O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

I SÉRIE — NÚMERO 20

30

E há duas perguntas que ela suscita. Em primeiro lugar, não percebemos, até hoje, se esta fuga de

informação era ou não verdadeira, porque dizia-se que tudo estava a ser preparado para o Banif ser integrado

na Caixa e o Sr. Ministro das Finanças disse que era exatamente isso que pretendia fazer nessa altura. Em

segundo lugar, não se percebe por que é que não há uma queixa, por que é que não há um processo de

averiguações e por que é que ninguém quer saber quem é que potenciou esta fuga de informação.

Vozes do CDS-PP: — Muito bem!

A Sr.ª Cecília Meireles (CDS-PP): — Não deixa de ser extraordinário que, hoje, o Bloco de Esquerda,

normalmente tão preocupado com estas questões, pareça não querer saber quem é que embarateceu aquele

Banco para alguém o comprar e quem é que está, neste momento, a defender que uma conta maior seja paga

pelos contribuintes para proteger investidores maiores.

Aplausos do CDS-PP.

Protestos do BE.

É muito curioso, Srs. Deputados! São os novos especialistas no CDS, mas parecem ter esquecido

assuntos que lhes eram muito caros. É muito, mas mesmo muito curioso!…

O Sr. Nuno Magalhães (CDS-PP): — Muito bem! O Bloco morreu e o PCP fugiu!

A Sr.ª Cecília Meireles (CDS-PP): — A segunda pergunta que fica sem resposta é esta: fica por explicar

quanto é que esta conta custaria no dia 2 de janeiro. É que, Srs. Deputados, isto não é uma questão de se

gostar ou não das regras que entram em vigor, porque estas regras vão, de facto, entrar em vigor, é uma

questão de se perceber quanto é que isto custou agora e quanto é que custaria aos contribuintes no dia 2 de

janeiro e quem pagaria a respetiva conta.

Aplausos do CDS-PP.

E, se as regras vos desagradam tanto, também importa saber o que é que vão fazer para as alterar,

porque, se calhar, também valia a pena meditarem nesse tema, já que a verdade é que elas passarão a

vigorar daqui a poucos dias.

Fica ainda por esclarecer ao abrigo de que disposição se faz a repartição de encargos de 1766 milhões

para o erário público e 489 para o sistema financeiro e qual o âmbito temporal de aquisição dessa norma. Tal

como também fica por esclarecer por que é que foi adotado este modelo de maior custo para o contribuinte, ao

contrário de outros modelos, designadamente o do BES, de menor custo para o contribuinte.

Protestos da Deputada do PS Isabel Alves Moreira.

Por último, fica ainda por esclarecer quem é que selecionou os compradores, quem é que definiu os perfis,

quem é que ordenou as seis propostas que o Estado recebeu, porque quem quer vir aqui dizer «tinha de ser

assim, não havia alternativa», então, convém que explique as outras alternativas que foram descartadas.

Mas também fica por esclarecer para onde foi o Governo que dizia que era preciso ter uma nova relação

com a Europa, ser mais interventivo, bater o pé. Pois bem, esse Governo transformou-se, afinal de contas,

num Governo bem dócil e bem disciplinado, à primeira decisão a sério que teve de enfrentar.

Aplausos do CDS-PP.

Terminaria dizendo o seguinte: Sr. Primeiro-Ministro, não se queixe da oposição, à oposição cabe

escrutinar. O Sr. Primeiro-Ministro pode é queixar-se de quem prometeu que seria maioria, tal como o Sr.

Páginas Relacionadas
Página 0036:
I SÉRIE — NÚMERO 20 36 Aplausos do PS. O Sr. Presidente
Pág.Página 36