O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

I SÉRIE — NÚMERO 64

32

Aplausos do PS.

E a Sr.ª Deputada sabe-o. E não vou contribuir para aquilo que parece ser um campeonato entre o PSD e o

CDS sobre quem apresenta mais medidas, sobre quem apresentou mais medidas, esse não é o nosso

campeonato.

Aplausos do PS.

Protestos do CDS-PP.

O nosso campeonato, Sr.ª Deputada, é o da eficácia das medidas.

A Sr.ª Assunção Cristas (CDS-PP): — Quais são as vossas medidas?

A Sr.ª Sónia Fertuzinhos (PS): — Por isso, as nossas medidas, Srs. Deputados — e ou eu não me expressei

bem, ou os Srs. Deputados não ouviram a minha intervenção —, e prioridades são claras. Hoje, já não é apenas

suficiente continuar a investir nas estruturas de apoio às famílias, na conciliação pelas licenças ou nos apoios

económicos.

A dimensão do desastre económico e social dos últimos quatro anos e também da crise internacional é de

tal ordem que, se não combatermos a precariedade, se não aumentarmos o rendimento das famílias, se não

garantirmos algo que as famílias nunca tiveram nos últimos quatro anos, que é estabilidade,…

Aplausos do PS.

Protestos da Deputada do CDS-PP Assunção Cristas.

… a natalidade não vai aumentar.

Termino, Sr.ª Deputada Ana Rita Bessa, dizendo-lhe o seguinte: o Partido Socialista não vai apoiar a criação

de uma comissão eventual para o acompanhamento das iniciativas sobre a família e a natalidade.

A Sr.ª Assunção Cristas (CDS-PP): — Claro! Porque não acha relevante esta matéria!

A Sr.ª Sónia Fertuzinhos (PS): — E acho, sinceramente, que o CDS deveria ter pensado um pouco antes

de fazer essa pergunta, porque o CDS, no Ministério da Segurança Social, fez parte do primeiro Governo na

nossa história democrática que nunca conseguiu implementar e pôr a funcionar qualquer estrutura na

Administração Pública ligada aos assuntos das famílias. Foi a primeira vez. Esse é o legado do CDS. O CDS

não tem, por isso, neste debate, nenhuma autoridade para exigir a esta Assembleia que faça na Assembleia

aquilo que o CDS não foi capaz de fazer no Governo.

Aplausos do PS.

Protestos da Deputada do CDS-PP Assunção Cristas.

O Sr. Presidente (José de Matos Correia): — Para uma intervenção, tem a palavra a Sr.ª Deputada Rita

Rato.

A Sr.ª Rita Rato (PCP): — Sr. Presidente, Sr.as e Srs. Deputados: No final deste debate, gostaríamos de

colocar aqui algumas questões em torno do agendamento que foi proposto a esta Casa.

Em primeiro lugar, Sr.ª Deputada Assunção Cristas, para que fique claro, da parte do PCP, reconhecemos

que a questão da baixa natalidade tem causas multifatoriais, e nunca nos ouviu dizer outra coisa. Por isso,

obviamente que existem razões de ordem económica, social e cultural.

Páginas Relacionadas
Página 0037:
6 DE MAIO DE 2016 37 O Sr. PedroMotaSoares (CDS-PP): — Sr. Presidente, Sr.as
Pág.Página 37
Página 0038:
I SÉRIE — NÚMERO 64 38 E até poderíamos ter escolhido fazer esta disc
Pág.Página 38