O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

I SÉRIE — NÚMERO 15

32

O Sr. Presidente (António Filipe): — Sr. Deputado, queira concluir, pro favor.

O Sr. Hélder Amaral (CDS-PP): — Depois, queremos continuar a encontrar soluções para aqueles que

vão continuar a resistir neste setor. Quais são as soluções que temos de encontrar? São soluções que passam

pelas variadíssimas linhas de apoio das PME Investe/QREN, são soluções para que os que possam ficar no

desemprego ou que queiram criar emprego passem a ter uma redução de 100% da taxa social única. Acho

que é possível, se houver bom senso, se houver serenidade, uma vez que estamos perto do início do debate

orçamental, encontrar soluções para esse setor como para outros no sentido de atenuar as dificuldades que

estamos a pedir aos portugueses.

Não escondo que as dificuldades são muitas e são difíceis, todos o sabemos, mas por isso é que estamos

a introduzir mecanismos aos quais chamamos — os senhores não gostam — mecanismos de sensibilidade e

ética social na austeridade e estamos a encontrar soluções de apoio à tesouraria das empresas, às linhas de

apoio à recapitalização das empresas e à criação de postos de trabalho, entre outras.

O Sr. Bernardino Soares (PCP): — É só treta!

O Sr. Hélder Amaral (CDS-PP): — Estamos disponíveis para, em sede orçamental, cuja discussão agora

começa, encontrar soluções de forma a atenuar essas dificuldades, mas não podemos, infelizmente, ser

demagógicos e irrealistas. Não nos peçam para ser isso!

Aplausos do CDS-PP.

O Sr. Presidente (António Filipe): — Relembro aos cidadãos que se encontram nas galerias a assistir à

sessão que não se podem manifestar.

Para uma nova intervenção, tem a palavra a Sr.ª Deputada Catarina Martins.

A Sr.ª Catarina Martins (BE): — Sr. Presidente, Srs. Deputados: Devo dizer que o discurso da maioria não

só é completamente absurdo como é de uma grande crueldade para com os empresários e as empresárias e

para com toda a gente que trabalha neste setor.

O Sr. Deputado Virgílio Macedo não vive neste País! Mas qual ajustamento?! Sobe a luz, sobe o gás, sobe

a alimentação… Não há margens! Então, qual é o ajustamento?! Está a brincar com as pessoas!

Sr. Deputado Hélder Amaral, não se trata de dar pancadinhas nas costas, de falar tudo e mais um par de

botas… Estes empresários, que aqui estão, não querem subsídio de desemprego, querem as suas empresas

a funcionar.

Aplausos do BE.

Não insultem as pessoas! Há mínimos! Haja clareza neste discurso!

O que está aqui em causa é uma medida que fez descer as receitas do Estado. Os impostos indiretos,

como o IVA, desceram 5%! Esta é uma medida que não tem qualquer sentido, nada há que a justifique!

Neste momento, tudo o que há é autoritarismo, autoritarismo de uma maioria que não quer voltar atrás na

asneira que fez! Estão todos a ver que fizeram asneira!

Srs. Deputados do PSD e do CDS, espero é que, depois, os senhores não vão ao restaurante, ao café, ou

à pastelaria dar pancadinhas nas costas… Não é disso que o setor precisa.

Aplausos do BE.

O Sr. Presidente (António Filipe): — Também para uma segunda intervenção, tem a palavra o Sr.

Deputado Agostinho Lopes.

Páginas Relacionadas
Página 0025:
25 DE OUTUBRO DE 2012 25 O Sr. Bernardino Soares (PCP): — … mesmo do ponto de vista
Pág.Página 25
Página 0026:
I SÉRIE — NÚMERO 15 26 conjuntamente com o projeto de resolução n.º 4
Pág.Página 26
Página 0027:
25 DE OUTUBRO DE 2012 27 O Sr. José Luís Ferreira (Os Verdes): — Sr. Presidente, Sr
Pág.Página 27
Página 0028:
I SÉRIE — NÚMERO 15 28 Meus senhores, acontece a todos. Agora, reconh
Pág.Página 28
Página 0029:
25 DE OUTUBRO DE 2012 29 É uma medida destruidora de empregos. Estes Srs. Em
Pág.Página 29
Página 0030:
I SÉRIE — NÚMERO 15 30 sido efetuado da forma mais justa e equitativa
Pág.Página 30
Página 0031:
25 DE OUTUBRO DE 2012 31 O Sr. Bernardino Soares (PCP): — Quase nem palmas t
Pág.Página 31
Página 0033:
25 DE OUTUBRO DE 2012 33 O Sr. Agostinho Lopes (PCP): — Sr. Presidente e Srs. Deput
Pág.Página 33
Página 0034:
I SÉRIE — NÚMERO 15 34 Aplausos do PCP e da Deputada do PS Isabel Alv
Pág.Página 34
Página 0035:
25 DE OUTUBRO DE 2012 35 Aplausos do PS. O Sr. Presidente (Ant
Pág.Página 35