O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

1305 | I Série - Número 021 | 10 de Dezembro de 2004

 

um determinado curso se verem, a meio do mesmo, confrontados com uma alteração curricular.
Não tendo esta Assembleia qualquer intervenção na estrutura curricular dos respectivos cursos, porque se prendem directamente quer com a lei aprovada pelo Governo, quer pela autonomia que as instituições têm na formatação dos respectivos cursos, esta petição traz, no entanto, à colação um problema que nos parece candente: apreciarmos se, de facto, a formação dos Técnicos Oficiais de Contas tem ou não uma relevância determinante em termos da função pública que exercem na realidade.
O rigor e a exigência em prol de uma melhor prestação das funções cometidas aos diferentes agentes da sociedade é, por certo, um dos timbres da nossa forma de fazer política.
A petição aqui trazida resulta de uma alteração curricular na formação académica dos Técnicos Oficiais de Contas com a prestação de uma disciplina, até aqui não introduzida no currículo, chamada Projecto de Simulação Empresarial. De facto, não nos podemos debruçar sobre a pertinência da mesma, mas em sede de Comissão, tendo ouvido a defesa feita pelos representantes da Câmara dos Técnicos Oficias de Contas, não podemos deixar de estabelecer aqui um parâmetro de seriedade, de rigor e de exigência que cabe na prestação de uma profissão tão digna e tão nobre como a que acabamos de referir.
Por isso mesmo, a nossa apreciação da questão prende-se não com uma maior facilidade mas, sim, com um maior rigor que é possível exigir a quem presta esta função. Assim, a posição que subscrevemos em sede de Comissão é aquela que queremos deixar expressa, ou seja, a de total transparência no processo.

Aplausos do PSD.

O Sr. Presidente: - Srs. Deputados, não havendo mais oradores inscritos para a discussão da petição n.º 62/IX (2.ª), cumprir-se-á o que as disposições legais estipulam.
Passamos à discussão da petição n.º 80/IX (2.ª) - Apresentada por Manuel Rodrigues e outros - Balflora (Secretariado dos Baldios do distrito de Viseu) -, solicitando que a Assembleia da República adopte as medidas necessárias à reabertura do Matadouro de Viseu e ao apuramento de responsabilidades no processo de encerramento.
Para uma intervenção, tem a palavra o Sr. Deputado Miguel Ginestal.

O Sr. Miguel Ginestal (PS): - Sr. Presidente, Sr.as e Srs. Deputados: Esta petição apresentada pela Balflora, subscrita por 5003 cidadãos, vem contestar o encerramento do Matadouro de Viseu, ocorrido no dia 18 de Junho de 2003. Trata-se de um problema que não existia e que foi criado por este Governo.

O Sr. António José Seguro (PS): - Muito bem!

O Orador: - Nessa altura, o Governo prometeu compensações aos criadores pelas despesas adicionais por terem de deslocar os seus animais para centros de abate mais longínquos, como Aveiro e Oliveira do Hospital, mas nada destas promessas cumpriu.
As pequenas e médias explorações pecuárias da região estão em asfixia financeira, tendo-se verificado uma redução do efectivo pecuário da região. A Balflora defende ainda que, se é verdade que o antigo Matadouro de Viseu não tinha condições para manter a sua actividade, não é menos verdade que as entidades públicas nada fizeram para obrigar a empresa proprietária a fazer as obras necessárias no sentido de cumprir o que estava contratualizado e devidamente calendarizado.
Como nós, a Balflora não só quer o apuramento de toda a verdade como também considera prioritária a construção de um novo Matadouro de Viseu para dar resposta às dezenas de milhares de criadores de gado que têm nesta actividade não só uma parte significativa do seu rendimento familiar mas também um complemento alimentar.
Acrescentamos que, para lá das razões imperiosas de natureza económica e social, importa também salvaguardar as questões de saúde pública e do aumento dos preços para o consumidor.

O Sr. José Junqueiro (PS): - Muito bem!

O Orador: - Sr. Presidente, temos acompanhado com interesse o processo que tem sido conduzido pela Associação de Criadores de Gado da Beira Alta através do seu Presidente, o Sr. António Lopes, para viabilizar, em parceria com os criadores de gado, comerciantes, autarquias da região e Governo, a construção de um novo matadouro em Viseu. Caberá ao próximo Governo dar as mãos aos promotores locais para que este problema seja definitivamente resolvido.

