O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

1402 I SÉRIE - NÚMERO 42

Sr. Deputado António Gouveia, realizou-se, há alguns dias, um seminário para debater este assunto, mas parece-me que V. Ex.ª nesse seminário, nesse fórum, que teve lugar em Figueira de Castelo Rodrigo, não terá tido a coragem que teve hoje aqui. E não a terá tido porque, provavelmente, tinha documentos na sua pasta que lhe diziam que só para o seu concelho, de Vila Nova de Foz Côa, já estão aprovados 131 projectos, com um valor de três milhões de contos.
Sr. Deputado António Gouveia, é necessário repor a verdade, e a verdade em Portugal e também com este Governo é que aquilo que está em Vila Nova de Foz Côa é património mundial, vai ser tido como tal, e isto tem de ser preservado, quer o Sr. Deputado queira, quer não, porque é isso que querem os portugueses, os homens da cultura e o mundo inteiro.
Já agora, Sr. Deputado, faço-lhe a mesma pergunta que lhe tenho feito várias vezes. Responda hoje aqui neste Plenário: ainda é pela barragem ou é pelas gravuras?

Aplausos do PS.

O Sr. Presidente: - Para responder, tem a palavra o Sr. Deputado António Gouveia. Dispõe para o efeito de 5 minutos, como sabe.

O Sr. António Gouveia (PSD): - Sr. Presidente, Sr. Deputado Victor Moura, V. Ex.ª confundiu, como quase sempre nestas questões, entusiasmo com espírito de revolta.

Vozes do PSD: - Muito bem!

O Orador: - São duas coisas absolutamente distintas!
E o facto de V. Ex.ª se referir a toda esta problemática não é mais do que um acto de ilusionismo e de embalar toda essa conversa, porquanto tenho dúvidas se V. Ex.ª, antes de toda esta problemática, conhecia Foz Côa e o Vale do Côa.

Vozes do PSD: - Muito bem!

O Orador: - V. Ex.ª falou com um entusiasmo como nunca vi. Isso, sim, é que acho estranho! Acho estranho que agora fale com esse entusiasmo sobre toda esta problemática e sobre a juventude.
Mas vamos à juventude, Sr. Deputado. Como é que está a pousada da juventude? Os senhores conseguem ver uma pedra? Após a tomada de posse, em Outubro de 1995, o Sr. Secretário de Estado da Juventude António José Seguro foi lá 12 vezes e, em cada vez que lá foi, anunciou o que já tinha anunciado, mas em nenhuma dessas visitas viu sequer uma pedra.

Vozes do PSD: - É uma vergonha!

O Orador: - Pelo contrário, os senhores compraram o terreno, especularam e puseram lá uma tabuleta, onde se lia: «Futuras instalações da pousada da juventude». Não é assim que se protege a juventude, Sr. Deputado!

Aplausos do PSD. Protestos do PS.

Onde está todo o equipamento informático que foi prometido, a ligação à Internet e a informatização das escolas, devidos ao espírito, meritório, da juventude na defesa do património? Onde está, Sr. Deputado? Vá lá a Foz Côa e eu mostro-lhe o equipamento fornecido pela câmara municipal e a conta mensal paga pela câmara municipal, para os jovens poderem ter a ligação à Internet. Essas promessas, uns fazem-nas e nós é que as pagamos.

Vozes do PSD: - Muito bem!

O Orador: - V. Ex.ª disse que, paralelamente à decisão do Governo, gostava de ver um líder local com ambição. Sr. Deputado, antes de este Governo ser eleito, já eu tinha sido eleito, democraticamente, pelas populações, presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Foz Côa.
E depois da nova política deste Governo, Foz Côa voltou a votar PSD, o que prova claramente, e numa envolvência ainda maior na região - antes a proporção era de S/4 favorável ao PS, agora é de 7/2 -, que a política deste Governo falhou na região do Vale do Côa.

