O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

DIARIO DA CAMARA DOS DIGNOS PARES DO REINO 295

D'elle caísse, a fim de por esta via se concertar a chamada rotação dos partidos. Talvez era esta mesma a opinião do partido constituinte.

Mas como succedia que tambem o partido regenerador aspirava ás reformas politicas, havendo em tempo declarado o sr. Sampaio que não a carta, mas tão sómente os homens, careciam de reforma, e addicionando em seguida o sr. Fontes, que percorrendo o paiz de extremo a extremo, ninguem lhe fallava n'ella? Qual a rasão d'esta mudança? O orador attribuiu-a exclusivamente a certa divergencia no partido regenerador, a qual se congraçou por compromisso do sr. Fontes em desde logo apresentar ao parlamento as reformas politicas, lastimando que ao propol-as, simultaneamente as desabonasse.

Com relação a urgirem ellas em absoluto, não era isso um facto expontaneo, senão que motivado pela imprudencia de uns e pela reacção necessaria de outros, redundando tudo na sua actual e imprescriptivel necessidade.

Pondo isto de parte, referiu-se então aos governos absolutos e após diversos argumentos, objurgou-os por nocivos e darem margem a que muitas vezes os delirios do povo fossem consequencia do contumaz procedimento d'esses governos.

Tinham ellas de certo uma importante missão na sociedade moderna, mas não se limitava ella, na sua opinião; a resistir ou supprimir constantemente qualquer movimento ou espirito de innovação, devendo a par d'isso ter-se presente na memoria o facto de ser o corpo social um corpo vivo, e como tal sujeito ás leis impulsivas do seu desenvolvimento.

Porém dissera ali um digno par partidario da hereditariedade: "Pois as leis da dynamica podem applicar-se a nós? Pois nós somos corpos solidos?" A tal pergunta, se a elle, orador, lhe fosse permittida a escolha, responderia que pelas fumaças, eram os gazosos; porém, consoante a sciencia, solidos, liquidos e gazozos, sujeitos portanto ás leis da estatica e da dynamica, posto que acima de tudo eramos seres vivos, e animados.

Conseguintemente ao partido conservador cabia apenas moderar.

Entretanto o sr. Fontes, em virtude de uma doutrina sua opportunista, declamara que o partido mais avançado propagava, desenvolvia, preparava as condições precisas á realisação de qualquer idéa; mas que em ella fructificando, lhe cumpria sobrevir e comer-lhe o maduro pômo. N'esse caso que lhe prestasse, ponderado os accordos assim o or; denarem.

Disse s. exa.: Eu mudo de opinião, logo que mudam as circunstancias! Mas de logar é que não mudava, como se s. exa. não percebesse que essa mudança de circumstancias tem homens que a representam.

A que logicas consequencias levaria similhante doutrina? A que se um dia viesse a republica, tambem s. exa. lá estaria. Todavia, com esta necessaria inferencia, nem de leve mirava a offender as profundas crenças monarchicas do illustre presidente do conselho.

Não obstante, perguntaria onde estava a bandeira dos conservadores. Acaso tambem nas mãos do sr. presidente da conselho, como herdeiro politico ab intestato do nobre duque d'Avila?

Melhor perguntaria ao sr. marquez de Vallada, conservador da gemma, onde estava essa bandeira?

E o orador, como que invocando um correctivo á que julgava corrupção de costumes e confusão de espiritos, e tendo-o por defrontado na pessoa dos srs. bispos presentes, exclamou, encarando n'elles, com uma reverente mesura: Vos estis lux mundi et sal terrx!

E proseguiu, capitulando a camara de parcial em algumas das suas votações, assim como elle proprio já o presenceára, vaticinando-lhe então, por esse facto, o seu futuro arrependimento.

Igualmente censurou que o partido progressista houvesse proposto duas fornadas, em vez de uma só, mas sufficientemente numerosa e caracteristicamente partidaria, de modo que lhe garantisse um elemento preponderante n'aquella casa.

Talvez assim se evitassem muitos males e maiormente o financeiro.

Entendia, porém, que observada antecedente e estrictamente a carta, jamais existira, nem avultara, a causa da sua reforma, a qual podia talvez resumir-se n'um beneficio, assim como desferir n'um engravecimento do mal. (Apoiados.)

E que o accordo, dada a contranatural hypothese de cair o governo regenerador e de lhe succeder o progressista, a seu ver, tambem este o devia cumprir lealmente, pois as rasões que moveram o seu partido a acceital-o, seriam sempre as mesmas que o tinham impellido a encetal-o e realisal-o.

O que não comprehendia era como o acceitára tambem o partido constituinte, só a troco de duas pastas e ademais em condições desvantajosas, por não ter plena liberdade de acção.

E assim se mallogravam duas feracissimas esperanças na voragem da politica portugueza, n'um precipicio que não exaltava e tão pouco acreditava o systema representativo.

O que representavam os srs. Chagas e Aguiar ali? Seriam ainda constituintes, apesar do discurso do seu chefe?

O orador lembrou depois que o planeta Jupiter tinha a virtude de attrahir os cometas e ao ponto de por vezes deslocal-os da sua orbita caprichosa; e como alguns similhantemente havia na politica portugueza com o seu respectivo Jupiter, acontecera que não podendo este deslocar aquelles, então lhes arrancara a sua brilhante cauda.

E muito era para ver agora o Jupiter girando ca sua orbita e os cometas em continuo giro em torno d'elle!

Dirigiu-se ao sr. marquez de Vallada, por s. exa. ter dado apoiados, quando ali se dissera que um dos erros do governo progressista fora deixar-se governar pelos centros, taxando ao nobre marquez de falto de gratidão, e perguntando-lhe se ao ser s. exa. Empregado de confiança, acaso do partido regenerador recebera tantos elogios, como do progressista?

O sr. Marquez de Vallada: - Tenho recebido elogios da parto do partido regenerador e do partido progressista.

Se recebi elogios mais pronunciados- dos progressistas foi quando elles se achavam ligados ao sr. duque d'Avila.

O Orador: - Redarguiu-lhe então que não era indifferente á circumstancia de s. exa. ter estado algumas vezes de accordo com o partido progressista.

N'este ponto houve uma interrupção do nobre marquez, que não se ouviu, mas que deu motivo a uma advertencia do sr. presidente.

O orador fez ainda menção da influencia dos centros, antepondo-a á de certos pachás locaes, o ao ter alludido ali certo cavalheiro a que o partido progressista carecia de ser organisado e de maneira que os seus homens podessem vir a ser ministros da corôa, invectivando o orador contra essa allusão, cujo transparente rebuço rasgaria, se alguem ousasse erguel-a de novo n'aquella casa.

(S. exa. foi muito felicitado e o seu discurso virá a ser publicado na integra quando nol-o devolver.)

O sr. Ministro da Marmita (Pinheiro Chagas): - Em resposta ao sr. Pereira Dias,, deu por talvez desnecessario o accordo com o partido constituinte, se o progressista, pompeando tantas reformas no seu programma, houvesse ao menos realisado as politicas.

Mas não percebia, como s. exa. entendêra, que essas reformas eram a cupula e não a base do edificio, vendo que no accordo foram ellas capituladas por questão essencialmente indispensavel e fundamental.