O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

67 | I Série - Número: 091 | 15 de Junho de 2009

Injustiça que só começou a ser reparada depois da Revolução de Abril, com a recuperação do estatuto de
vila, ocorrida em 3 de Julho de 1986, com a aprovação de uma iniciativa legislativa apresentada por
Deputados do PSD.
Injustiça que hoje fica totalmente reparada com a aprovação da iniciativa legislativa apresentada pelo PCP
há quase dois anos e que tive o privilégio e a honra de subscrever em primeiro lugar. Iniciativa que, quase dois
anos depois, foi secundada pelo PS e pelo PSD, saudando-se naturalmente este reconhecimento e apoio
alargado.
A Senhora da Hora cresceu muito e não são pequenos os problemas com que hoje se depara. Há que
enfrentá-los com coragem e determinação, com capacidade e vontade de construir e de fazer participar a sua
população num futuro que é sempre colectivo. Mais segurança, melhor urbanismo, mais espaços verdes
públicos, transportes com maior frequência, melhor serviço e maior comodidade, mais e melhores empregos
para a sua população, melhores serviços públicos de saúde e de educação, são entre outros os problemas de
ontem que a Senhora da Hora, agora cidade, vai ter de enfrentar. E para isso contará com os nossos eleitos
também.
Uma palavra de saudação especial aos Senhorenses e aos órgãos locais eleitos que, tendo há muito
organizado o movimento local de elevação da Senhora da Hora a cidade, foram eles também fonte de
inspiração para o projecto de lei que o PCP, desde logo, se disponibilizou a apresentar.
Uma palavra final para desejar, em nome do Grupo Parlamentar do PCP, que a nova cidade da Senhora da
Hora tenha a partir de agora capacidade e energias renovadas para enfrentar os desafios do seu futuro.

O Deputado do PCP, Honório Novo.

——

О CDS -PP congratula-se com a votação, por unanimidade, do projecto de lei n.º 707/X (4.ª), sobre a
elevação da vila de Valença, no município de Valença, distrito de Viana do Castelo, à categoria de cidade.
Este é um sinal de que o nosso projecto tinha mérito, era oportuno e era sensato.
Assim se consegue realizar uma ambição de muitos anos da população de Valença: ver esta bela
localidade do Alto Minho elevada à categoria de cidade, passando a ser a segunda cidade do distrito de Viana
do Castelo.
Este projecto de lei apresentado pelo CDS-PP veio interpretar o sentir e a ambição dos valencianos —
elevar a vila de Valença à categoria de cidade.
Valença, conjuntamente com Tui, pretende ver reconhecido pela UNESCO o seu património como
património da humanidade. Esse objectivo merecido será o próximo passo. Da nossa parte, contribuímos para
este que o concelho ambicionava, mas tudo faremos para apoiar este outro de nível internacional.
Depois de ter sido uma notável praça-forte, depois de ter sido uma das mais importantes fronteiras
terrestres, esperamos que Valença venha, no futuro, a ser um grande pólo de desenvolvimento turístico,
comercial e cultural, em benefício das suas gentes e de toda a região.
Valorizamos que o Parlamento tenha reconhecido, inequivocamente, o interesse das pessoas, instituições
e órgãos autárquicos de Valença.
Por isso, o CDS-PP regozija-se com esta votação e deseja à população da cidade de Valença os maiores
êxitos no desenvolvimento económico, social, cultural e científico.

O Deputado do CDS-PP, Abel Baptista.

——

Nota: A declaração de voto anunciada pelo Deputado Diogo Feio (CDS-PP) não foi entregue no prazo
previsto no n.º 3 do artigo 87.º do Regimento da Assembleia da República.

——

Páginas Relacionadas
Página 0040:
40 | I Série - Número: 091 | 15 de Junho de 2009 O Sr. Presidente: — Fica registado, Sr. De
Pág.Página 40