as despezas do Serviço, e desempenho dos deveres, a que está essencialmente ligado o credito Nacional.

Senhores, a confiança que Tenho nas vossas luzes c no vosso reconhecido patriotismo, Me persuade que, retirados ás vossas províncias, recolhendo pró» veitosas observações sobre as necessidades, e recursos dos Povos, e meditando sobre os meios de promover a felicidade publica, voltareis aos trabalhos parlamentares, animados dos mesmos nobres sentimentos, que ale agora vos têem dirigido, e sempre attentos ao -grande fim de consolidar as Instituições Políticas .da Monarchia, e de concorrer para a prosperidade da Nação.

Ema fechada a Sessão.

Finda a leitura, Suas Magestades sairam da Salla precedidas do mesmo Cortejo, com que haviam en-tradb.,

O REDACTOR INTERINO,

FRANCISCO X.E9SA.