O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

I SÉRIE — NÚMERO 20

48

resultado de uma ineficiência do sistema, também tem grandes encargos para os cidadãos, porque, como

sabem, Portugal está entre os três países da União Europeia em que os cidadãos, para além do que

contribuem através dos seus impostos, mais pagam, directamente, do seu bolso.

O Sr. Bernardino Soares (PCP): — E, pelos vistos, ainda vai ser pior!

A Sr.ª Teresa Caeiro (CDS-PP): — Portanto, Sr.as

e Srs. Deputados, os senhores das esquerdas não são

«donos» do património do SNS!

Vozes do CDS-PP: — Muito bem!

A Sr.ª Teresa Caeiro (CDS-PP): — Em segundo lugar, ao contrário dos senhores, nós temos a consciência

de que é necessário assegurar a sustentabilidade do SNS, temos a consciência de que é necessário acabar

com o desperdício, que se estima em 25% — foi o Tribunal de Contas que o estimou —, e o desperdício de

recursos humanos, de recursos financeiros e de equipamentos. É esta lógica que temos de inverter,

encontrando ganhos de eficiência e acabando com os desperdícios.

O Sr. Bernardino Soares (PCP): — Acabem com o dinheiro que vai para os privados!

A Sr.ª Teresa Caeiro (CDS-PP): — Nós também entendemos, ao contrário dos senhores, que deve haver

uma máxima utilização dos recursos disponíveis, desde logo dos recursos disponíveis no SNS.

A Sr.ª Presidente: — Queira terminar, Sr.ª Deputada.

A Sr.ª Teresa Caeiro (CDS-PP): — Vou já concluir, Sr.ª Presidente.

Como estava a dizer, entendemos que deve haver uma máxima utilização dos recursos disponíveis no

SNS, mas não estamos disponíveis para prejudicar um doente, e nunca estaremos, por causa de teimosias

ideológicas e de preconceitos ideológicos em relação ao sector social e ao sector privado. Nunca

prejudicaremos nenhum utente por causa disso!

Vozes do CDS-PP: — Muito bem!

O Sr. João Semedo (BE): — Isso é o que vamos ver!

A Sr.ª Teresa Caeiro (CDS-PP): — Concluiria, dizendo o seguinte:…

A Sr.ª Presidente: — Sr.ª Deputada, queira terminar.

A Sr.ª Teresa Caeiro (CDS-PP): — Apenas uma frase, Sr.ª Presidente.

A melhor maneira de homenagear o SNS é fazendo-o através das reformas que importa concretizar. E hoje

mesmo, daqui a minutos, vamos estar a aprovar medidas importantíssimas para tornar o Serviço Nacional de

Saúde mais justo, mais acessível e mais humanizado. Estou a falar de uma rede de cuidados paliativos, do

testamento vital e da medida que o Sr. Ministro, hoje, veio aqui apresentar,…

O Sr. Bruno Dias (PCP): — Aumentar as taxas moderadoras é acabar com o SNS!

A Sr.ª Teresa Caeiro (CDS-PP): — … no sentido de proporcionar o acesso facilitado, de todos os utentes,

a medicamentos genéricos, acabando, assim, com todos os expedientes que temos encontrado, nos últimos

anos, para impedir a sua entrada.

A Sr.ª Presidente: — Sr.ª Deputada, queira terminar.

Páginas Relacionadas
Página 0054:
I SÉRIE — NÚMERO 20 54 Srs. Deputados, passamos agora à votação, na g
Pág.Página 54