O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

10 DE OUTUBRO DE 2013

41

setor têxtil, no setor da indústria das carnes, muito localizada no concelho de Famalicão, e que tem também na

indústria do calçado, principalmente em Guimarães, um dos maiores empregadores.

Para além dessas atividades, encontramos outras, de maior intensidade tecnológica, nomeadamente: de

equipamento eletrónico, de aparelhos de rádio e televisão e de um conjunto de outras atividades associadas

ao setor automóvel, tais como o fabrico de componentes para automóveis e moldes, a injeção de plásticos, a

produção de produtos em borracha e de cablagens.

Verificamos, assim, que existe no distrito uma especialização em atividades tradicionais, intensivas em

mão-de-obra, mas também em setores tecnologicamente mais maduros, com uma aposta forte e crescente

dos vários agentes políticos e socioeconómicos da região no desenvolvimento de empresas que exigem maior

nível de qualificação, assentes no capital humano, na inovação e no conhecimento, tais como empresas de

informática, eletrónica, robótica e dispositivos médicos.

Um distrito que tem um artesanato único e de uma riqueza nacional, que lança produtos regionais a uma

escala nacional, como é o caso dos lenços dos namorados em Vila Verde, uma tradição de todo o Minho; um

distrito que tem uma oferta de mar e praia, como é o caso de Esposende, e, ao mesmo tempo, uma oferta de

desportos de montanha, desportos náuticos e de turismo rural.

Um distrito que tem uma das melhores universidades portuguesas, como é o caso da Universidade do

Minho, e um dos institutos mais prestigiados do País, como é o caso do IPCA — Instituto Politécnico do

Cávado e do Ave, situado em Barcelos; um distrito que tem o maior Laboratório Ibérico de Nanotecnologia, um

centro de investigação de excelência mundial, situado em Braga, mas hoje muito aquém daquilo para que foi

projetado e que é o seu efetivo potencial, encontrando-se a menos de metade da sua capacidade de

acolhimento de cientistas.

Um distrito que não quer ficar de fora das redes de transporte ferroviário. Felizmente, este Governo já

anunciou 110 milhões de euros de investimento na modernização da Linha do Minho, Linha que foi

abandonada pelos sucessivos Governos ao longo dos tempos. A ligação Porto/Galiza é fundamental para este

distrito. Temos e queremos fazer parte deste projeto. Cidades como Braga não podem ficar fora desta ligação,

é forçoso que este comboio, agora designado por «Celta», tenha paragem em Nine-Famalicão para fazer

ligação a Braga.

A indústria é uma presença constante em muitos dos nossos concelhos e não é por acaso que hoje

Famalicão é o terceiro maior concelho exportador do País.

Mas muito mais há a fazer neste distrito. É preciso potenciar todas estas ofertas, é preciso dinamizar a

agricultura, as florestas, o mar; é necessário afirmar o distrito na região norte de forma a torná-la também uma

região mais forte no País e até na ligação que tem à Galiza e a Espanha, mas para isso é preciso o empenho

de todos.

Os desafios são muitos, é necessário trabalhar arduamente, principalmente nesta fase difícil que o País

atravessa.

A mensagem que quero deixar a todos os autarcas, a todos os presidentes de câmara do País, em especial

aos do distrito de Braga, é que sozinhos não são suficientemente fortes para se afirmarem e potenciarem as

suas ofertas, têm de juntar esforços, sinergias, para ganharem escala, para apresentarem candidaturas ao

próximo Quadro Comunitário 2014-2020, é preciso que tenham dimensão para servir o maior número de

pessoas, um maior território e que sejam menos dispendiosas para cada um dos municípios.

Só nos resta um caminho para tornar o distrito de Braga cada vez melhor e mais influente: trabalharmos em

conjunto, dialogarmos uns com os outros e encontrarmos em conjunto as melhores soluções.

Este é o grande desafio que os autarcas têm, em especial os presidentes de câmara. Assim o façam e o

sucesso de todos será, com certeza, muito maior.

Aplausos do PSD e do CDS-PP.

A Sr.ª Presidente (Teresa Caeiro): — Para pedir esclarecimentos, tem a palavra o Sr. Deputado Isidro

Araújo.

O Sr. Isidro Araújo (PSD): — Sr.ª Presidente, Sr. Deputado Altino Bessa, queria aproveitar para, nesta

curta pergunta, elogiar o trabalho feito no distrito de Braga e os candidatos de Braga e deixar uma palavra de

Páginas Relacionadas
Página 0047:
10 DE OUTUBRO DE 2013 47 Sr.ª Presidente, Sr.as e Srs. Deputados: A presente
Pág.Página 47
Página 0048:
I SÉRIE — NÚMERO 7 48 Hoje, a Cinemateca tem dois problemas maiores.
Pág.Página 48
Página 0049:
10 DE OUTUBRO DE 2013 49 O PCP afirmou, desde primeiro momento, que não apoiaria so
Pág.Página 49
Página 0050:
I SÉRIE — NÚMERO 7 50 Por isso, em todos os Orçamentos do Estado temo
Pág.Página 50
Página 0051:
10 DE OUTUBRO DE 2013 51 empresas e no grande capital vem como que dar o benefício,
Pág.Página 51
Página 0052:
I SÉRIE — NÚMERO 7 52 Mas não se esqueça, Sr. Deputado Miguel Tiago,
Pág.Página 52
Página 0053:
10 DE OUTUBRO DE 2013 53 Mais: quando a Sr.ª Deputada disse hoje em audiência, e re
Pág.Página 53
Página 0054:
I SÉRIE — NÚMERO 7 54 A Sr.ª Catarina Martins (BE): — Vamos ve
Pág.Página 54
Página 0055:
10 DE OUTUBRO DE 2013 55 Aplausos do PCP. A Sr.ª Presidente (Teresa Ca
Pág.Página 55
Página 0056:
I SÉRIE — NÚMERO 7 56 Não sei, Sr.ª Deputada, se isto tem a ver com t
Pág.Página 56