O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

22 DE DEZEMBRO DE 2012

119

atração das freguesias contíguas, sem prejuízo da consagração de soluções diferenciadas em função de

razões de natureza histórica, cultural, social ou outras». O cumprimento desta disposição legal conduzir-nos-ia

às seguintes hipóteses:

i — A agregação teórica da freguesia de Carcavelos com a freguesia do Estoril e de Parede;

ii — A agregação teórica da freguesia de Alcabideche com a freguesia do Estoril;

iii — A agregação teórica da freguesia de Carcavelos com a freguesia de São Domingos de Rana;

iv — A agregação teórica da freguesia de Parede com a freguesia de São Domingos de Rana;

v — A agregação teórica da freguesia de Alcabideche com a freguesia de São Domingos de Rana;

vi — A agregação teórica da freguesia do Estoril com a freguesia de Parede;

vii — A agregação teórica da freguesia de Carcavelos com a freguesia de Parede.

l) As hipóteses consideradas de I a V estariam em clara violação com o disposto na alínea c) do artigo 8.º.

A opção da UTRAT recaiu sobre a hipótese VII, isto é, pela agregação da freguesia de Carcavelos com a

freguesia de Parede.

m) Em resposta ao Memorando da troica supramencionado, o atual Governo apresentou um pacote de

iniciativas legislativas denominado Documento Verde da Reforma da Administração Local que consagra um

conjunto de alterações a nível do sector empresarial local, da organização do território, da gestão municipal,

intermunicipal e financiamento e da democracia local;

n) Nesse sentido, e publicada a atual Lei n.º 49/2012, de 30 de agosto, que procede a adaptação à

administração local da Lei n.º 2/2004, de 15 de janeiro, alterada pelas Leis n.os

51/2005, de 30 de agosto, 64-

A/2008, de 31 de dezembro, 3-B/2010, de 28 de abril, e 64/2011, de 22 de dezembro, que aprova o estatuto

do pessoal dirigente dos serviços e organismos da administração central, regional e local do Estado;

o) Um diploma que visa essencialmente proceder à redução do número de cargos dirigentes nas autarquias

locais, mas que introduz um conjunto de conceitos que visam estipular o cálculo do número de dirigentes,

nomeadamente:

i — «‘População’, o total da população residente e da população em movimento pendular.»

ii — «‘População residente’, a população residente no território do município, de acordo com os dados

do último recenseamento geral da população»; no caso de Cascais 206 429;

iii — «‘População em movimento pendular’, a população em movimento pendular em deslocação para o

território do município, de acordo com os dados do último recenseamento geral da população»; no

caso de Cascais 21 778;

iv — «‘Dormidas turísticas’, as dormidas turísticas no território dos municípios, de acordo com os dados

do ano do último recenseamento geral da população.» No caso de Cascais 1 079 462.

p) A título de exemplo, o artigo 6.º consagra que «o cargo de diretor municipal apenas pode ser provido nos

municípios cuja população seja igual ou superior a 100 000»;

q) Dos 24 concelhos existentes que, de acordo com o artigo 6.º da Lei n.º 49/2012, de 29 de agosto,

poderão ter pelo menos 1 diretor municipal, ou seja, têm mais de 100 000 habitantes, apenas Cascais e Seixal

têm 6 freguesias, sendo que o Seixal possui menos 48 170 habitantes (quase o total máximo para uma

freguesia);

r) De acordo com a designação legal do conceito de população atribuído por este diploma, a população de

Cascais assume o valor total de 228 207 habitantes;

s) A população em movimento pendular em Cascais significa um acréscimo de 10,5% de indivíduos que se

deslocam ao nosso concelho com caráter de assiduidade;

t) No que concerne as dormidas turísticas em Cascais, se repartidas pelos 365 dias do ano, constituem um

acréscimo de 3000 indivíduos a mais por dia, a ter em conta no concelho de Cascais;

u) Estes dados adicionados às únicas hipóteses presumivelmente admissíveis, identificadas no

considerando K), VI e VII, ou seja, a agregação teórica das freguesias de Estoril e Parede ou a agregação

teórica das freguesias de Carcavelos e Parede, vêm também elas violar, de acordo com a Assembleia

Municipal de Cascais, o disposto na alínea c) do artigo 80.º da Lei n.º. 22/2012, de 30 de maio;

v) Da união teórica das freguesias de Estoril e Parede, resultaria num total de 48 057 habitantes, que

somando a população em movimento pendular (10,5% — 53 102) mais as designadas dormidas turísticas

(1,459% — 769) ascende aos 50 373 habitantes;

Páginas Relacionadas
Página 0106:
I SÉRIE — NÚMERO 34 106 Relativas ao projeto de lei n.º 320/XII (2.ª)
Pág.Página 106
Página 0107:
22 DE DEZEMBRO DE 2012 107 não é uma diluição de identidades. Os Depu
Pág.Página 107