O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

I SÉRIE — NÚMERO 36

4

Chegados ao 7.º ano, 60% dos alunos que chumbam têm seis ou mais negativas e mais de metade dos

alunos do escalão A da Ação Social Escolar (ASE) têm negativa a Matemática, por comparação a 25% dos que

não precisam de apoio do Estado.

Mas também há, felizmente, números de sucesso, resultado, como veremos, de políticas anteriores frutuosas

e que este Governo precocemente abandonou, na ânsia de tudo mudar sem esperar para ver.

Soubemos recentemente que a percentagem de alunos do 9.º ano que, sem chumbos no seu percurso, teve

nota positiva nos exames aumentou, no ano letivo passado, para 46%. Esta melhoria de resultados é dos alunos

que entraram para o 7.º ano em 2014/2015, que fizeram exames no 6.º ano e que aprenderam já com as metas

curriculares, e estes resultados convergem com a melhoria também no PISA (Programme for International

Student Assessment).

Por fim, no ensino secundário, os dados mostram uma realidade semelhante à do 9.º ano. No ano letivo

passado, a percentagem de percursos diretos de sucesso aumentou para 42%. Ao mesmo tempo, sabemos que

metade dos alunos não consegue completar o secundário em três anos e que 35% abandona a escola dois anos

depois.

Para este problema, o ensino profissional, enquanto escolha, é uma solução de consenso, na qual, ainda há

poucos dias, o Sr. Primeiro-Ministro disse apostar. Acontece que o Ministério da Educação informou as escolas

públicas, no final de dezembro, que não haveria financiamento para os cursos profissionais e ainda não pagou

às escolas privadas as verbas de 2017.

O Governo parece entender que a política educativa se esgota em anúncios, em declarações inflamadas de

apostas.

O Sr. Duarte Filipe Marques (PSD): — Muito bem!

A Sr.ª Ana Rita Bessa (CDS-PP): — Mas, apostar sem pagar, mais não é do que enganar e compromete,

sem honrar, a palavra dada.

Aplausos do CDS-PP e do PSD.

Sr. Presidente, Sr.as e Srs. Deputados: Estes dados permitem avaliar, objetivamente, a evolução do sistema

de educação e ajustar, em conformidade, as políticas públicas a prosseguir.

O CDS não se exime a essa avaliação e apresenta hoje a sua leitura sobre duas medidas propagandeadas

por este Governo, sendo a primeira a introdução de provas de aferição a meio dos ciclos.

Neste ano letivo, os alunos do 8.º ano terão provas de Educação Visual, de Educação Física e de Matemática

e, no ano passado, as provas foram de Português e de Ciências combinada com Físico-Química. Estas são

provas que os alunos não levam a sério e que não permitem comparabilidade na aferição dos resultados. Servem

exatamente que finalidade? Dão-nos que nova informação?

Já os alunos de 2.º ano farão provas de Português e Estudo do Meio, Matemática e Estudo do Meio,

Expressões Artísticas e Expressões Físico-Motoras, mas só voltaremos a aferi-los daqui a três anos, quando já

estiverem no 2.º ciclo, no final do 5.º ano, e sabe-se lá, nessa altura, a que disciplinas.

O insucesso continuará e, pior, passa a estar encapotado, desresponsabilizando o poder político, que o

oculta, e agravando a responsabilidade das escolas, que perderam a bússola, que, até agora, lhes permitia

comparar e corrigir.

Aplausos do CDS-PP e do PSD.

A segunda medida é o Programa Nacional de Promoção do Sucesso Escolar (PNPSE), nome pomposo que

mais não faz do que agregar um conjunto de projetos que as escolas, com os seus próprios recursos e pouco

mais, já desenvolviam numa turma singular ou num ano completo, dos 12 da escolaridade obrigatória.

A terminar em 2018, este Programa é como uma cortina de fumo, que, novamente responsabiliza as escolas,

mas desresponsabiliza o Governo. Por diversas vezes questionámos o Governo sobre qual a meta nele inscrita

para a redução da taxa de insucesso. A resposta apareceu, ainda que totalmente desenquadrada, num estudo

