O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

138 | I Série - Número: 034 | 13 de Março de 2010

O Sr. Sérgio Sousa Pinto (PS): — Pois não, é de morrer na prisão! É uma vergonha!

A Sr.ª Heloísa Apolónia (Os Verdes): — » porque há coisas de que nunca, mas nunca, interessa falar.

O Sr. Sérgio Sousa Pinto (PS): — Tenha vergonha!

A Sr.ª Heloísa Apolónia (Os Verdes): — Tenha vergonha o senhor! Estou a falar e o Sr. Deputado fica calado! O Sr. Presidente: — Sr. Deputado Sérgio Sousa Pinto, por favor deixe a Oradora concluir.

A Sr.ª Heloísa Apolónia (Os Verdes): — Sr. Deputado Sérgio Sousa Pinto, agora falo para si: aqueles votos, como o seu, que incentivam enviesadamente ao bloqueio económico, votá-los-emos contra.

O Sr. Sérgio Sousa Pinto (PS): — É uma vergonha o que está a dizer! Está a embaraçar o Parlamento!

A Sr.ª Heloísa Apolónia (Os Verdes): — Sim, o vosso e o do PSD! Relativamente aos outros dois, abster-nos-emos porque se recusam a falar do bloqueio económico que deixa como preso político o povo cubano. Atentem e pensem nisto!

O Sr. Presidente: — Vamos votar»

O Sr. Bernardino Soares (PCP): — Sr. Presidente, peço a palavra.

O Sr. Presidente: — Faça favor, Sr. Deputado.

O Sr. Bernardino Soares (PCP): — Sr. Presidente, era para solicitar que na votação do voto n.º 27/X (1.ª), do BE, se autonomizasse o n.º 1 e no voto 33/X (1.ª), do PS, se autonomizasse a alínea a).

O Sr. Presidente: — Vamos passar às votações, começando com o voto n.º 22/X (1.ª) – De pesar pela morte do dissidente cubano Orlando Zapata Tamayo (CDS-PP).

Submetido à votação, foi aprovado com votos a favor do PS, do PSD e do CDS-PP, votos contra do PCP e abstenções do BE e de Os Verdes.

É o seguinte:

Voto n.º 22/X (1.ª) De pesar pela morte do dissidente cubano, Orlando Zapata Tamayo

A morte trágica do dissidente cubano Orlando Zapata Tamayo, de 42 anos, prisioneiro de consciência, provou mais uma vez a crueldade do regime comunista cubano e a continuada existência de presos políticos naquela ilha.
Orlando Zapata Tamayo, canalizador de profissão, pertencia a um grupo de 75 dissidentes condenados, em 2003, a penas de 18 a 25 anos de prisão por alegado desrespeito da ordem pública, desordem e resistência ao Governo. Zapata Tamayo era membro do Directório Democrático Cubano, opositor do regime fundado por Fidel Castro, e encetara uma greve de fome durante 85 dias, contestando as condições em que viviam os presos políticos, terminando na sua morte, no passado dia 23 de Fevereiro, no Hospital Hermanos Ameijeiras, em Havana.

Páginas Relacionadas
Página 0134:
134 | I Série - Número: 034 | 13 de Março de 2010 Passamos, em seguida, à apreciação de vár
Pág.Página 134
Página 0140:
140 | I Série - Número: 034 | 13 de Março de 2010 Voto n.º 31/XI (1.ª) De pesar pelo faleci
Pág.Página 140
Página 0141:
141 | I Série - Número: 034 | 13 de Março de 2010 A morte de Zapata Tamayo veio chamar a at
Pág.Página 141