O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

I SÉRIE — NÚMERO 64

16

Vota contra, porque, diz, ela conduz à privatização dos serviços públicos.

Vota contra, porque ela abre as portas às negociatas das autarquias locais com os privados.

Sr.ª Deputada, para o PCP, as autarquias são empresas privadas e os autarcas são gente perigosa que se

vende aos interesses dos grandes grupos económicos.

Aplausos de Deputados do PSD.

Protestos da Deputada do PCP Rita Rato.

Sr.ª Deputada, o PCP é o campeão verbal da descentralização, mas é o último classificado na sua ação.

Na verdade, na verdade, Sr.ª Deputada, o PCP é o partido mais centralista do regime democrático português.

O Sr. João Oliveira (PCP): — O Sr. Deputado, de facto, não acrescenta nada à discussão!

O Sr. Jorge Paulo Oliveira (PSD): — Esteja à vontade, porque não estou a falar do centralismo democrático,

esse princípio leninista que, ainda hoje, faz parte do código genético do Partido Comunista Português, estou a

falar do centralismo na verdadeira aceção da palavra.

É verdade que o PCP, Sr.ª Deputada, procura disfarçar esta sua particular característica, e o projeto de lei

que hoje submete a esta Câmara é um exemplo disso mesmo.

Sr.ª Deputada, o projeto de lei do Partido Comunista Português não identifica uma competência, uma

atribuição a transferir para as autarquias locais.

Vozes do PSD e do CDS-PP: — Muito bem!

O Sr. Jorge Paulo Oliveira (PSD): — O projeto de lei do Partido Comunista Português, Sr.ª Deputada, nem

sequer é capaz de identificar um domínio, um domínio apenas, onde essa descentralização de competências

poderia acontecer.

Por isso, Sr.ª Deputada, pergunto: será hoje? Será hoje o dia em que o PCP, finalmente, nos vai elucidar

sobre estas questões? Será hoje o dia em que, porventura, Sr.ª Deputada, o País, os portugueses e os autarcas

portugueses se vão livrar da retórica comunista sobre a descentralização de competências?! É hoje esse dia,

Sr.ª Deputada?

Aplausos do PSD.

O Sr. Presidente (Jorge Lacão): — Para responder, tem a palavra a Sr.ª Deputada Paula Santos.

A Sr.ª Paula Santos (PCP): — Sr. Presidente, Sr. Deputado Jorge Paulo Oliveira, já percebemos que o PSD

não quer fazer este debate de uma forma séria.

Protestos do PSD.

Não percebeu, ou não quer perceber, a iniciativa que o PCP trouxe a debate, porque é contrária àquilo que

o PSD fez, nomeadamente quando esteve no Governo, em que, por exemplo, aprovou ou, melhor dizendo,

impôs, fez uma espécie de «pesca à linha», aos municípios a transferência de competências na área da

educação antes de verificar se as condições estavam ou não asseguradas para que se pudesse concretizar

essa transferência de competências.

A Sr.ª Rita Rato (PCP): — É isso mesmo! Exatamente!

A Sr.ª Paula Santos (PCP): — Diga lá, Sr. Deputado, se, em matéria de educação, as questões relativas ao

parque escolar, que já foram transferidas para os municípios, estão concretizadas e que meios é que foram

alocados.

Páginas Relacionadas
Página 0002:
I SÉRIE — NÚMERO 64 2 O Sr. Presidente (Jorge Lacão): — Sr.as e Srs.
Pág.Página 2
Página 0003:
17 DE MARÇO DE 2017 3 no respeito pela autonomia local, na afirmação do princípio d
Pág.Página 3
Página 0004:
I SÉRIE — NÚMERO 64 4 Esta lei é a condição para que, de imediato, se
Pág.Página 4
Página 0005:
17 DE MARÇO DE 2017 5 Para nós, esta questão é fundamental. Descentralizar é aprofu
Pág.Página 5
Página 0006:
I SÉRIE — NÚMERO 64 6 O Sr. Presidente (Jorge Lacão): — Para formular
Pág.Página 6
Página 0007:
17 DE MARÇO DE 2017 7 Não entendemos, igualmente, o que se pretende descentralizar
Pág.Página 7
Página 0008:
I SÉRIE — NÚMERO 64 8 Também na área da saúde, temos de ir mais além,
Pág.Página 8
Página 0009:
17 DE MARÇO DE 2017 9 Uma terceira questão muito breve: num processo de transferênc
Pág.Página 9
Página 0010:
I SÉRIE — NÚMERO 64 10 O Sr. Nuno Magalhães (CDS-PP): — Muito bem!
Pág.Página 10
Página 0011:
17 DE MARÇO DE 2017 11 Aplausos do PS. O Sr. Presidente (Jorge Lacão)
Pág.Página 11
Página 0012:
I SÉRIE — NÚMERO 64 12 permanecendo na esfera das políticas nacionais
Pág.Página 12
Página 0013:
17 DE MARÇO DE 2017 13 Tem a palavra, Sr. Deputado. O Sr. Pedro Soare
Pág.Página 13
Página 0014:
I SÉRIE — NÚMERO 64 14 O debate sobre a organização administrativa do
Pág.Página 14
Página 0015:
17 DE MARÇO DE 2017 15 Estamos, também, em profundo desacordo com a perspetiva de t
Pág.Página 15
Página 0017:
17 DE MARÇO DE 2017 17 O Sr. João Oliveira (PCP): — Muito bem! A Sr.ª
Pág.Página 17
Página 0018:
I SÉRIE — NÚMERO 64 18 A Sr.ª Paula Santos (PCP): — … mas temos de ol
Pág.Página 18
Página 0019:
17 DE MARÇO DE 2017 19 Sr.as e Srs. Deputados, conforme já referimos anteriormente,
Pág.Página 19
Página 0020:
I SÉRIE — NÚMERO 64 20 forma calamitosa; foi ensaiada uma falsa desce
Pág.Página 20
Página 0021:
17 DE MARÇO DE 2017 21 O Sr. André Silva (PAN): — Sr. Presidente, Sr. Ministro, Srs
Pág.Página 21
Página 0022:
I SÉRIE — NÚMERO 64 22 Por isso, temos de confiar, de forma prudente
Pág.Página 22
Página 0023:
17 DE MARÇO DE 2017 23 Para além disso, há decisões políticas em certos setores, qu
Pág.Página 23
Página 0024:
I SÉRIE — NÚMERO 64 24 República e que, depois do debate na generalid
Pág.Página 24
Página 0025:
17 DE MARÇO DE 2017 25 Por último, o equilíbrio, pela inabalável e imprescindível s
Pág.Página 25
Página 0026:
I SÉRIE — NÚMERO 64 26 O Sr. Presidente (Jorge Lacão): — Também para
Pág.Página 26
Página 0027:
17 DE MARÇO DE 2017 27 Aplausos do PS. Sr. Presidente, Sr.as e Srs. D
Pág.Página 27
Página 0028:
I SÉRIE — NÚMERO 64 28 Vozes do PSD: — É verdade! O Sr.
Pág.Página 28
Página 0029:
17 DE MARÇO DE 2017 29 O Sr. Luís Montenegro (PSD): — É o desafio que daqui lanço,
Pág.Página 29