Páginas Relacionadas
Página 0003:
18 DE JANEIRO DE 2018 3 médicos (BE), 1238/XIII (3.ª) — Recomenda ao Governo que pr
Pág.Página 3
Página 0005:
18 DE JANEIRO DE 2018 5 sobre a dimensão de turmas e encomendado pelo Ministério ao
Pág.Página 5
Página 0006:
I SÉRIE — NÚMERO 36 6 Sabemos que na política, ainda menos na educaçã
Pág.Página 6
Página 0007:
18 DE JANEIRO DE 2018 7 o pré-escolar não era uma prioridade, nem no discurso nem n
Pág.Página 7
Página 0008:
I SÉRIE — NÚMERO 36 8 Aplausos do PS. O Sr. Presidente:
Pág.Página 8
Página 0009:
18 DE JANEIRO DE 2018 9 E aquilo que nos preocupa é perceber se está, ou não, a hav
Pág.Página 9
Página 0010:
I SÉRIE — NÚMERO 36 10 A este propósito, os recentes dados do indicad
Pág.Página 10
Página 0011:
18 DE JANEIRO DE 2018 11 sucesso escolar mostram que os alunos que fizeram exames n
Pág.Página 11
Página 0012:
I SÉRIE — NÚMERO 36 12 A Sr.ª Ana Rita Bessa (CDS-PP): — Sr. Presiden
Pág.Página 12
Página 0013:
18 DE JANEIRO DE 2018 13 O Sr. Porfírio Silva (PS): — Responda às perguntas sobre a
Pág.Página 13
Página 0014:
I SÉRIE — NÚMERO 36 14 Uma escola privada escreveu-nos também o segui
Pág.Página 14
Página 0015:
18 DE JANEIRO DE 2018 15 reforçar a ação social escolar, é urgente combater a degra
Pág.Página 15
Página 0016:
I SÉRIE — NÚMERO 36 16 Atendendo a que não foi registado nenhum inves
Pág.Página 16
Página 0017:
18 DE JANEIRO DE 2018 17 da carência de assistentes operacionais, que está a coloca
Pág.Página 17
Página 0018:
I SÉRIE — NÚMERO 36 18 cancerígenas. A sua cancerigenocidade não é ap
Pág.Página 18
Página 0019:
18 DE JANEIRO DE 2018 19 Protestos do Deputado do PSD Duarte Filipe Marques.
Pág.Página 19
Página 0020:
I SÉRIE — NÚMERO 36 20 Também queria referir que, pela informação de
Pág.Página 20
Página 0021:
18 DE JANEIRO DE 2018 21 Protestos do PSD. … ao virem hoje falar de pr
Pág.Página 21
Página 0022:
I SÉRIE — NÚMERO 36 22 Quero agora falar-lhe dos cursos profissionais
Pág.Página 22
Página 0023:
18 DE JANEIRO DE 2018 23 uma efetiva resposta a todas as crianças e a todos os jove
Pág.Página 23
Página 0024:
I SÉRIE — NÚMERO 36 24 Aplausos do PSD. O Sr. Pr
Pág.Página 24
Página 0025:
18 DE JANEIRO DE 2018 25 O Sr. Ministro da Educação: — Há três questões que
Pág.Página 25
Página 0026:
I SÉRIE — NÚMERO 36 26 O Sr. Álvaro Batista (PSD): — Sr. Presi
Pág.Página 26
Página 0027:
18 DE JANEIRO DE 2018 27 Matemática. Aqueles que não tiverem dinheiro para pagar ex
Pág.Página 27
Página 0028:
I SÉRIE — NÚMERO 36 28 O projeto, deste lado, é outro: no Bloco de Es
Pág.Página 28
Página 0029:
18 DE JANEIRO DE 2018 29 A Sr.ª IldaAraújoNovo (CDS-PP): — Sr. Presidente, Sr. Mini
Pág.Página 29
Página 0030:
I SÉRIE — NÚMERO 36 30 como um modelo responsável, financeiramente su
Pág.Página 30
Página 0031:
18 DE JANEIRO DE 2018 31 Dessa forma, irá prosseguir-se o alargamento da rede de co
Pág.Página 31
Página 0032:
I SÉRIE — NÚMERO 36 32 Sr.as e Srs. Deputados, para o PS, o direito à
Pág.Página 32
Página 0033:
18 DE JANEIRO DE 2018 33 Regredimos no sistema de avaliação externa. Mais de dois a
Pág.Página 33
Página 0034:
I SÉRIE — NÚMERO 36 34 O Sr. João Oliveira (PCP): — Exatamente! <
Pág.Página 34
Página 0035:
18 DE JANEIRO DE 2018 35 Relembro-a só que esse descongelamento existe porque houve
Pág.Página 35
Página 0036:
I SÉRIE — NÚMERO 36 36 do Governo sobre os referidos dados e o tratam
Pág.Página 36
Página 0037:
18 DE JANEIRO DE 2018 37 aquecimento nas escolas, o Sr. Ministro acha que as questõ
Pág.Página 37
Página 0038:
I SÉRIE — NÚMERO 36 38 Aplausos do PS. O Sr. Dua
Pág.Página 38
Página 0039:
18 DE JANEIRO DE 2018 39 quem a dispensa apenas para que o ruído que emite seja mai
Pág.Página 39