O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

I SÉRIE — NÚMERO 17

44

O Sr. Vice-Primeiro-Ministro: — … não depender dos credores, como hoje acontece, vermo-nos livres até

dos defeitos do Memorando.

Pelo contrário, os que defendem a opção de não cumprir, os que sempre espreitam um acidente de

percurso estão a defender, mesmo que o façam involuntariamente,…

O Sr. João Oliveira (PCP): — Os senhores é que são o acidente do País!

O Sr. Vice-Primeiro-Ministro: — … a continuidade da dependência, a continuidade do vexame e a

continuidade até dos defeitos do Memorando.

Aplausos do PSD e do CDS-PP.

Surpreende que o Partido Socialista, que nos meteu nesta tortura, um certo PS que já lá vai,…

Protestos do PS.

… não perceba que chegar ao dia seguinte à troica, daqui a sete meses, é a melhor homenagem que

podemos prestar aos portugueses que foram sacrificados e humilhados neste resgate imperdoável.

Aplausos do PSD e do CDS-PP.

Entre 2011 e hoje, em certo sentido, não houve vida para além do défice; a partir de junho de 2014, haverá

vida para além da troica.

Aplausos do PSD e do CDS-PP.

É pouco? Não. Para um País obrigado a perder muito, é até quase tudo.

É por isso especialmente perturbadora a declaração do líder da oposição, segundo a qual, em junho de

2014, Portugal estará pior do que em maio de 2011. Não vou responder-lhe afirmando que, em maio de 2011,

Portugal viveu uma espécie de 1580 financeiro ou que, em junho de 2014, quando o Programa acabar e a

troica sair, poderemos viver uma espécie de 1640 financeiro. Isto seria não guardar distância nem proporções.

Aplausos do PSD e do CDS-PP.

Protestos do PS, batendo com as mãos nos tampos das bancadas.

Mas vou perguntar a quem quer ser Primeiro-Ministro: o que tem Portugal a ganhar em falhar agora? O que

têm os portugueses a ganhar em «morrer na praia» a sete meses de conseguirem objetivamente reaver

liberdade, soberania e o direito a viver normalmente?

Aplausos do PSD e do CDS-PP.

Uma estratégia que assenta na mera ideia de que Portugal desconseguiu, para usar uma palavra

maravilhosa da lusofonia, é meridianamente bizarra para quem pretende governar Portugal, presume-se que

com soberania, com liberdade e com normalidade.

Não confundam, por favor, o vosso problema, não cometer segunda vez os mesmos erros, com aquilo que

seria um verdadeiro problema para todos em Portugal: um segundo resgate!

Aplausos do CDS-PP.

Páginas Relacionadas
Página 0049:
2 DE NOVEMBRO DE 2013 49 Submetida à votação, foi aprovada, com votos a favor do PS
Pág.Página 49