O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

I SÉRIE — NÚMERO 29

42

A Sr.ª Helena Pinto (BE): — Ora!

O Sr. Secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação: — … e a nossa principal

porção, pelo que não podemos deixar ficar no ar qualquer ideia de que a principal contribuição seria para a

NATO, que, na realidade, como disse, e bem, são cerca de 20%, o que me parece muito acertado com o

nosso alinhamento de políticas internacionais.

Ao Sr. Deputado Paulo Pisco, também agradeço muito as suas contribuições e não queria, de forma

alguma, que estas intervenções quebrassem o que é histórico, que é um consenso no que toca ao essencial

entre os principais partidos do arco da governação. Por isso, não queria que estas matérias fossem fator de

divergência relativamente a esses consensos tão importantes.

Claro que o ideal seria mantermo-nos em todas estas organizações. Seria, mas sabe que hoje em dia o

momento que vivemos leva-nos a ter de fazer a arte do possível. E a arte do possível é exatamente priorizar o

que nos é importante.

A Sr.ª Helena Pinto (BE): — V. Ex.ª é um artista!

O Sr. Secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação: — Mas, Sr. Deputado, queria

descansá-lo e deixá-lo sossegado porque nada, nesta decisão, afetará o nosso prestígio internacional, a nossa

cooperação nas zonas dos PALOP e dos países da CPLP. Como sabe, há outros instrumentos que nos

conduzirão a ter aí uma cooperação tão eficaz quanto a que temos mantido. Por isso, não se preocupe,

porque não é esta decisão que poderá conduzir a qualquer situação mais frágil nessa matéria.

Quanto ao estudo, fiz chegar à Comissão, hoje de manhã, a resposta ao pedido da Comissão, pedido esse

que entrou ontem de manhã no Ministério, com todos os documentos que nos levaram a tomar esta decisão.

A Sr.ª Helena Pinto (BE): — O senhor leu?!

O Sr. Secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação: — Bom, naturalmente que

para ser tomada esta decisão é preciso ler os documentos que chegaram à Comissão, o que requer algum

tempo, o qual penso que os Srs. Deputados poderão ter, e depois de os lerem, com certeza que o vão, não

digo no todo, mas, pelo menos, em parte, partilhar e perceber melhor esta decisão.

De qualquer forma, pedirei também, por uma questão de total transparência em relação a estas matérias,

para ser distribuído pelos Srs. Deputados, não um estudo exaustivo, porque esse é o conjunto de documentos

que vos chegou, mas uma nota…

A Sr.ª Presidente (Teresa Caeiro): — Sr. Secretário de Estado, queira concluir.

O Sr. Secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação: — Vou concluir, Sr.ª

Presidente.

Como eu estava a dizer, vou pedir para que seja distribuída pelas bancadas uma nota de enquadramento

que, de uma forma mais sintética, nos permite tirar esta conclusão.

Aplausos do PSD e do CDS-PP.

A Sr.ª Helena Pinto (BE): — Peço a palavra, Sr.ª Presidente.

A Sr.ª Presidente (Teresa Caeiro): — Para que efeito, Sr.ª Deputada?

A Sr.ª Helena Pinto (BE): — Para uma interpelação à Mesa, Sr.ª Presidente.

A Sr.ª Presidente (Teresa Caeiro): — Sobre a condução dos trabalhos?

Páginas Relacionadas
Página 0047:
14 DE DEZEMBRO DE 2013 47 Vamos agora votar, conjuntamente, as alíneas c) e
Pág.Página 47
Página 0048:
I SÉRIE — NÚMERO 29 48 Submetido à votação, foi aprovado por unanimid
Pág.Página 48