O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

11 DE JANEIRO DE 2014

39

Eleito, por diversas entidades e publicações especializadas, como um dos melhore futebolistas do mundo

do século XX, Eusébio foi escolhido como o jogador de ouro pela Federação Portuguesa de Futebol,

destacando-o como o seu melhor praticante dos últimos 50 anos, no âmbito das comemorações do jubileu da

UEFA, em 2003.

Autêntica lenda do desporto português, o prestígio de Eusébio cedo superou as fronteiras nacionais. De

organismos internacionais ao mais anónimo do cidadão, Eusébio granjeou a admiração de muitos. Levou o

nome de Portugal aos quatro cantos do mundo, tendo visto o seu nome ser dado a ruas de várias localidades

por esse mundo fora, o seu nome gravado na galeria da fama em Manchester, em Inglaterra, ou as suas

pegadas no cimento da calçada da fama do Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro; iniciativas que

demonstram a admiração e respeito que granjeava no mundo inteiro, como desportista e homem.

Para Portugal e para os Portugueses, Eusébio é muito mais do que um jogador de futebol. É símbolo

nacional, é símbolo agregador da nossa memória coletiva.

Eusébio foi, Eusébio é embaixador de Portugal; um dos grandes da nação: irrepetível, marcante e

incontornável.

Nesta hora, que é mais de agradecimento e homenagem do que de despedida, a Assembleia da República

presta um merecido tributo à sua memória e endereça à sua família respeitosas e sentidas condolências.»

O Sr. Presidente (Guilherme Silva): — Para uma intervenção, tem a palavra o Sr. Deputado Luís

Montenegro.

O Sr. Luís Montenegro (PSD): — Sr. Presidente, Sr.as

e Srs. Deputados: Creio que não será fácil, no final

desta semana, acrescentar muito a tanto quanto foi dito quer em Portugal quer um pouco por todo o mundo

relativamente àquilo que foi a vida e a prestação desportiva e cívica de Eusébio.

Naturalmente que o Parlamento, como Casa onde está representada a pluralidade da vontade política do

povo português e também, com isso, todo o povo português, não poderia ficar indiferente a um acontecimento

que tanto marcou a vida do nosso País e a uma personalidade que tanto marcou, e que vai continuar a

marcar, a vida do nosso País.

Sobre as características do Eusébio enquanto desportista, o seu talento, fomos esta semana confrontados

com o reviver de grandes momentos que nos trouxeram à memória a capacidade que tivemos de, em

Portugal, ter alguém que foi o melhor entre os melhores em todo o mundo.

Por isso, o palmarés que o Sr. Presidente acabou de descrever elucida bem o fenómeno que, sobretudo na

década de 60, constituiu a afirmação de uma equipa, o Benfica, e também de uma Seleção Nacional, a

portuguesa, em todo o mundo.

Mas a vida de Eusébio conseguiu ultrapassar a fronteira do seu talento desportivo e entrar naquilo que é o

coração e a identidade de uma nação.

Objetivamente, a sua simplicidade, a sua generosidade, o seu fair play foram a alavanca que motivou o

facto de todos, independentemente das preferências clubísticas, independentemente de diferenças de opinião

noutros domínios, se aproximarem e congregarem a vontade e o orgulho de ser português em volta de uma

figura como a do Eusébio.

Não escondo que a mim, pessoalmente, de entre os vários vídeos que nesta semana foram sendo

mostrados relativamente à carreira desportiva e cívica do Eusébio, aquele que mais me marcou e que diz, do

meu ponto de vista, tudo sobre a dimensão humana desta figura, desta personalidade, foi aquele que, no final

da vitória do Benfica ao Real Madrid, na Taça dos Campeões Europeus, mostrava o Eusébio — que tinha sido

o homem do jogo, que era naquele momento, porventura, a pessoa mais idolatrada de todo o mundo

desportivo, e não só —, quando foi levado em ombros pelos adeptos do Benfica, agarrado à camisola que

trazia por dentro dos calções daquele que era o seu ídolo e que tinha sido seu adversário naquele momento.

Isto demonstra o respeito por aqueles que faziam o mesmo que ele e pela forma como o faziam,

independentemente de aquele ser um dia em que a vitória lhe tinha sorrido, a ele.

Por isso, Sr. Presidente, Sr.as

e Srs. Deputados, é que Eusébio se foi afirmando, pela sua forma de ser e

por aquilo que tinha sido também a sua carreira desportiva, como uma das marcas de Portugal e, por isso

mesmo, como diz o voto, como um «embaixador de Portugal», não só por chegar a todos os cantos do mundo,

Páginas Relacionadas
Página 0030:
I SÉRIE — NÚMERO 35 30 Também a política convoca o seu interesse. Por
Pág.Página 30
Página 0031:
11 DE JANEIRO DE 2014 31 Recordo que um dia me disse que devemos estar na po
Pág.Página 31
Página 0032:
I SÉRIE — NÚMERO 35 32 Por isso, recordo-o também dentro do meu coraç
Pág.Página 32
Página 0033:
11 DE JANEIRO DE 2014 33 infantil e aos indicadores relacionados com a morta
Pág.Página 33