Aplausos do PS.

Páginas Relacionadas
Página 1294:
Sexta-feira, 10 de Dezembro de 2004 I Série - Número 21 IX LEGISLATURA 3.ª
Pág.Página 1294
Página 1295:
Ministro da Justiça (José de Aguiar Branco), os Srs. Deputados Francisco José Martins (PSD), Jorg
Pág.Página 1295
Página 1296:
ao Decreto-Lei, foi aprovada na generalidade, na especialidade e em votação final global. Em
Pág.Página 1296
Página 1297:
1297 | I Série - Número 021 | 10 de Dezembro de 2004   O Sr. Presidente: - Sr
Pág.Página 1297
Página 1298:
1298 | I Série - Número 021 | 10 de Dezembro de 2004   João José Gago Horta
Pág.Página 1298
Página 1299:
1299 | I Série - Número 021 | 10 de Dezembro de 2004   Augusto Ernesto Santos
Pág.Página 1299
Página 1300:
1300 | I Série - Número 021 | 10 de Dezembro de 2004   Rosalina Maria Barbosa
Pág.Página 1300
Página 1301:
1301 | I Série - Número 021 | 10 de Dezembro de 2004   Assembleia da Repúblic
Pág.Página 1301
Página 1302:
1302 | I Série - Número 021 | 10 de Dezembro de 2004   O planeamento estratég
Pág.Página 1302
Página 1303:
1303 | I Série - Número 021 | 10 de Dezembro de 2004   desta Assembleia da Re
Pág.Página 1303
Página 1304:
1304 | I Série - Número 021 | 10 de Dezembro de 2004   excelente exemplo de c
Pág.Página 1304
Página 1306:
1306 | I Série - Número 021 | 10 de Dezembro de 2004   O Sr. Presidente: - Pa
Pág.Página 1306
Página 1307:
1307 | I Série - Número 021 | 10 de Dezembro de 2004   de criadores de gado j
Pág.Página 1307
Página 1308:
1308 | I Série - Número 021 | 10 de Dezembro de 2004   Aplausos do PSD e do C
Pág.Página 1308
Página 1309:
1309 | I Série - Número 021 | 10 de Dezembro de 2004   freguesia de Valbom, q
Pág.Página 1309
Página 1310:
1310 | I Série - Número 021 | 10 de Dezembro de 2004   Aplausos do PS.
Pág.Página 1310
Página 1311:
1311 | I Série - Número 021 | 10 de Dezembro de 2004   A Sr.ª Ângela Sabino (
Pág.Página 1311
Página 1312:
1312 | I Série - Número 021 | 10 de Dezembro de 2004   a matéria merece trata
Pág.Página 1312
Página 1313:
1313 | I Série - Número 021 | 10 de Dezembro de 2004   de recorrer aos advoga
Pág.Página 1313
Página 1314:
1314 | I Série - Número 021 | 10 de Dezembro de 2004   estará a advogar essas
Pág.Página 1314
Página 1315:
1315 | I Série - Número 021 | 10 de Dezembro de 2004   proposta inicial apres
Pág.Página 1315
Página 1316:
1316 | I Série - Número 021 | 10 de Dezembro de 2004   Jorge Lacão, com toda
Pág.Página 1316
Página 1317:
1317 | I Série - Número 021 | 10 de Dezembro de 2004   e funcionamento dos tr
Pág.Página 1317
Página 1318:
1318 | I Série - Número 021 | 10 de Dezembro de 2004   O Sr. Luís Marques Gue
Pág.Página 1318
Página 1319:
1319 | I Série - Número 021 | 10 de Dezembro de 2004   adoptado já no longínq
Pág.Página 1319
Página 1320:
1320 | I Série - Número 021 | 10 de Dezembro de 2004   Soviética, a unificaçã
Pág.Página 1320
Página 1321:
1321 | I Série - Número 021 | 10 de Dezembro de 2004   da União Europeia é ma
Pág.Página 1321
Página 1322:
1322 | I Série - Número 021 | 10 de Dezembro de 2004   urgentes e de que some
Pág.Página 1322
Página 1323:
1323 | I Série - Número 021 | 10 de Dezembro de 2004   de alguma forma as loc
Pág.Página 1323