O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

5265 | I Série - Número 114 | 21 de Abril de 2006

 

O Sr. Luís Marques Guedes (PSD): - Muito bem!

O Orador: - Aliás, o Sr. Primeiro-Ministro pareceu vítima deste jogo escondido do Ministro da Saúde, que andou aqui a ludibriar toda a gente.

Vozes do PSD: - Muito bem!

Protestos do PS.

O Orador: - Mas, depois do debate mensal com o Sr. Primeiro-Ministro, não há qualquer desculpa da parte do Sr. Eng.º José Sócrates. O Primeiro-Ministro deve ter honestidade intelectual, deve ter bom senso e corrigir uma decisão que se provou estar viciada,…

Aplausos do PSD.

… uma decisão que não teve justificação do Primeiro-Ministro no debate mensal.
O Sr. Primeiro-Ministro defendeu-se aqui com o número de partos. Só que veja-se o azar: maternidade do hospital de Barcelos, mais de 1000 partos e menos de 1500, encerra; maternidade do Hospital de Santo António, no Porto, mais de 1000 partos e menos de 1500, não encerra. Grande azar do Sr. Primeiro-Ministro!…

Protestos do PS.

Defendeu-se, a seguir, com a segurança e a qualidade dos serviços para as mães e para os bebés. Novo azar do Sr. Primeiro-Ministro. É que maternidade do hospital de Barcelos, Sr. Deputado Jorge Almeida - e confirme na página 25 do relatório da Comissão Nacional de Saúde Materna e Neonatal -, cumpre todas as regras exigidas por essa Comissão. Todas.

O Sr. Jorge Almeida (PS): - Não cumpre!

O Orador: - Diga-me uma.
Ao contrário, Sr. Deputado Jorge Almeida, a maternidade do hospital receptor, o de Braga, não cumpre. O bloco de partos não é contíguo à sala de partos.

O Sr. Presidente: - Queira concluir, Sr. Deputado.

O Orador: - Vou concluir, Sr. Presidente.
Por isso é que o Sr. Ministro da Saúde se riu aqui, mas agora está a fazer obras, à pressa, no hospital de São Marcos!
Sr. Deputado Jorge Almeida, sabe que, no hospital de Braga, uma epidural só pode ser feita entre as 9 e as 14 horas, mas no hospital de Barcelos, cuja maternidade vai encerrar, pode ser feita 24 horas sobre 24 horas nos 365 dias do ano?!

Vozes do PS: - Não é verdade!

O Orador: - Isto é verdade!
Srs. Deputados socialistas eleitos pelo Círculo Eleitoral de Braga e, porque não?, também Sr.as Deputadas socialistas, a decisão de encerrar as maternidades às cegas é uma decisão de má fé, é uma fraude. O que nós esperamos é que os senhores, pelo menos, tenham a coragem de dizer "não", votando contra o encerramento da maternidade do hospital de Barcelos.

Protestos do PS.

O Sr. Presidente: - Sr. Deputado, queira concluir.

O Orador: - Concluo, Sr. Presidente.
Eu sei que doeu, mas foi sério!

Aplausos do PSD.

O Sr. Nuno Teixeira de Melo (CDS-PP): - Sr. Presidente, peço a palavra.

Páginas Relacionadas
Página 5268:
5268 | I Série - Número 114 | 21 de Abril de 2006   Assim, a Assembleia da Re
Pág.Página 5268