O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

I SÉRIE — NÚMERO 10

54

O Sr. Deputado disse que, para o CDS, o ideal seria uma RTP sem custos, sem pessoal, mas teve a

honestidade de dizer «levada ao absurdo». Sr. Deputado, não levamos rigorosamente nada ao absurdo!

Tratamos estes assuntos com a seriedade que eles merecem.

O Sr. Deputado disse: «Estamos muito longe do CDS». E estão! Infelizmente, estão, porque a RTP, o

serviço público de rádio e televisão, merecia mais união dos partidos desta Câmara. E o CDS está empenhado

nisto, seriamente.

Vou dizer-lhe o seguinte, Sr. Deputado: tenho na minha mão um recorte de jornal do dia 27 de agosto de

2014, em que se refere que a meia coordenadora ou demi-coordenadora do Bloco Esquerda — não sei como

designá-la!? — deu uma conferência de imprensa para dizer: «Bloco de Esquerda vai levar a situação da

RTP/Porto ao Parlamento».

Depois dessa data, Sr. Deputado, tivemos oito audições com o Conselho Geral Independente da RTP.

Quantas vezes o Bloco de Esquerda falou no Centro de Produção do Norte da RTP? Zero!

Tivemos uma audição regimental com o ministro da tutela da RTP, o Dr. Miguel Poiares Maduro, com três

rondas de perguntas. Quantas vezes o Bloco de Esquerda falou da RTP/Norte? Zero!

Protestos do BE.

Tivemos uma audição com o Conselho de Administração da RTP, com três rondas de intervenção. Quantas

vezes o Bloco de Esquerda falou da RTP/Norte? Zero!

Quantas oportunidades tivemos aqui para fazer o que o CDS fez hoje, que foi trazer uma declaração

política sobre o tema da RTP e falar da RTP/Norte? Quantas vezes o Bloco de Esquerda o fez? Zero!

E prometeu-o em 27 de agosto de 2014.

Aplausos do CDS-PP.

Sr. Deputado, deixe-me que lhe diga que há, de facto, o aumento de um fosso entre o CDS, que sempre

falou na RTP/Norte em todas estas audições, que sempre olhou pelos interesses destes profissionais do norte

de Portugal e do panorama geral dos media em Portugal, e o Bloco de Esquerda resume-se a conferências de

imprensa e, depois, produz zero.

Aplausos do CDS-PP e do PSD.

A Sr.ª Presidente (Teresa Caeiro): — Com a resposta do Sr. Deputado Raúl de Almeida, fica concluído

este segundo ponto da nossa ordem de trabalhos, que consistiu em declarações políticas.

Vamos passar ao nosso terceiro ponto, que será preenchido…

O Sr. Pedro Filipe Soares (BE): — Sr.ª Presidente, permite-me o uso da palavra?

A Sr.ª Presidente (Teresa Caeiro): — Pede a palavra para que efeito, Sr. Deputado?

O Sr. Pedro Filipe Soares (BE): — Para um esclarecimento à Mesa sobre a condução dos trabalhos, Sr.ª

Presidente.

A Sr.ª Presidente (Teresa Caeiro): — Tem a palavra, Sr. Deputado.

O Sr. Pedro Filipe Soares (BE): — Sr.ª Presidente, se me permite, o meu pedido de esclarecimento —

aliás, viu-se pela resposta que nos deu o Sr. Deputado Raúl de Almeida — é no sentido de saber se quer o

trabalho dos Deputados, quer a sua atividade política se esgotam naquilo que a bancada do CDS analisa

sobre as outras bancadas ou se há um mundo de vida para além disso.

Protestos do PSD e do CDS-PP.

Páginas Relacionadas
Página 0064:
I SÉRIE — NÚMERO 10 64 A nossa preocupação continua a ser o ensino do
Pág.Página 64
Página 0065:
9 DE OUTUBRO DE 2014 65 demonstração prática da vontade dos portugueses residentes
Pág.Página 65
Página 0066:
I SÉRIE — NÚMERO 10 66 prontidão, pois perceberam que os mesmos são i
Pág.Página 66