O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

I SÉRIE — NÚMERO 37

32

um valor «pedagógico» para que — palavras que corroboro — «os doentes tenham consciência do valor real

da saúde».

Vozes do CDS-PP: — Muito bem!

O Sr. João Serpa Oliva (CDS-PP): — Sr. Presidente, Sr.as

e Srs. Deputados: As taxas moderadoras

regulam o acesso e, simultaneamente, promovem uma melhor gestão e obtêm ganhos de eficiência, libertando

mais recursos para os que mais necessitam.

Vozes do CDS-PP: — Muito bem!

O Sr. João Serpa Oliva (CDS-PP): — Todos os Srs. Deputados sabem que cerca de 60% da população

portuguesa não paga taxas moderadoras — 60% da população portuguesa!…

Vozes do CDS-PP: — Bem lembrado!

O Sr. João Serpa Oliva (CDS-PP): — O Serviço Nacional de Saúde, mais do que nunca, tem de ter a sua

porta de entrada através do médico de família e do centro de saúde, pois só assim poderemos contribuir para

o desenvolvimento de um verdadeiro serviço integrado. E — pasme-se! — com esta nova medida quem levar

uma carta do médico de família não pagará taxa moderadora no serviço de urgência.

A Sr.ª Rita Rato (PCP): — E quem não tem médico de família?

O Sr. João Serpa Oliva (CDS-PP): — Isto é um avanço significativo.

Vozes do CDS-PP: — Muito bem!

Protestos do PCP.

O Sr. João Serpa Oliva (CDS-PP): — Por último, permitam-me que lhes revele uma conversa havida, há

15 dias, com o Dr. António Arnaut, num jantar em Coimbra. Dizia-me ele que a génese do Serviço Nacional de

Saúde estava na democracia cristã e na social-democracia…

A Sr.ª Maria Antónia Almeida Santos (PS): — É verdade!

Risos do PCP e do BE.

O Sr. João Serpa Oliva (CDS-PP): — … e que sabia que nós lutaríamos por ele até ao limite das nossas

forças. Se alguém tem dúvidas pode perguntar-lhe!

Risos do PCP.

Espero ter sido bem claro no sentido de indicar que o Grupo Parlamentar do CDS-PP não pode

acompanhar o Partido Comunista Português e o Bloco de Esquerda nestas suas iniciativas, que, em nossa

opinião, são demagógicas.

Aplausos do CDS-PP e do PSD.

O Sr. Presidente (António Filipe): — Para uma intervenção, tem a palavra o Sr. Deputado José Luís

Ferreira.

Páginas Relacionadas
Página 0039:
29 DE OUTUBRO DE 2011 39 A Sr.ª Deputada Teresa Caeiro pediu a palavra para que fei
Pág.Página 39