O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

19 DE ABRIL DE 2012

15

Todos devemos saber que um orçamento atravessa dois anos letivos e, oiçam com atenção, Srs.

Deputados, em especial do Partido Socialista, todos percebemos que o problema do passado foi exatamente

esse: gastavam apenas num ano aquilo que era suposto ser para dois anos letivos.

Vozes do PSD: — Muito bem!

O Sr. Duarte Filipe Marques (PSD): — Foi assim que chegámos até aqui e foi por isso que, em junho de

2011, não havia um tostão furado para pagar as bolsas, porque os senhores se esqueceram-se que num ano

civil existem dois anos letivos e foi essa falta de conhecimento e de responsabilidade que impediu que muitos

alunos tivessem bolsas.

O Sr. João Oliveira (PCP): — Deixe-se de conversa fiada!

O Sr. Duarte Filipe Marques (PSD): — Este Governo, convém lembrar, já abriu sete períodos de

candidaturas a bolsas, já abriu um regime especial para os estudantes do 1.º ano, já deu ordem para que os

alunos cuja família não tivesse a sua situação fiscal regularizada pudessem voltar a concorrer e a ter bolsa, já

aumentou os suplementos que permitem as residências, os transportes e todas essas benesses para alunos

com dificuldades.

E também não podemos deixar de lembrar o aumento da fiscalização a quem recebeu bolsa, pois as bolsas

são para os alunos que realmente precisam.

Protestos do PCP.

A terminar, não posso deixar de perguntar se o número de estudantes a pedir bolsa aumentou ou diminuiu

em relação ao ano passado. A bolsa média aumentou cerca de 100 € e a realidade é que este ano quem mais

precisa vai ter bolsa, porque a bolsa é para quem realmente precisa.

Aplausos do PSD e do CDS-PP.

A Sr.ª Presidente: — Para uma intervenção, tem a palavra a Sr.ª Deputada Heloísa Apolónia.

A Sr.ª Heloísa Apolónia (Os Verdes): — Sr.ª Presidente, Sr. Secretário de Estado, gostava de lhe

perguntar diretamente se é capaz, aqui, nesta Casa, de reafirmar aquilo que o Sr. Deputado Duarte Marques,

do PSD, acabou de afirmar, ou seja, que o Governo entende não pagar as bolsas devidas as estudantes por

causa da crise. Gostava de saber se o Sr. Secretário de Estado é capaz de refirmar isso…

O Sr. Duarte Filipe Marques (PSD): — Não disse isso!

A Sr.ª Heloísa Apolónia (Os Verdes): — Sim, o Sr. Deputado disse que estamos em crise, por isso…

Disse sim, Sr. Deputado!

Então, como é que o Sr. Deputado vai explicar aos estudantes o encaixe que o Governo fez de 12 000

milhões de euros na banca e, agora, vem aqui dizer, com essa suprema lata, que não tem dinheiro para bolsas

por causa da crise?!..

O Sr. Duarte Filipe Marques (PSD): — Eu não disse isso!

A Sr.ª Heloísa Apolónia (Os Verdes): — Foi o que disse! Sim, foi! Desculpe, Sr. Deputado, mas há limites

para tudo!

Aplausos do PCP.

Páginas Relacionadas
Página 0004:
I SÉRIE — NÚMERO 97 4 Srs. Deputados, passamos, agora, ao primeiro po
Pág.Página 4
Página 0005:
19 DE ABRIL DE 2012 5 Não estavam distraídos, quiseram seguir o pior da opinião púb
Pág.Página 5
Página 0006:
I SÉRIE — NÚMERO 97 6 Nem sequer está aqui em discussão a questão de
Pág.Página 6
Página 0007:
19 DE ABRIL DE 2012 7 adequados ao combate a este flagelo. Por isso mesmo, entendem
Pág.Página 7
Página 0008:
I SÉRIE — NÚMERO 97 8 Vozes do CDS-PP: — Muito bem! O S
Pág.Página 8