O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

18 DE JANEIRO DE 2018

11

sucesso escolar mostram que os alunos que fizeram exames no 6.º ano e que tiveram metas curriculares tiveram

um bom desempenho nos exames do 9.º ano. E é isto que, afinal, todos desejamos.

Aplausos do CDS-PP.

O Sr. Presidente: — Tem a palavra o Sr. Deputado Porfírio Silva.

O Sr. Porfírio Silva (PS): — Sr. Presidente, Sr.ª Deputada Ana Rita Bessa, o tema que o CDS-PP escolheu

para interpelar o Governo hoje é obviamente um tema relevante e, por isso, saudamos o CDS-PP.

A Sr.ª Deputada Ana Rita Bessa é uma Deputada sempre interveniente, informada e interessada por estas

matérias e, obviamente, mesmo quando não estamos de acordo, é importante que possamos discutir estas

matérias.

A Sr.ª Deputada enunciou, na sua intervenção inicial, um leque bastante alargado de questões que são

relevantes em matéria educativa. Eu tinha várias outras perguntas para lhe fazer, mas, como isso não é possível

nesta fase, fá-las-emos noutros momentos do debate. No entanto, sobre duas matérias específicas que

mencionou, queria fazer-lhe perguntas concretas, porque também é importante perceber isso para podermos

continuar este debate.

Sr.ª Deputada, em primeiro lugar, a questão da avaliação. É sabido que este Governo e esta maioria

parlamentar fizeram mudanças relevantes em matéria de avaliação, designadamente acabámos com exames

precoces, a saber, um exame no 4.º ano que praticamente nenhum país civilizado, além de Portugal, tinha e

introduzimos as provas de aferição em anos que consideramos importantes para que não se deixem acumular

as dificuldades de aprendizagem dos alunos e para que se possa interferir e melhorar atempadamente.

Nessa altura, quando este processo começou, o CDS e, designadamente, a Sr.ª Deputada falavam desta

matéria como sendo uma estratégia de facilitismo, ao dizerem que a estratégia deste Governo e desta maioria

era de facilitismo, era a de acabar com o rigor. Depois, mudou. Há algum tempo, já dizia que, afinal, os resultados

da avaliação denotavam grandes dificuldades por parte dos alunos.

Portanto, ficamos sem perceber se é facilitismo e não é para avaliar nada, ou se, afinal, é para encontrar

dificuldades e para lhes poder dar resposta. E este aspeto de lhes dar resposta é muito importante. Foi há pouco

tempo indicado que, quer os relatórios individuais das provas de aferição (RIPA) quer os relatórios de escola

das provas de aferição (REPA), estão a ter resultados muito importantes. Porquê? Porque as escolas, os

professores e os alunos estão a reagir, estão a modificar as suas estratégias, estão a modificar as suas práticas,

estão a modificar os seus recursos para dar resposta às dificuldades que foram indicadas.

Gostava de saber se, perante isto, a Sr.ª Deputada passou a valorizar o facto de a avaliação não ser para

selecionar, não ser para excluir, não ser para atirar para fora do sistema, mas ser para recuperar, ser para

enfrentar, ser para resolver, ser para melhorar.

Esta é uma pergunta muito concreta: o CDS está ou não a acompanhar a quantidade enorme de trabalho

que as escolas estão a fazer para aproveitar a aferição, para melhorar a resposta do sistema às dificuldades

dos alunos?

A outra pergunta muito concreta, Sr.ª Deputada, é sobre outra matéria a que a Sr.ª Deputada fez uma

referência na sua intervenção inicial, mas sobre a qual não disse nada de concreto: professores. O CDS repete,

variadas vezes, apesar daquilo que fez no passado quanto aos professores, que é preciso — e nós também

concordamos — valorizar os professores. Mas, Sr.ª Deputada, sobre aquilo que agora se está a discutir e que

agora está a ser decidido, o que queríamos saber, em concreto, é quais são as propostas do CDS relativamente

aos professores. É que o CDS não pode ficar por essa técnica, essa tática de falar dos professores só para

afixar a etiqueta e, depois, não dizer em concreto o que quer que se faça.

São duas perguntas muito concretas, que, penso, fazem jus à importância do tema e à relevância que o CDS

pode ter nestas matérias, embora estejamos muitas vezes de acordo quanto às respostas.

Aplausos do PS.

O Sr. Presidente: — Para responder, tem a palavra a Sr.ª Deputada Ana Rita Bessa.

