O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

11 DE ABRIL DE 2015

51

Entre 1988 e 1995, presidiu, sucessivamente, a comissões para a reforma dos sistemas fiscal e financeiro

e foi Presidente do Conselho Económico e Social, entre 1996 e 2003.

Foi ainda candidato à Assembleia Municipal de Ourém, em 2009, integrando as listas do Partido Socialista.

Também teve uma relevante intervenção no ensino universitário, tendo sido regente de diversos cursos

anuais ou semestrais sobre integração económica, economia portuguesa, economia monetária e sistema

financeiro nas seguintes escolas superiores: Instituto Superior de Ciências Económicas e Financeiras (ISCEF),

Instituto de Ciências Sociais e Política Ultramarina, Instituto de Ciências Sociais, Faculdade de Economia da

Universidade Católica Portuguesa em Lisboa e no Porto e na Faculdade de Economia da Universidade Nova

de Lisboa.

Presidiu ao Conselho de Administração do Montepio Geral, entre 2004 e 2008.

Publicou dois livros e várias dezenas de artigos sobre questões económicas, financeiras e sociais e

contribuiu frequentemente para os meios de comunicação social com artigos, declarações, comentários e

entrevistas.

Era ainda membro, por inerência, do Conselho Consultivo do Banco de Portugal.

Foi agraciado, em 2003, pelo Sr. Presidente da República com a Grã-Cruz da Ordem de Cristo pela sua

atividade de 48 anos como economista, quase sempre ao serviço do Estado. Recebeu ainda relevantes

condecorações de Espanha, de França e do Brasil.

Sempre preocupado com o futuro do País, foi um dos subscritores do Manifesto dos 74.

Com uma enorme humildade e simplicidade, um sentido de humor muito apurado e possuindo uma elevada

cultura económica e geral, José da Silva Lopes fica como um exemplo para todos aqueles que com ele

privaram.

À família enlutada, a Assembleia da República apresenta as mais sentidas condolências.

A Sr.ª Presidente: — Srs. Deputados, vamos proceder à votação deste voto de pesar.

Submetido à votação, foi aprovado por unanimidade.

Pedia agora aos Srs. Deputados que, em nome destes três votos, guardássemos 1 minuto de silêncio.

A Câmara guardou, de pé, 1 minuto de silêncio.

Cumprimento os membros do Governo que estão a retirar-se do Plenário e vamos prosseguir com as

votações.

Passamos à votação do projeto de resolução n.º 1392/XII (4.ª) — Deslocação do Presidente da República à

Noruega (Presidente da AR).

Submetido à votação, foi aprovado por unanimidade.

Srs. Deputados, vamos proceder à votação da assunção pelo Plenário das votações, na especialidade,

realizadas em sede de Comissão, do texto final, apresentado pela Comissão de Defesa Nacional, relativo à

proposta de lei n.º 269/XII (4.ª) — Aprova a Lei de Programação das Infraestruturas Militares.

Submetida à votação, foi aprovada por unanimidade.

Passamos agora à votação final global do texto final, apresentado pela Comissão de Defesa Nacional,

relativo à referida proposta de lei.

Srs. Deputados, como sabem, esta matéria requer votação eletrónica e a aprovação por maioria absoluta

dos Deputados em efetividade de funções, nos termos da Constituição e do Regimento da Assembleia da

República.

Pausa.

Páginas Relacionadas
Página 0055:
11 DE ABRIL DE 2015 55 Se os Srs. Deputados quiserem fazer o favor de seguir este p
Pág.Página 55