O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

3 DE FEVEREIRO DE 2018

9

O Sr. Presidente: — Peço-lhe para concluir, Sr.ª Deputada.

A Sr.ª Carla Barros (PSD): — Vou terminar, Sr. Presidente.

Queria só dizer, Sr. Presidente, que estas bancadas, que fazem parte desta solução de governo, não têm

nenhum compromisso com os trabalhadores.

Aplausos do PSD.

Protestos das Deputadas do PCP Carla Cruz e Diana Ferreira.

O Sr. Presidente: — Srs. Deputados, a Mesa não regista mais inscrições, embora dois grupos parlamentares

ainda não tenham intervindo neste ponto. Peço que haja menos tática e mais rapidez. O PS e o CDS ainda não

usaram da palavra, mas, se não se inscreverem, damos por encerrada a discussão destas iniciativas.

Pausa.

Tem a palavra a Sr.ª Deputada Carla Tavares, do Grupo Parlamentar do PS, para uma intervenção.

A Sr.ª Carla Tavares (PS): — Sr. Presidente, Sr.as e Srs. Deputados: As políticas de austeridade levadas a

cabo pelo anterior Governo, da maioria PSD/CDS, conduziram o País a um aumento do desemprego sem

precedentes, com efeitos sociais devastadores sobre os mais jovens, sobre os trabalhadores menos qualificados

e sobre as famílias. Ficaram sem emprego milhares de portugueses.

Sr.ª Deputada Carla Barros, são estas as contas que o Partido Socialista fez.

Protestos de Deputados do PSD.

Aquele período ficará para sempre associado à desvalorização da dignificação do trabalho e dos direitos dos

trabalhadores, mas também à desvalorização e ao desrespeito pelo diálogo social e pela negociação coletiva.

O Governo do Partido Socialista e a maioria parlamentar que o suporta definiram desde sempre como

prioridade — sendo, aliás, essa a sua essência — a recuperação dos rendimentos e dos direitos subtraídos aos

trabalhadores durante o Governo da anterior maioria, PSD/CDS.

O Governo do Partido Socialista definiu, pois, como prioridades a promoção de mais e melhor emprego, o

combate à precariedade, a recuperação do dinamismo do diálogo social quer em sede de concertação social,

quer promovendo e reforçando a negociação coletiva, alargando a publicação de portarias de extensão.

Desde que o atual Governo tomou posse, foram repostos quatro feriados obrigatórios; o salário mínimo foi

aumentado para os atuais 580 €, mantendo-se o compromisso assumido de chegar aos 600 € em 2019; foi

aprovado o programa de regularização extraordinária dos vínculos precários na Administração Pública

(PREVPAP), concedendo dignidade a milhares de trabalhadores, que poderão ter finalmente estabilizada a sua

situação de trabalho; foi aprovada legislação específica de combate às formas modernas de trabalho forçado;

foi aprovada legislação específica para a prevenção da prática de assédio no trabalho; foram repostas as 35

horas de trabalho na função pública.

Nos últimos dois anos, foram criados mais 288 000 postos de trabalho, 78% dos quais são contratos sem

termo, e a taxa de desemprego fixou-se nos 7,8% em dezembro de 2017, a mais baixa desde 2004.

Bem sabemos que há ainda muito a fazer e a maioria que suporta o atual Governo terá sempre um papel

fundamental a desempenhar, pois, como referiu ontem o nosso Primeiro-Ministro, é com esta maioria que

queremos continuar a melhorar a qualidade do emprego e do mercado de trabalho.

Todavia, há que definir prioridades e o atual Governo nunca escondeu, bem pelo contrário, sempre afirmou,

que o combate à precariedade é a prioridade, como o é o aumento do salário mínimo nacional, como o é a

dinamização da contratação coletiva, como o é o combate ao desemprego jovem, como o é a transição das

carreiras mais longas para a reforma a tempo parcial.

Páginas Relacionadas
Página 0014:
I SÉRIE — NÚMERO 44 14 A Sr.ª Rita Rato (PCP): — E hoje a disc
Pág.Página 14
Página 0015:
3 DE FEVEREIRO DE 2018 15 A Sr.ª Heloísa Apolónia (Os Verdes): — Sr. Presidente, Sr
Pág.Página 15
Página 0016:
I SÉRIE — NÚMERO 44 16 Para provar que existe alternativa no mercado,
Pág.Página 16
Página 0017:
3 DE FEVEREIRO DE 2018 17 Já todos conhecemos os aglomerados constituídos, na sua m
Pág.Página 17
Página 0018:
I SÉRIE — NÚMERO 44 18 Julgamos que há experiências hoje voluntárias
Pág.Página 18
Página 0019:
3 DE FEVEREIRO DE 2018 19 materiais biodegradáveis, reduzindo e abandonando gradual
Pág.Página 19
Página 0020:
I SÉRIE — NÚMERO 44 20 O Partido Socialista apoia o desenvolvimento d
Pág.Página 20
Página 0021:
3 DE FEVEREIRO DE 2018 21 Achamos, portanto, que há um conjunto de incentivos que d
Pág.Página 21
Página 0022:
I SÉRIE — NÚMERO 44 22 A Sr.ª Heloísa Apolónia (Os Verdes): —
Pág.Página 22