O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

I SÉRIE — NÚMERO 45

14

O Sr. Honório Novo (PCP): — … isto é, 1,4 pontos percentuais acima dos valores atuais das taxas pagas

pelo próprio empréstimo da troica.

O Sr. Bernardino Soares (PCP): — Exatamente!

O Sr. Honório Novo (PCP): — E o PS considera isto positivo?! O PS considera este resultado positivo?!

Como é que o Sr. Deputado Pedro Jesus Marques considera que este resultado pode ser positivo?!

Como é que o PS considera que, sendo o empréstimo contraído à troica a taxas de juros de 3,5%, 4%, seja

positivo e sustentável contrair mais dívida a taxas de juro ainda mais graves, ainda maiores?! Era preciso que

o Sr. Deputado explicasse, ou seja, como é que isto é positivo e pode ser sustentável.

Era melhor que o PS explicasse, de uma vez por todas, como é que uma operação virtual, mediática, com

o objetivo de tentar enganar os portugueses, pode ser considerada positiva pelo Partido Socialista.

Era bom que o Partido Socialista explicasse como é que o objetivo de fazer crer que a política da troica e

as políticas impostas pela ingerência externa valem a pena, podem ser positivas e sejam consideradas

positivas pelo PS.

Estará o PS empenhado em também enganar os portugueses? Estará o PS empenhado em que digam que

é possível, com as políticas da troica, resolver os problemas do País e dos portugueses? É esta a natureza

positiva da operação de regresso aos mercados na opinião do Partido Socialista?

Aplausos do PCP.

A Sr.ª Presidente: — Tem a palavra o Sr. Deputado Pedro Jesus Marques para responder.

O Sr. Pedro Jesus Marques (PS): — Sr.ª Presidente, começando por responder ao Sr. Deputado Honório

Novo, direi que o PCP vive imerso num mundo de contradições.

Protestos do PCP.

O Partido Comunista não é capaz de perceber as contradições do que diz. O Partido Comunista diz que

quer correr com a troica daqui para fora, mas quando o País, com a ajuda do Banco Central Europeu, e num

movimento europeu, começa a normalizar o regresso aos mercados o PCP também está contra.

O Sr. Bernardino Soares (PCP): — Esse é o discurso do PSD!

O Sr. Pedro Jesus Marques (PS): — Para mim está tudo dito. O PCP tanto quer a troica daqui para fora

como quer a troica em Portugal para sempre.

Aplausos do PS.

Nós avisámos que esta era uma operação sindicada e que as taxas ainda não são sustentáveis, mas quem

quer fazer de conta que não faz nenhuma diferença que a Europa comece a financiar-se nos mercados em

vez de estar dependente do financiamento da troica não está a perceber o mundo e não está a contribuir para

tirar a troica de Portugal. O PS não assume essa atitude irresponsável!

Aplausos do PS.

Protestos do PCP.

O Sr. Deputado João Pinho de Almeida veio aqui dizer que é preciso fazer muito mais, que não chega o

regresso aos mercados. Foi isso mesmo que eu disse, ou seja, é preciso crescimento económico. O Sr.

Deputado perguntou-me o que é que resolve a equação. É exatamente o regresso ao crescimento económico.

Páginas Relacionadas
Página 0025:
25 DE JANEIRO DE 2013 25 Aplausos do BE. O Sr. Presidente (Ferro Rodr
Pág.Página 25
Página 0026:
I SÉRIE — NÚMERO 45 26 de que há litígios que, envolvendo quantias su
Pág.Página 26
Página 0027:
25 DE JANEIRO DE 2013 27 Procuramos, nomeadamente, dar resposta a problemas que se
Pág.Página 27
Página 0028:
I SÉRIE — NÚMERO 45 28 aspeto determinante neste edifício — a dignifi
Pág.Página 28
Página 0029:
25 DE JANEIRO DE 2013 29 O Sr. Filipe Neto Brandão (PS): — Sr. Presidente, Sr.ª Min
Pág.Página 29
Página 0030:
I SÉRIE — NÚMERO 45 30 Também como todos bem sabemos, de projetos exp
Pág.Página 30
Página 0031:
25 DE JANEIRO DE 2013 31 Em segundo lugar, Srs. Deputados, penso que a competência
Pág.Página 31