Aplausos do PSD.

Sr.ª Deputada Maria José Nogueira Pinto, quero felicitá-la pela sua intervenção. Fiquei sensibilizado com a sua preocupação sobre toda esta problemática, que não é de agora, mas de sempre. Efectivamente, todas as vezes que tive oportunidade de ouvi-la sobre esta problemática, V. Ex.ª revelou sempre bom senso e ponderação, estabelecendo um equilíbrio entre aquilo que é o embandeirar em arco com alguns excessos de entusiasmo e, em contraponto, o interesse nacional e a defesa verdadeira do património mundial.

Aplausos do PSD.

Sr. Deputado Carlos Santos, depois do que referi em relação ao pedido de esclarecimento do Sr. Deputado Victor Moura, julgo já lhe ter respondido. No entanto, lembro-lhe que o falhanço foi admitido pela Sr.ª Secretária de Estado do Desenvolvimento Regional, nesse mesmo fórum, em Figueira de Castelo Rodrigo - e. a imprensa fez eco disso -, ao dizer que nem tudo correu bem, que há muita coisa a corrigir e que, agora, outros tempos vão voltar. Mas é outra promessa, Sr. Deputado!

Vozes do PSD: - Exactamente! É outra promessa!

O Orador: - É que, perante todas estas situações referidas por V. Ex.ª, interrogo-me: onde é que estão as obras? Onde é que estão os milhões? Onde é que está o empenhamento no terreno, no local?
Quanto a esse tipo de entusiasmo, de defesa, de dizer que com um era assim e, agora, com o outro é assado, tive uma célebre frase na altura - e assumo essa responsabilidade - dizendo que queria a acumulação dos «dois prémios», o «jackpot». E nessa altura, quando foram oferecidos muitos milhões, Sr. Deputado, alguém fez batota, porque as bolas que meteram na tômbola tinham todas o número zero e nós vimos zero de investimentos na região do Vale do Côa.

Aplausos do PSD.

