O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

I SÉRIE — NÚMERO 40

28

quais são as políticas do Partido Socialista para o fomento industrial, quais são as políticas do Partido

Socialista para o turismo, quais são as políticas do Partido Socialista para o fomento mineiro.

Era isso que gostaria de ouvir e espero bem conseguir ter alguma resposta, porque em todos os debates

que fiz nesta Assembleia, seja em sede de Comissão, seja em sede de Plenário, o Partido Socialista nunca

me deu qualquer ideia que pudéssemos utilizar em conjunto.

Aplausos do PSD e do CDS-PP.

O Sr. Presidente (Guilherme Silva): — Para replicar, tem a palavra o Sr. Deputado Rui Paulo Figueiredo,

que dispõe de 1 minuto.

O Sr. Rui Paulo Figueiredo (PS): — Sr. Presidente, Sr. Ministro de Estado e da Economia, mais uma vez,

não soube explicar o que falha na política do Governo para termos zero de resultados, para termos resultados

desastrosos.

Mas está em boa companhia, porque o Sr. Ministro das Finanças e o Sr. Primeiro-Ministro também não

sabem explicar o que tem falhado sucessivamente na receita do Governo.

Vozes do PS: — Muito bem!

Protestos do PSD e do CDS-PP.

O Sr. Rui Paulo Figueiredo (PS): — A verdade é que o Governo não está à altura do desafio. Este

Governo tem falhado em tudo. Temos zero de resultados.

O Sr. Deputado Basílio Horta, há pouco, convidou-o a revisitar as atas para ver as propostas que

apresentámos. Ainda recentemente, apresentámos propostas de apoio às exportações, de captação de

investimento estrangeiro, de substituição de importações por produção de bens nacionais. Quer uma ideia, Sr.

Ministro? A ligação ferroviária do porto de Sines a Grândola Norte para que o transporte de mercadorias tenha

ligação a Espanha.

Aplausos do Deputado do PS Carlos Zorrinho.

Mas o Sr. Ministro respondeu zero ao desemprego, respondeu zero às falências, respondeu zero às

insolvências, respondeu zero aos sectores que estão a ser destruídos.

Sr. Ministro, termino perguntando-lhe o seguinte: se os resultados são zero, se este Governo não tem

políticas para o crescimento e para o emprego; se falha na execução orçamental; se a solução que o Governo

apresenta são cortes e mais cortes para os quais não tem mandato, não acha que é tempo de devolver a

palavra aos portugueses?

Aplausos do PS.

Vozes do PSD e do CDS-PP: — Ah!…

O Sr. Bernardino Soares (PCP): — Já é o segundo!

O Sr. Presidente (Guilherme Silva): — Para responder, tem a palavra o Sr. Ministro da Economia e do

Emprego.

O Sr. Ministro da Economia e do Emprego: — Sr. Presidente, Sr. Deputado Rui Paulo Figueiredo,

obrigado pelas suas questões.

Gostaria de dar os parabéns ao Partido Socialista, porque um ano depois teve uma ideia brilhante para o

desenvolvimento do País: uma linha ferroviária entre Sines e Grândola, que vai salvar o País da crise

económica!

Páginas Relacionadas
Página 0047:
12 DE JANEIRO DE 2013 47 Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias, relativ
Pág.Página 47
Página 0048:
I SÉRIE — NÚMERO 40 48 É este o sentido do nosso alerta, para além da
Pág.Página 48
Página 0049:
12 DE JANEIRO DE 2013 49 exigindo acusações particulares, exigindo constituição com
Pág.Página 49
Página 0050:
I SÉRIE — NÚMERO 40 50 Relevamos, evidentemente, o famoso processo su
Pág.Página 50
Página 0051:
12 DE JANEIRO DE 2013 51 É evidente que as reformas que aqui estão não obtiveram a
Pág.Página 51
Página 0052:
I SÉRIE — NÚMERO 40 52 O Sr. Presidente (Guilherme Silva): — Para uma
Pág.Página 52
Página 0053:
12 DE JANEIRO DE 2013 53 silêncio, à proibição da autoincriminação e até ao princíp
Pág.Página 53
Página 0054:
I SÉRIE — NÚMERO 40 54 Os senhores confundem deliberadamente estas si
Pág.Página 54
Página 0055:
12 DE JANEIRO DE 2013 55 a) 5 anos, quando se tratar de procedimento criminal que s
Pág.Página 55
Página 0056:
I SÉRIE — NÚMERO 40 56 Submetida à votação, foi rejeitada, com votos
Pág.Página 56