O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

I SÉRIE — NÚMERO 90

44

Também cá estaremos, Sr. Deputado Amadeu Albergaria, para fiscalizar a rapidez com que esta medida

será implementada, porque se trata de um imperativo moral e a sobredosagem de austeridade no País não

justifica, em nenhum contexto, este tipo de carências sociais.

Aplausos do PS.

O Sr. Presidente (António Filipe): — Para uma intervenção, tem a palavra a Sr.ª Deputada Inês Teotónio

Pereira, que ainda dispõe de 5 segundos e que vai beneficiar da indisciplina dos oradores anteriores na gestão

do tempo, pelo que terá também alguma tolerância da Mesa.

Tem a palavra, Sr.ª Deputada.

A Sr.ª Inês Teotónio Pereira (CDS-PP): — Sr. Presidente, muito obrigada.

Sr. Presidente, Srs. Deputados: Queria congratular-me pelo facto de haver consenso na Câmara para a

resolução deste problema.

O Sr. Deputado Rui Duarte acabou de dizer que o problema tinha de ser resolvido rapidamente. Mas, pelo

que o Sr. Secretário de Estado da Educação referiu na Comissão de Educação, Ciência e Cultura há algumas

semanas, este problema está a ser resolvido.

O Sr. Nuno Magalhães (CDS-PP). — Muito bem!

A Sr.ª Inês Teotónio Pereira (CDS-PP): — O Sr. Secretário de Estado disse que está em negociações

com várias empresas de alimentação de forma a conseguir alimentos para serem distribuídos nas escolas.

O que nos parece importante é que não seja só uma mera distribuição de alimentos nas escolas,…

Vozes do CDS-PP: — Muito bem!

A Sr.ª Inês Teotónio Pereira (CDS-PP): — … porque distribuir alimentos nas escolas não resolve o

problema da pobreza. O que é importante é que se olhe para os casos particulares.

O Sr. Michael Seufert (CDS-PP): — Exatamente!

Vozes do PS e do PCP: — Pois!

A Sr.ª Inês Teotónio Pereira (CDS-PP): — Existe uma rede social montada que tem de ser ativada. Foi

isso que foi dito e que foi feito com o Programa de Emergência Social,…

Protestos do PCP.

… a que os senhores chamaram de assistencialismo, de caridadezinha e por aí fora.

Protestos do PCP.

O Sr. Presidente (António Filipe): — Srs. Deputados, temos de fazer um esforço para nos ouvirmos uns

aos outros.

Queria concluir, Sr.ª Deputada.

A Sr.ª Inês Teotónio Pereira (CDS-PP): — Não sei se os Srs. Deputados sabem, mas as escolas fazem

parte das redes sociais. Os senhores não devem saber, por isso é que estão com essa excitação toda.

Tendo em conta que as escolas fazem parte das redes sociais, a resolução do problema tem de ser

integrada, não pode ser pontual. E consideramos que exatamente por a situação ser urgente é que é preciso

um projeto de resolução, tal como já aqui foi dito.

Páginas Relacionadas
Página 0036:
I SÉRIE — NÚMERO 90 36 Queria, em primeiro lugar, agradecer as várias
Pág.Página 36
Página 0037:
30 DE MARÇO DE 2012 37 A Sr.ª Heloísa Apolónia (Os Verdes): — Sr. Presidente, Sr.as
Pág.Página 37
Página 0038:
I SÉRIE — NÚMERO 90 38 Na altura da discussão do Orçamento do Estado
Pág.Página 38
Página 0039:
30 DE MARÇO DE 2012 39 estamos sobretudo a falar de repor dignidade social e humana
Pág.Página 39
Página 0040:
I SÉRIE — NÚMERO 90 40 pobreza, para chegar aos idosos de baixo rendi
Pág.Página 40
Página 0041:
30 DE MARÇO DE 2012 41 Eu, que nasci depois do 25 de abril, ouvi sempre da parte da
Pág.Página 41
Página 0042:
I SÉRIE — NÚMERO 90 42 O Sr. Presidente (António Filipe): — A
Pág.Página 42
Página 0043:
30 DE MARÇO DE 2012 43 O Sr. Amadeu Soares Albergaria (PSD): — Sr. Presidente, Srs.
Pág.Página 43
Página 0045:
30 DE MARÇO DE 2012 45 Aplausos do CDS-PP. O Sr. Presidente (António
Pág.Página 45