O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

21 DE JULHO DE 2016

57

palavra de reconhecimento aos trabalhadores e à administração do Hospital de Guimarães pelo trabalho feito

com algumas adversidades.

O Hospital de Guimarães tem mais de 20 anos e é evidente o desgaste com o passar dos anos e o uso

intensivo das instalações e dos equipamentos. Acresce a pressão populacional, pois, como se sabe, este

hospital serve não apenas Guimarães mas também Fafe, Cabeceiras de Basto, Mondim de Basto, Vizela,

Famalicão, Felgueiras e Celorico da Basto. Portanto, a pressão populacional é óbvia e é enorme.

Para além deste estado de avançado desgaste físico, quer das instalações quer dos equipamentos, é

frequente entrarmos na urgência do hospital, como há pouco disse o Sr. Deputado, e vermos pessoas nos

corredores à espera de serem internadas, pessoas em macas à espera de serem atendidas, ou pessoas à

espera que seja reparada mais uma avaria nos meios complementares de diagnóstico.

Na verdade, o CDS vem alertando para este problema há vários anos e já enfatizou, por diversas vezes, a

necessidade premente de recuperar, pelo menos no imediato, a urgência do hospital, não só fisicamente mas

também reequipando-a com mais e mais modernos equipamentos.

Não obstante o anterior Governo ter criado as condições necessárias à efetivação das obras reclamadas

pelos peticionantes, que acompanhamos, a verdade é que, quase um ano volvido, ainda nada aconteceu e as

obras no hospital resistem em começar.

Dito isto e terminando, Sr. Presidente, para cumprir o tempo de que disponho, o CDS recomenda a esta

maioria que dê corpo às promessas que não se cansa de fazer, designadamente no que toca ao milagre da

recuperação económica com a utilização dos fundos europeus, e que tome, por isso, as medidas legislativas e

administrativas necessárias à realização indispensável das obras de remodelação da urgência do Hospital de

Guimarães, quer ao nível físico quer ao nível dos equipamentos.

Aguardamos ansiosamente, com as populações, que o Hospital de Guimarães veja as suas obras realizadas.

Aplausos do CDS-PP.

O Sr. Presidente (Jorge Lacão): — Para uma intervenção, tem a palavra o Sr. Deputado José Luís Ferreira.

O Sr. José Luís Ferreira (Os Verdes): — Sr. Presidente, Sr.as e Srs. Deputados: Em primeiro lugar, em nome

de Os Verdes, saúdo os milhares de subscritores que, através desta petição, se envolveram na defesa do

Hospital de Guimarães e de todos os seus serviços, em especial os que hoje estão aqui connosco e que vieram

de tão longe para acompanhar os nossos trabalhos.

Já há muito que o Hospital da Senhora da Oliveira, em Guimarães, está a precisar de obras no serviço de

urgências, mas, apesar dos vários e constantes anúncios que foram feitos ao longo dos anos, a verdade é que

chegámos a 2016 e nada foi feito. As urgências continuam num verdadeiro caos, o espaço destinado a este

serviço continua muito reduzido, sem condições para quem nele trabalha e sem condições para os utentes, que

esperam longas horas para serem atendidos.

Recorde-se que, além da população que vive no concelho de Guimarães, este hospital ainda dá resposta às

populações de outros concelhos, como Fafe, Cabeceiras de Basto, Vizela e Mondim de Basto.

É verdade que as populações foram ao longo do tempo exigindo obras no serviço de urgência, mas, em vez

disso, o que veio pela mão do anterior Governo foi a Portaria n.º 82/2014, que desclassificava o Centro Hospitalar

do Vale do Ave, retirando-lhe serviços e especialidades.

De facto, esta portaria, a ser aplicada em toda a sua dimensão, admitia o encerramento de várias

especialidades ou, mesmo, o encerramento de blocos de parto, o que não fazia qualquer sentido, sobretudo

quando as notícias davam nota de que, em 2015, houve um aumento de partos no Hospital de Guimarães.

Fica, pois, claro que esta portaria não teve em consideração a realidade local, nem os interesses das

populações, sendo que a única preocupação do PSD e do CDS foi poupar dinheiro à custa do acesso das

pessoas aos cuidados de saúde — e isto não se passou só em Guimarães, passou-se em todo o País.

Entretanto, o novo quadro parlamentar saído das últimas eleições legislativas já tratou de revogar essa

portaria, sendo que agora é necessário dar resposta aos outros problemas com que se confronta o Hospital de

Guimarães.

Nesse sentido, Os Verdes apresentam uma iniciativa legislativa para que o Governo proceda ao início das

obras de reabilitação no serviço de urgências do Hospital de Guimarães e proceda à contratação de profissionais

Páginas Relacionadas
Página 0050:
I SÉRIE — NÚMERO 89 50 que aqui mostram uma grande apreensão e que é
Pág.Página 50
Página 0051:
21 DE JULHO DE 2016 51 condições da sua vida de trabalho. E, Sr.as e Srs. Deputados
Pág.Página 51