O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

20 DE NOVEMBRO DE 2015

13

Para terminar, queria dizer que, perante isto, como é tradicional nesta Assembleia quando estão em causa

questões europeias, o Partido Socialista convidou o PSD a trabalhar no sentido de incorporar alterações que

atenuariam algumas destas insuficiências e omissões do projeto de resolução, mas este recusou liminarmente

qualquer possibilidade de entendimento. Ora, isso reforça a ideia de que, com este projeto de resolução, não

se pretende realmente a reafirmação de um consenso europeu, mesmo na sua expressão mínima e cada vez

mais distante, como é visível na postura radical da direita. Este projeto de resolução é simplesmente o

instrumento com o qual os partidos que integraram o PàF pretendiam vãmente demonstrar que o PS se

desviou da rota europeísta de sempre.

O Sr. Presidente: — Tem de concluir, Sr. Deputado.

O Sr. Vitalino Canas (PS): — Todavia, como diz o nosso povo — e estou a terminar, Sr. Presidente —, o

PSD e o CDS «foram buscar lã e saíram tosquiados», porque o conteúdo deste projeto de resolução e a

prática dos dois partidos nos últimos tempos apenas reforçam dúvidas sobre a sua compreensão e adesão ao

projeto europeu, tal como ele é efetivamente.

Eram os senhores que, nesta ocasião, deveriam demonstrar que o projeto europeu é um ideal para todas

as ocasiões…

O Sr. Presidente: — Sr. Deputado, peço-lhe que conclua.

O Sr. Vitalino Canas (PS): — … e não um meio circunstancial de obtenção de efeitos políticos menores. E

nisso, lamento dizer, falharam dramaticamente.

Aplausos do PS.

O Sr. Presidente: — Para pedir esclarecimentos, tem a palavra o Sr. Deputado Miguel Morgado, do PSD.

O Sr. Miguel Morgado (PSD): — Sr. Presidente, Sr. Deputado Vitalino Canas…

O Sr. Presidente: — Sr. Deputado, desculpe interrompê-lo, mas o Sr. Deputado Vitalino Canas não dispõe

de tempo para responder. Não sei se o PSD lhe cede algum tempo?

Vozes do PSD: — Não!

O Sr. Presidente: — Então, Sr. Deputado Miguel Morgado, faça favor de fazer a pergunta, que ficará no

ar…

O Sr. Miguel Morgado (PSD): — Ficará na consciência de todos os Srs. Deputados, Sr. Presidente.

Queria dirigir-me ao Sr. Deputado Vitalino Canas, que disse que o PSD e o CDS estariam aqui a perder

uma oportunidade, que não nos parece que assim seja, porque esta é uma oportunidade de clarificação que,

entretanto, se converteu numa necessidade urgente de clarificação e, com franqueza, depois de ouvir a

intervenção do Deputado Vitalino Canas, lamento constatar que a sua intervenção serviu mais para

obscurecer e menos para clarificar.

Esse momento de clarificação, para nós, é urgente, não apenas por causa dos nossos parceiros europeus

nem por causa da confiança externa de que o nosso Estado e a nossa economia dependem, mas porque, em

primeiro lugar e sobretudo, os portugueses têm o direito de saber com o que podem contar.

Vozes do PSD: — Muito bem!

O Sr. Miguel Morgado (PSD): — Nós vivemos dias em que foram oferecidas todo o tipo de interpretações

dos resultados eleitorais do dia 4 de outubro. Todavia, há uma interpretação que, julgo, ninguém pode

Páginas Relacionadas
Página 0021:
20 DE NOVEMBRO DE 2015 21 O Sr. Presidente (Jorge Lacão): — Srs. Deputados,
Pág.Página 21
Página 0022:
I SÉRIE — NÚMERO 7 22 A Sr.ª Catarina Martins (BE): — Não fica entre
Pág.Página 22
Página 0023:
20 DE NOVEMBRO DE 2015 23 É por isso que estas alterações têm de ser revogadas e é
Pág.Página 23
Página 0024:
I SÉRIE — NÚMERO 7 24 A Sr.ª Elza Pais (PS): — Tudo, tudo fize
Pág.Página 24
Página 0025:
20 DE NOVEMBRO DE 2015 25 O Sr. Ricardo Baptista Leite (PSD): — Sr. Presidente, Sr.
Pág.Página 25
Página 0026:
I SÉRIE — NÚMERO 7 26 O Sr. Presidente: — Para pedir esclareci
Pág.Página 26
Página 0027:
20 DE NOVEMBRO DE 2015 27 todas as taxas moderadoras para outros atos, como sejam a
Pág.Página 27
Página 0028:
I SÉRIE — NÚMERO 7 28 Aplausos do PS, do BE, do PCP e de Os Verdes. <
Pág.Página 28
Página 0029:
20 DE NOVEMBRO DE 2015 29 A Sr.ª Paula Santos (PCP): — Mas não ficaram por aqui. PS
Pág.Página 29
Página 0030:
I SÉRIE — NÚMERO 7 30 É justo que recordemos hoje, neste debate, a lu
Pág.Página 30
Página 0031:
20 DE NOVEMBRO DE 2015 31 O Sr. João Oliveira (PCP): — Exatamente!
Pág.Página 31
Página 0032:
I SÉRIE — NÚMERO 7 32 A Sr.ª Susana Amador (PS): — É essa visão de su
Pág.Página 32
Página 0033:
20 DE NOVEMBRO DE 2015 33 Um último aspeto, que é central neste debate, é sobre o v
Pág.Página 33
Página 0034:
I SÉRIE — NÚMERO 7 34 Aplausos do CDS-PP e do PSD.
Pág.Página 34
Página 0035:
20 DE NOVEMBRO DE 2015 35 estabilidade legislativa desvanece-se e percebemos que o
Pág.Página 35
Página 0036:
I SÉRIE — NÚMERO 7 36 Na prática, o que ocorre hoje é o pagamento de
Pág.Página 36
Página 0037:
20 DE NOVEMBRO DE 2015 37 consciência constitui uma violação grave dos direitos ind
Pág.Página 37
Página 0038:
I SÉRIE — NÚMERO 7 38 As intervenções do PSD e do CDS são reve
Pág.Página 38
Página 0039:
20 DE NOVEMBRO DE 2015 39 A Sr.ª Rita Rato (PCP): — Termino, Sr. Presidente,
Pág.Página 39
Página 0040:
I SÉRIE — NÚMERO 7 40 Aplausos do PS e do BE. O Sr. Pres
Pág.Página 40