O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

I SÉRIE — NÚMERO 100

44

Começamos por votar o voto n.º 131/XII (2.ª) — De pesar pelo falecimento do Prof. António Rosa Mendes

(PSD, CDS-PP, PCP, PS e BE), que vai ser lido pelo Sr. Secretário.

O Sr. Secretário (Duarte Pacheco): — Sr.ª Presidente e Srs. Deputados, o voto é do seguinte teor:

«António Manuel Nunes Rosa Mendes nasceu em Vila Nova de Cacela, concelho de Vila Real de Santo

António, no Algarve, a 21 de Maio de 1954. Fez o ensino secundário no Liceu Nacional de Faro, tendo-se

licenciado em História e em Direito, pela Universidade de Lisboa, respetivamente, em 1981 e 1995. Mais tarde,

graduou-se em Mestre em História Cultural e Política, em 1991, pela Universidade Nova de Lisboa, e

Doutorou-se em Historia Moderna, em 2003, pela Universidade do Algarve.

Era professor na Faculdade de Ciências Humanas e Sociais da Universidade do Algarve, tendo lecionado

as disciplinas de História da Cultura, História do Algarve e Direito do Património Cultural. Era, ainda, Diretor da

Biblioteca daquela instituição universitária, tendo sido responsável pelo Centro de Estudos de Património e

História do Algarve (CEPHA). As raízes algarvias marcaram toda a sua intervenção académica, cívica, social e

política. Foi um professor emérito, respeitado e admirado por alunos e colegas e por toda a comunidade das

suas relações, tendo contribuído para impulsionar a investigação científica em torno da História do Algarve.

Deixa em todos quantos o conheceram uma imagem de homem íntegro, culto, humanista, desprendido,

humilde, com carácter, princípios e coragem cívica.

Foi um regionalista comprometido, apaixonado pelas temáticas regionais, que lutou por uma região do

Algarve com mais poderes e autonomia administrativa e política. Além de académico e historiador, António

Rosa Mendes foi um pedagogo, poeta, jurista, editor e autor de uma vasta bibliografia.

Foi um dos fundadores da editora algarvia Gente Singular. Realizou inúmeras conferências, em Portugal e

no estrangeiro. Foi presidente da Faro, Capital Nacional da Cultura, em 2003 e 2004.

Social-democrata por opção política, foi presidente da Assembleia Municipal de Vila Real de Santo António

(1985-1989) e vereador nessa autarquia (1989-1993). Em 2011, foi mandatário distrital da candidatura do PSD

às eleições legislativas.

A 4 de Junho de 2013, António Rosa Mendes faleceu em Faro. O Algarve e o País perderam um vulto

eminente da sua cultura.

A Sr.ª Presidente: — Srs. Deputados, vamos votar o voto n.º 131/XII (2.ª), que acabou de ser lido.

Submetido à votação, foi aprovado por unanimidade.

Srs. Deputados, vamos guardar 1 minuto de silêncio.

A Câmara guardou, de pé, 1 minuto de silêncio.

Segue-se a votação do voto n.º 130/XII (2.ª) — De congratulação pela eleição de Roberto Azevêdo para

Diretor-Geral da Organização Mundial do Comércio (PSD, CDS-PP e PS).

Submetido à votação, foi aprovado por unanimidade.

É o seguinte:

Roberto Azevêdo foi nomeado Diretor-Geral da Organização Mundial de Comércio (OMC) no passado dia

14 de maio.

Atual embaixador do Brasil na OMC será o primeiro nacional de um país de língua portuguesa a assumir o

cargo de Diretor-Geral da OMC, em setembro próximo.

A sua eleição obteve o apoio de membros de todos os níveis de desenvolvimento e de todas as regiões

geográficas e permitirá o reforço do espaço lusófono no contexto internacional do comércio

Roberto Azevêdo, com um vasto e brilhante curriculum centrado em assuntos económicos e relações

internacionais, abraçou projetos tanto no Brasil como a nível internacional, como Subchefe para Assuntos

Económicos no Gabinete do Ministro de Estado das Relações Exteriores do Brasil, na Delegação do Brasil

Páginas Relacionadas
Página 0049:
8 DE JUNHO DE 2013 49 Segue-se a votação conjunta dos restantes pontos do me
Pág.Página 49
Página 0050:
I SÉRIE — NÚMERO 100 50 Portanto, não passaremos diretamente às votaç
Pág.Página 50
Página 0051:
8 DE JUNHO DE 2013 51 notícias de que no gabinete do próprio Primeiro-Ministro se e
Pág.Página 51
Página 0052:
I SÉRIE — NÚMERO 100 52 Por isso, neste momento o que está a ser feit
Pág.Página 52
Página 0053:
8 DE JUNHO DE 2013 53 Vozes do CDS-PP: — Exatamente! A Sr.ª Ce
Pág.Página 53
Página 0054:
I SÉRIE — NÚMERO 100 54 Submetido à votação, foi aprovado, com votos
Pág.Página 54