Páginas Relacionadas
Página 1391:
Sexta-feira, 20 de Fevereiro de 1998 I SÉRIE - NÚMERO 42 DIÁRIO da Assembleia da República,
Pág.Página 1391
Página 1392:
1392 I SÉRIE - NÚMERO 42 O Sr. Presidente: - Srs. Deputados, temos quorum, pelo que declaro
Pág.Página 1392
Página 1393:
20 DE FEVEREIRO DE 1998 1393 Álvaro dos Santos Amaro. Amândio Santa Cruz Domingues Bast
Pág.Página 1393
Página 1394:
1394 I SÉRIE-NÚMERO 42 ANTES DA ORDEM DO DIA O Sr. Presidente: - Srs. Deputados, o Sr
Pág.Página 1394
Página 1395:
20 DE FEVEREIRO DE 1998 1395 O Sr. Presidente: - Informo a Câmara que se inscreveram, para
Pág.Página 1395
Página 1396:
1396 I SÉRIE — NÚMERO 42 como muitas vezes aconteceu, de passarem a barra do Douro e fi
Pág.Página 1396
Página 1397:
20 DE FEVEREIRO DE 1998 1397 cima quando esse membro do Governo é quem tutela as Forças
Pág.Página 1397
Página 1398:
1398 I SÉRIE —NÚMERO 42 O Sr. Presidente: — Tem a palavra o Sr. Deputado Carlos Encarnaçã
Pág.Página 1398
Página 1399:
20 DE FEVEREIRO DE 1998 1399 Srs. Deputados, já que invocaram o facto de estarmos acompanha
Pág.Página 1399
Página 1400:
SÉRIE-NÚMERO 42 milhões de contos em quatro anos, dos quais 2,7 milhões se destinam à insta
Pág.Página 1400
Página 1401:
20 DE FEVEREIRO DE 1998 1401 região, aproveitando este património para o nível de desenvolv
Pág.Página 1401
Página 1403:
20 DE FEVEREIRO DE 1998 1403 O Sr. Carlos Alberto Santos. (PS): - Sr. Presidente, peç
Pág.Página 1403
Página 1404:
1404 I SÉRIE-NÚMERO 42 da Assembleia Municipal de Sever do Vouga, pelo que aos Deputado
Pág.Página 1404
Página 1405:
20 DE FEVEREIRO DE 1998 1405 Como sabem, o Governo tem valorizado o reforço das relações en
Pág.Página 1405
Página 1406:
SÉRIE - NÚMERO 42 A Sr. Ana Catarina Mendonça (PS): - Sr. Presidente, Sr.ªS e Srs. Deputado
Pág.Página 1406
Página 1407:
20 DE FEVEREIRO DE 1998 1407 O Sr. Presidente: - Tem a palavra o Sr.Deputado Nuno Abeca
Pág.Página 1407
Página 1408:
SÉRIE - NÚMERO 42 1408 de Fundação da Organização Ibero-Americana de Juventude. A impor
Pág.Página 1408
Página 1409:
20 DE FEVEREIRO DE 1998 1409 relevo para a política internacional em matéria de juventude,
Pág.Página 1409
Página 1410:
1410 I SÉRIE - NUMERO 42 revê. Romper com o consenso social que rodeia a lei actual, desequ
Pág.Página 1410
Página 1411:
20 DE FEVEREIRO DE 1998 1411 está em tentar alterar a lei do aborto por uma operação, de co
Pág.Página 1411
Página 1412:
I SÉRIE - NÚMERO 42 1412 O Orador: - E quando, no ano passado, este assunto não «passou» aq
Pág.Página 1412
Página 1413:
20 DE FEVEREIRO DE 1998 1413 sensação com que fiquei foi- e peço novamente desculpa- a
Pág.Página 1413
Página 1414:
I SÉRIE-NÚMERO 42 1414 por ele. Teremos, seguramente, algum mérito pelo facto de o ter alca
Pág.Página 1414
Página 1415:
20 DE FEVEREIRO DE 1998 1415 em causa, sim, a vontade mobilizada do povo português para col
Pág.Página 1415
Página 1416:
I SÉRIE - NÚMERO 42 1416 O Sr. Presidente: - Para uma intervenção, tem a palavra o Sc. Depu
Pág.Página 1416
Página 1417:
20 DE FEVEREIRO DE 1998 1417 que o PSD, como partido, estava condenado a dividir-se. Por is
Pág.Página 1417
Página 1418:
I SÉRIE - NÚMERO 42 1418 Orador: - A questão que se coloca nesse domínio é que, de facto, a
Pág.Página 1418
Página 1419:
20 DE FEVEREIRO DE 1998 1419 V. Ex.ª confunde tudo porque não tem resposta para dar nem à s
Pág.Página 1419
Página 1420:
SÉRIE-NUMERO 42 1420 O Sr. Presidente: - Sr.ª Deputada, não há tradição nesta. Casa de defe
Pág.Página 1420
Página 1421:
20 DE FEVEREIRO DE 1998 1421 defesa dos que sofrem e dos que têm a sua vida em risco, sejam
Pág.Página 1421
Página 1422:
SÉRIE - NUMERO 42 De qualquer modo, tem a liberdade de usar da palavra como entender, porqu
Pág.Página 1422
Página 1423:
20 DE FEVEREIRO DE 1998 1423 Sr. Presidente, Srs. Deputados: Já hoje tivemos a oportunidade
Pág.Página 1423
Página 1424:
I SÉRIE-NUMERO 42 1424 O Sr. Presidente: - Srs. Deputados, está em apreciação. Não have
Pág.Página 1424
Página 1425:
 
Pág.Página 1425
Página 1426:
1426 I SÉRIE-NÚMERO 42 Diário da republica 1 - Preço de página para venda avulso. 9$5
Pág.Página 1426