O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

4592 I SÉRIE-NÚMERO 108

dicados são realmente os candidatos não eleitos que devem ser chamados ao exercício de funções, considerando a ordem de precedência das respectivas listas eleitorais apresentadas a sufrágio nos concernentes círculos eleitorais.
Foram observados os preceitos regimentais e legais aplicáveis.
Finalmente, a Comissão entende proferir o seguinte parecer:

As substituições em causa são de admitir, uma vez que se encontram verificados os requisitos legais.

O presente relatório foi aprovado por unanimidade dos Deputados presentes.

A Comissão: Vice-Presidente, Mário Júlio Montalvão Machado (PSD) - Secretário: José Manuel Maia Nunes de Almeida (PCP) - Carlos Cardoso Lage (PS) - Manuel Fontes Orvalho (PS) - José Augusto Silva Marques (PSD) - Arménio dos Santos (PSD)-Daniel Abílio Ferreira Bastos (PSD) - José Mário Lemos Damião (PSD) -Leonel Santa Rita Pires (PSD)- José Manuel Mendes (PCP) - João António Gonçalves do Amaral (PCP) - Francisco Menezes Falcão (CDS) - João Corregedor da Fonseca (MDP/CDE) - Dorilo Jaime de F. Seruca Inácio (UEDS) - Manuel Cardoso Vilhena de Carvalho (ASDI).

Os Redactores: Ana Maria Marques da Cruz - Carlos Pinto da Cruz.

2 - Deputados do PS Leonel Fadigas

A Assembleia da República criou hoje a freguesia de Guia, no concelho de Pombal.
Este acto não foi um acto formal, foi a expressão de uma vontade política manifestada através da resposta a anseios antigos de populações a que as instituições democráticas, fundadas no voto popular livremente expresso, deram corpo.
A criação da freguesia de Guia resulta, assim, na sequência de iniciativas do Grupo Parlamentar do PS, desde 1979, em que se empenhou dedicadamente desde logo o então deputado Guilherme Santos, actual presidente da Câmara Municipal de Pombal, é um acto de justiça. De justiça que só a democracia torna possível, pois é feita, na ausência de pressões ou de interesses, como expressão lídima de vontades que se definem e actuam em estreita colaboração com o povo donde emanam.
As populações locais, pelo seu dinamismo, dedicação, esforço no trabalho produtivo e amor à terra, souberam criar as condições para que, a partir de hoje, possam, ainda mais, construir por suas mãos o seu futuro.
Portugal engrandece-se com o trabalho, o esforço e a dedicação dos seus filhos e a confiança sempre manifestada nos destinos da Pátria, confiança que se não desvanece, mesmo nos momentos em que alguns descrêem, como o demonstram as populações do concelho de Pombal.

PREÇO DESTE NÚMERO 197$00

IMPRENSA NACIONAL-CASA DA MOEDA