O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

12 DE JANEIRO DE 2013

37

percebe facilmente — em transformar Portugal numa espécie de Florida da Europa. O que é que isso quer

dizer? Quer dizer que temos um potencial instalado.

O Sr. Presidente (Guilherme Silva): — Queira fazer o favor de concluir, Sr. Deputado.

O Sr. Hélder Amaral (CDS-PP): — Termino, Sr. Presidente, referindo-me à parceria que se estabeleceu

entre o Turismo de Portugal e a Associação Portuguesa de Resorts, que é uma parceria que me parece fazer

sentido.

Sr. Ministro, para além da questão relativa ao setor mineiro, pergunto se este PENT é, nalguns aspetos,

mais realista e se o setor do turismo residencial é, ou não, estratégico. Aliás, já temos aí capacidade instalada,

em qualidade e em quantidade, que merece ser aproveitada.

Aplausos do CDS-PP e do PSD.

O Sr. Presidente (Guilherme Silva): — Para responder, tem a palavra o Sr. Ministro da Economia e do

Emprego.

O Sr. Ministro da Economia e do Emprego: — Sr. Presidente, Sr. Deputado Hélder Amaral, em relação

ao fomento mineiro, gostaria de relembrar que já assinámos quase 100 contratos e que os resultados

começam a aparecer. Só ao nível da pesquisa e prospeção de ouro sabemos que já foram identificados mais

de 3000 milhões de euros de valor.

No que se refere ao distrito pelo qual o Sr. Deputado foi eleito, nomeadamente Tabuaço, muito em breve

irei visitar o desenvolvimento mineiro da região, que se prevê que virá a dar azo a mais de 100 postos de

trabalho. Sabemos que é um desenvolvimento que terá um investimento inicial entre 15 e 20 milhões de euros

e, principalmente, sabemos que as reservas de tungsténio que existem nessa área corresponderão a um valor

entre 500 e 1000 milhões de euros.

O que se está a fazer na área é um impulso ao desenvolvimento regional e é, também, uma prova muito

concreta de que é importante e perfeitamente possível conciliar o desenvolvimento mineiro e regional com a

salvaguarda ambiental. Todos os parâmetros ambientais serão respeitados, mas não só: haverá também um

projeto turístico associado à zona. É por isso mesmo que faz todo o sentido apostar no setor mineiro.

Terei todo o gosto que o Sr. Deputado e os demais membros da Comissão de Economia me acompanhem

na visita a Tabuaço.

Em relação ao turismo residencial em concreto, é verdade que existe, neste momento, um projeto de

parceria entre o Turismo de Portugal e a Associação Portuguesa de Resorts.

Também entendemos que a promoção externa de Portugal não deve ser papel só do Turismo de Portugal,

é importante que os privados estejam presentes e que financiem também a promoção do turismo residencial,

que os próprios bancos participem na promoção do turismo residencial, dado que grande parte do património

imobiliário também está nos balanços dos bancos.

Todos nós beneficiamos com esta aposta no turismo residencial, por isso uma das grandes apostas de

2013 será a promoção interna e externa do turismo residencial. Não tenho a mínima dúvida de que o turismo

residencial assumirá cada vez mais um papel preponderante na dinamização do setor turístico em Portugal.

Aplausos do PSD e do CDS-PP.

Entretanto, reassumiu a presidência a Presidente, Maria da Assunção Esteves.

A Sr.ª Presidente: — Para formular uma pergunta, em nome do PSD, tem a palavra o Sr. Deputado Nuno

Filipe Matias.

O Sr. Nuno Filipe Matias (PSD): — Sr.ª Presidente, Sr. Ministro, antes de mais, deixo um cumprimento

especial a V. Ex.ª e à sua equipa pelo trabalho que têm vindo a desenvolver, de forma séria, estruturada e

estratégica, a fim de garantir que existe uma política económica que devolve a sustentabilidade de que,

Páginas Relacionadas
Página 0047:
12 DE JANEIRO DE 2013 47 Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias, relativ
Pág.Página 47
Página 0048:
I SÉRIE — NÚMERO 40 48 É este o sentido do nosso alerta, para além da
Pág.Página 48
Página 0049:
12 DE JANEIRO DE 2013 49 exigindo acusações particulares, exigindo constituição com
Pág.Página 49
Página 0050:
I SÉRIE — NÚMERO 40 50 Relevamos, evidentemente, o famoso processo su
Pág.Página 50
Página 0051:
12 DE JANEIRO DE 2013 51 É evidente que as reformas que aqui estão não obtiveram a
Pág.Página 51
Página 0052:
I SÉRIE — NÚMERO 40 52 O Sr. Presidente (Guilherme Silva): — Para uma
Pág.Página 52
Página 0053:
12 DE JANEIRO DE 2013 53 silêncio, à proibição da autoincriminação e até ao princíp
Pág.Página 53
Página 0054:
I SÉRIE — NÚMERO 40 54 Os senhores confundem deliberadamente estas si
Pág.Página 54
Página 0055:
12 DE JANEIRO DE 2013 55 a) 5 anos, quando se tratar de procedimento criminal que s
Pág.Página 55
Página 0056:
I SÉRIE — NÚMERO 40 56 Submetida à votação, foi rejeitada, com votos
Pág.Página 56