O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

24 DE FEVEREIRO DE 2016

13

É de destacar aqui, em particular, muito em particular, a postura do PSD. Não apresenta propostas, não

vem a debate, não vem a jogo,…

O Sr. Hugo Lopes Soares (PSD): — Não vem a debate?!

A Sr.ª Mariana Mortágua (BE): — … anuncia o seu voto contra…

Protestos do PSD.

… e, embora barulhento, continua a estar sentado numa bancada à espera que apareça um árbitro

chamado Comissão Europeia que pare o jogo e que devolva à direita o direto que ela acha que é natural.

O Sr. José Manuel Pureza (BE): — Muito bem!

Protestos do PSD.

A Sr.ª Mariana Mortágua (BE): — A direita acha que tem o direito natural de governar…

Aplausos do BE e do PS.

… e está só à espera que Bruxelas lhe devolva esse direito natural de governar. Mas é bom dizer, Srs.

Deputados, que pode correr mal, porque se ficarem sentados à espera, o mais provável — e é o que

esperamos — é que este Orçamento corra bem e que as pessoas recebam os rendimentos e percebam que a

sua vida está melhor.

O Sr. António Leitão Amaro (PSD): — Era bom que corresse bem!

A Sr.ª Mariana Mortágua (BE): — E a estratégia pode correr muito mal aos Srs. Deputados, que estão só

sentados à espera que tudo corra mal.

O Sr. Hugo Lopes Soares (PSD): — Não se preocupe!

A Sr.ª Mariana Mortágua (BE): — Temos outra leitura, Sr. Ministro: achamos que o Orçamento não é um

risco para os mercados financeiros, mas os mercados financeiros são um risco para Portugal e para a

execução deste Orçamento.

O Sr. José Manuel Pureza (BE): — Muito bem!

A Sr.ª Mariana Mortágua (BE): — Achamos que o Orçamento não é um risco para Bruxelas, mas que

Bruxelas é um risco para o Orçamento e é um risco para Portugal.

Vozes do PSD: — Ah!

A Sr.ª Mariana Mortágua (BE): — Nas negociações com Bruxelas, o Sr. Ministro defendeu, e nós

acompanhamo-lo, que o cenário macroeconómico, ou seja, o consumo, o investimento, o crescimento

económico, não é independente da política orçamental que cada país adota.

O PSD vem aqui, e o CDS também, na sua política da confusão e do medo, antever o tal plano b da

austeridade.

O Sr. Sérgio Azevedo (PSD): — E qual é?!

Páginas Relacionadas
Página 0054:
I SÉRIE — NÚMERO 40 54 Aplausos do PSD. O Sr. João Gala
Pág.Página 54
Página 0055:
24 DE FEVEREIRO DE 2016 55 Sabemos por que o fizeram! Não foi por sad
Pág.Página 55
Página 0056:
I SÉRIE — NÚMERO 40 56 Aplausos do PS. Não entramos nes
Pág.Página 56
Página 0057:
24 DE FEVEREIRO DE 2016 57 Isso é aquilo a que a direita chama, suges
Pág.Página 57