O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

18 | I Série - Número: 017 | 24 de Novembro de 2007

O Sr. Pedro Santana Lopes (PSD): — Já não sabem mudar a cassete!

O Sr. Presidente: — Tem a palavra o Sr. Deputado Bernardino Soares.

O Sr. Bernardino Soares (PCP): — Sr. Ministro das Finanças, era melhor que ouvisse as intervenções das diversas bancadas! É que a terceira intervenção que fizemos neste debate de especialidade foi precisamente sobre essa matéria e não foi a elogiar o Governo! O que o Sr. Ministro avançou não é bem assim na realidade. Portanto, escusa de «mandar recados», provavelmente para a bancada do PS,…

Protestos do PS.

Nós interviemos sobre isso, e foi contra a posição do Governo nesta matéria.
Quanto à saúde, Sr. Ministro, o que se passa é que, até agora, o povo português já sabia que a política do Governo prejudicava o acesso ao direito à saúde e que a saúde está mais cara. Agora sabemos igualmente que até a «bandeira» do equilíbrio financeiro também era uma mentira, também era uma falsa realidade.

O Sr. Patinha Antão (PSD): — Claro!

O Sr. Bernardino Soares (PCP): — É que o Tribunal de Contas aponta para que a metodologia utilizada, designadamente nos hospitais EPE, escondeu défice e dívida. Isto é muito grave e bem demonstra que não há rigor nem há credibilidade no orçamento nem nos números que apresentam.
E escusa de nos dizer que no tempo do governo do PSD era pior, porque é uma fraca consolação para quem fala tanto em rigor e em credibilidade!

Aplausos do PCP.

O Sr. Hugo Velosa (PSD): — É verdade!

O Sr. Pedro Santana Lopes (PSD): — É isso mesmo!

O Sr. Presidente: — Não havendo mais pedidos de esclarecimento, dou a palavra ao Sr. Ministro das Finanças para responder.

O Sr. Ministro de Estado e das Finanças: — Sr. Presidente e Srs. Deputados, insisto no que há pouco disse, não tentando dar qualquer explicação ao Sr. Deputado João Semedo, porque, permita-me que lhe diga, também não acho que seja tão estúpido quanto o personagem que invoca…

O Sr. Pedro Santana Lopes (PSD): — Eh!…Sr. Presidente, isto é inaceitável!

O Sr. Ministro de Estado e das Finanças: — Não me parece que seja esse o caso, de se colocar nessa situação, porque penso que ninguém pode ser apodado desse qualificativo, Sr. Deputado.

O Sr. Pedro Santana Lopes (PSD): — Um Ministro não pode dizer isto! Isto é inaceitável!

O Sr. Ministro de Estado e das Finanças: — Deixe-me acabar, Sr. Deputado! Gostaria de referir…

Protestos do PSD, do PCP e do BE.

Tenham calma! Ouviram o que eu disse?! Tenham calma!

Páginas Relacionadas
Página 0022:
22 | I Série - Número: 017 | 24 de Novembro de 2007 O Sr. Adão Silva (PSD): — … nomeadament
Pág.Página 22