O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

1060

CAMARA DOS DIGNOS PARES

Sessão em 22 de março de 1864,

Presidencia do ex.mo sr. Conde de Castro

Secretarios, os dignos pares

Conde de Peniche

Conde de Mello

As duas e tres quartos horas da tarde, sendo presentes 31 dignos pares, declarou o sr. presidente aberta a sessão.

Lida a acta da precedente, julgou-se approvada na conformidade do regimento, por não haver reclamação em contrario.

Não houve correspondencia.

O sr. Vellez Caldeira: — O digno par, o sr. Caula Leitão, encarregou-me de communicar a V. ex.ª e á camara, que não tem comparecido a algumas sessões por falta de saude.

O sr. Conde de Thomar: — Expoz que usando da palavra na anterior sessão para fallar sobre a questão que actualmente occupa a attenção da camara — a nomeação do escrivão da camara ecclesiastica de Coimbra, fez referencia ao escrivão da camara ecclesiastica do patriarchado, o sr. José Maria Couceiro, pessoa de quem é amigo, e que muito respeita. Entendeu porém aquelle cavalheiro que a asserção por elle orador apresentada, era inexacta, porquanto não lhe fóra dada a sua demissão, mas sim elle proprio a pedíra por motivos de pundonor, sendo-lhe a mesma demissão aceita pelo reverendo prelado. Fazia portanto esta rectificação de facto, porque assim o mesmo cavalheiro lh'o tinha pedido n'uma carta que o orador recebêra.

Dando estas explicações á camara, tinha cumprido com os deveres que lhe impõe a sua lealdade.

O sr. Sebastião José de Carvalho: —...............

« Requeiro que pela mesa seja prevenido s. ex.ª, o sr. ministro da fazenda, de que desejo interpellar com urgencia s. ex.ª, relativamente ao ultimo emprestimo de libras 2.500:000, negociado na praça de Londres com os banqueiros Stern Brothers.

«Camara dos pares, em 22 de março de 1864. = Sebastião José de Carvalho.»

O sr. Secretario (Conde de Peniche); — A nota de interpellação do digno par foi expedida no mesmo dia em que foi apresentada, porém até agora não veiu resposta.

O sr. Marquez de Niza: — Sr. presidente, eu desejava tambem saber se foram enviadas ao sr. presidente do conselho, na qualidade de ministro do reino, as duas notas de interpellação que annunciei a s. ex.ª Como uma dellas, que diz respeito ao conselho de saude, levava a declaração de urgente, por isso me admiro que o sr. ministro ainda não viesse responder.

O sr. Secretario (Conde de Peniche): — Também foram enviadas no mesmo dia para o governo as notas de interpellação do digno par, mas ainda não veiu resposta.

O sr. José Izidoro Guedes; — E para mandar para a mesa uma nota de interpellação ao sr. ministro das obras publicas.

O sr. Secretario: — Leu-a, e é do teor seguinte: « Peço que seja convidado o sr. ministro das obras publicas a responder á interpellação que desejo fazer-lhe ácerca do estado dos trabalhos da estrada marginal do Douro, es-