Páginas Relacionadas
Página 0003:
18 DE JANEIRO DE 2018 3 médicos (BE), 1238/XIII (3.ª) — Recomenda ao Governo que pr
Pág.Página 3
Página 0004:
I SÉRIE — NÚMERO 36 4 Chegados ao 7.º ano, 60% dos alunos que chumbam
Pág.Página 4
Página 0005:
18 DE JANEIRO DE 2018 5 sobre a dimensão de turmas e encomendado pelo Ministério ao
Pág.Página 5
Página 0006:
I SÉRIE — NÚMERO 36 6 Sabemos que na política, ainda menos na educaçã
Pág.Página 6
Página 0007:
18 DE JANEIRO DE 2018 7 o pré-escolar não era uma prioridade, nem no discurso nem n
Pág.Página 7
Página 0008:
I SÉRIE — NÚMERO 36 8 Aplausos do PS. O Sr. Presidente:
Pág.Página 8
Página 0009:
18 DE JANEIRO DE 2018 9 E aquilo que nos preocupa é perceber se está, ou não, a hav
Pág.Página 9
Página 0010:
I SÉRIE — NÚMERO 36 10 A este propósito, os recentes dados do indicad
Pág.Página 10
Página 0012:
I SÉRIE — NÚMERO 36 12 A Sr.ª Ana Rita Bessa (CDS-PP): — Sr. Presiden
Pág.Página 12
Página 0013:
18 DE JANEIRO DE 2018 13 O Sr. Porfírio Silva (PS): — Responda às perguntas sobre a
Pág.Página 13
Página 0014:
I SÉRIE — NÚMERO 36 14 Uma escola privada escreveu-nos também o segui
Pág.Página 14
Página 0015:
18 DE JANEIRO DE 2018 15 reforçar a ação social escolar, é urgente combater a degra
Pág.Página 15
Página 0016:
I SÉRIE — NÚMERO 36 16 Atendendo a que não foi registado nenhum inves
Pág.Página 16
Página 0017:
18 DE JANEIRO DE 2018 17 da carência de assistentes operacionais, que está a coloca
Pág.Página 17
Página 0018:
I SÉRIE — NÚMERO 36 18 cancerígenas. A sua cancerigenocidade não é ap
Pág.Página 18
Página 0019:
18 DE JANEIRO DE 2018 19 Protestos do Deputado do PSD Duarte Filipe Marques.
Pág.Página 19
Página 0020:
I SÉRIE — NÚMERO 36 20 Também queria referir que, pela informação de
Pág.Página 20
Página 0021:
18 DE JANEIRO DE 2018 21 Protestos do PSD. … ao virem hoje falar de pr
Pág.Página 21
Página 0022:
I SÉRIE — NÚMERO 36 22 Quero agora falar-lhe dos cursos profissionais
Pág.Página 22
Página 0023:
18 DE JANEIRO DE 2018 23 uma efetiva resposta a todas as crianças e a todos os jove
Pág.Página 23
Página 0024:
I SÉRIE — NÚMERO 36 24 Aplausos do PSD. O Sr. Pr
Pág.Página 24
Página 0025:
18 DE JANEIRO DE 2018 25 O Sr. Ministro da Educação: — Há três questões que
Pág.Página 25
Página 0026:
I SÉRIE — NÚMERO 36 26 O Sr. Álvaro Batista (PSD): — Sr. Presi
Pág.Página 26
Página 0027:
18 DE JANEIRO DE 2018 27 Matemática. Aqueles que não tiverem dinheiro para pagar ex
Pág.Página 27
Página 0028:
I SÉRIE — NÚMERO 36 28 O projeto, deste lado, é outro: no Bloco de Es
Pág.Página 28
Página 0029:
18 DE JANEIRO DE 2018 29 A Sr.ª IldaAraújoNovo (CDS-PP): — Sr. Presidente, Sr. Mini
Pág.Página 29
Página 0030:
I SÉRIE — NÚMERO 36 30 como um modelo responsável, financeiramente su
Pág.Página 30
Página 0031:
18 DE JANEIRO DE 2018 31 Dessa forma, irá prosseguir-se o alargamento da rede de co
Pág.Página 31
Página 0032:
I SÉRIE — NÚMERO 36 32 Sr.as e Srs. Deputados, para o PS, o direito à
Pág.Página 32
Página 0033:
18 DE JANEIRO DE 2018 33 Regredimos no sistema de avaliação externa. Mais de dois a
Pág.Página 33
Página 0034:
I SÉRIE — NÚMERO 36 34 O Sr. João Oliveira (PCP): — Exatamente! <
Pág.Página 34
Página 0035:
18 DE JANEIRO DE 2018 35 Relembro-a só que esse descongelamento existe porque houve
Pág.Página 35
Página 0036:
I SÉRIE — NÚMERO 36 36 do Governo sobre os referidos dados e o tratam
Pág.Página 36
Página 0037:
18 DE JANEIRO DE 2018 37 aquecimento nas escolas, o Sr. Ministro acha que as questõ
Pág.Página 37
Página 0038:
I SÉRIE — NÚMERO 36 38 Aplausos do PS. O Sr. Dua
Pág.Página 38
Página 0039:
18 DE JANEIRO DE 2018 39 quem a dispensa apenas para que o ruído que emite seja mai
Pág.Página 39