O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

743

DIARIO DO GOVERNO.

«Juro ser inviolavelmente fiel á Religião Catholica Apostolica Romana, ao Rei, á Nação, e á Constituição; e concorrer quanto em mim couber para a formação de Leis justas e sabias, que hajam de fazer a prosperidade dos Povos, a gloria do Rei, e o explendor do Estado.»

Este juramento foi depois tambem prestado por todos os Srs. Senadores, novamente eleitos, que se achavam presentes, e cujos diplomas haviam sido approvados.

Tendo os Membros da Mesa subido aos seus logares, disse

O Sr. Presidente: — A Camara dos Senadores da Nação Portugueza está definitivamente constituida para a Sessão Ordinaria de mil oitocentos e quarenta.

São nomeados para formarem a Deputação, que deve participar este acto a Sua Magestade a RAINHA,

Os Srs. Lopes Rocha,

Barão da R. de Sabrosa,

de V. N. de Foscôa,

do Tojal,

de Almeidinha,

de Rendufe,

Azevedo e Mello.

O Sr. Vellez Caldeira: — Proponho que a Camara vote agradecimentos ao Sr. Presidente Decano, pela exactidão e boa vontade com que dirigiu os trabalhos preparatorios (Apoiados).

A Camara annuiu unanimemente.

O Sr. Lopes Rocha: — Achando-se esta Camara definitivamente constituida, peço a V. Ex.ª queira mandar-me inscrever para apresentar um Projecto de Lei sobre Segurança Publica, quando a ordem dos trabalhos da Camara o permitta. (Foi inscripto.)

O Sr. Presidente: — Vai-se proceder a nomeação, por escrutinio, dos quatro Membros que devem examinar o Projecto de Resposta ao Discurso do Throno.

O Sr. Vellez Caldeira: — Se ha alguma correspondencia de que dar conta á Camara, pedia que isso se fizesse em primeiro logar.

O Sr. Presidente: — Segundo o Artigo 17 do Regimento, a primeira cousa a fazer, depois da eleição da Mesa, é a nomeação que eu indiquei; além de que, a Mesa acaba de tomar posse, e não se acha por isso ao facto dos papeis que podem ter vindo á Secretaria (Apoiados).

Immediatamente se procedeu á eleição dos quatro Membros que, com o Sr. Presidente, devem propôr o Projecto de Resposta ao Discurso do Throno.

Apurado um escrutinio de 42 listas, ficaram eleitos

Os Srs. Patriarcha eleito, por.....29 votos

Serpa Machado.......... 28 »

Visconde de Sá..........27 »

Não havendo nenhum dos outros votados obtido maioria absoluta, procedeu-se a segundo escrutinio (de 40 listas), e ficou apurado

O Sr. Miranda, por 19 votos.

Concluida esta operação, disse

O Sr. Barão da Ribeira de Sabrosa: — Peço a V. Ex.ª licença para prevenir o Sr. Ministro dos Negocios Estrangeiros, que no dia 22 do corrente tomarei a liberdade de fazer algumas interpellações a S. Ex.ª ácerca das nossas relações com a Gram-Bretanha.

O Sr. Ministro dos Negocios Estrangeiros: — Eu pediria ao illustre Senador quizesse indicar outro dia, porque Segunda feira é partida do correio.

O Sr. Barão da Ribeira de Sabrosa: — Na Terça feira 23, ou outro qualquer que S. Ex.ª escolha.

O Sr. Presidente: — Ámanhã não ha Sessão; vai-se pedir dia e hora para a Deputação se apresentar, e os Srs. nomeados serão avisados: a primeira Sessão terá logar na Sexta feira proxima, pela uma hora da tarde. A Ordem do dia será, primeiro a leitura da correspondencia, e depois a eleição das Commissões Geraes da Casa. — Está fechada a Sessão.

Tinham dado tres horas.