O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

3 DE MARÇO DE 2012

25

Também ignora a realidade das empresas, porque não é só a dívida que está em causa, Sr.ª Deputada! Só

a Carris tem um passivo de 938 milhões de euros, segundo o Plano Estratégico de Transportes; tem capitais

próprios negativos de 776 milhões de euros; e recebeu 53,9 milhões de euros em indemnizações

compensatórias,…

O Sr. Bruno Dias (PCP): — Tinha de receber mais, muito mais!

O Sr. Hélder Amaral (CDS-PP): — … pagas por todos os contribuintes portugueses, mesmo por aqueles

que não têm transportes públicos na sua região. E a Metro de Lisboa tem uma situação similar.

Portanto, não são só os juros da dívida. E a minha pergunta é esta: o que fazer perante isto? Devemos

deixar tudo como está, ou devemos olhar para a gestão das empresas, para o que é a oferta e definir muito

bem o que é o serviço de transportes públicos, que, obviamente, tem de ser um serviço pago pelos

contribuintes, porque se trata de serviços que, em condições normais, não teriam aquela frequência nem

aquele preço?

A Sr.ª Catarina Martins (BE): — O Sr. Secretário de Estado dos Transportes veio cá dizer que não!

O Sr. Hélder Amaral (CDS-PP): — O que é fundamental é olhar para este serviço como se olha para tudo

o mais: é preciso respeito pelo contribuinte português,…

O Sr. Nuno Magalhães (CDS-PP): — Muito bem!

O Sr. Hélder Amaral (CDS-PP): — … é preciso respeito pela mobilidade das pessoas e é preciso ter

respeito pelo que deve ser uma oferta razoável e útil de transportes públicos.

O Sr. Nuno Magalhães (CDS-PP): — Muito bem!

O Sr. Hélder Amaral (CDS-PP): — Tal só é possível, Sr.ª Deputada, com empresas de transporte

saudáveis e com trabalhadores satisfeitos.

Protestos da Deputada do BE Catarina Martins.

A Sr.ª Deputada disse «zero» sobre o que são os exageros que todos reconhecemos e que são culpa, não

dos funcionários, mas de uma gestão pouco cuidada dos contratos de empresa. É preciso que haja equilíbrio e

justiça na comparação entre os trabalhadores de empresas públicas de transportes e todos os outros.

O que queremos, o que o Governo quer é ter transportes públicos eficientes, bem geridos, com respeito

pelos trabalhadores e com respeito pelos seus utilizadores, e isso é feito de uma forma muito simples, Sr.ª

Deputada: através de rigor na oferta e na gestão; rigor nas indemnizações compensatórias;…

A Sr.ª Catarina Martins (BE): — É o que nós propomos! Rigor nas indemnizações compensatórias! Então,

aprovem o nosso projeto!

O Sr. Hélder Amaral (CDS-PP): — … rigor na utilização de tudo o que é a nova tecnologia da bilhética,

das várias modalidades, e rigor na subsidiação daqueles que socialmente não podem pagar. Até nisso o

Governo inovou! Ou seja, hoje não paga quem não tem condições para pagar e tem de pagar quem tem

condições para o fazer.

Protestos da Deputada do BE Catarina Martins.

Tudo isso a Sr. Deputada ignora e tudo isso está a ser feito. Percebo que o faça, porque prefere o folclore à

realidade, mas essa é uma opção do Bloco de Esquerda.

Páginas Relacionadas
Página 0029:
3 DE MARÇO DE 2012 29 O vosso Governo veio assumir, de uma forma completamente levi
Pág.Página 29
Página 0030:
I SÉRIE — NÚMERO 80 30 A coragem, a frontalidade, a determinação e a
Pág.Página 30