O texto apresentado é obtido de forma automática, não levando em conta elementos gráficos e podendo conter erros. Se encontrar algum erro, por favor informe os serviços através da página de contactos.
Não foi possivel carregar a página pretendida. Reportar Erro

I SÉRIE — NÚMERO 104

6

As propostas e as iniciativas do CDS, hoje aqui apresentadas, são uma espécie de pedido de desculpa. O

problema é que, no interior, sabe-se bem o que fizeram no Governo passado e as desculpas não se pedem,

evitam-se.

Vozes do PS: — Pois é!

O Sr. Pedro do Carmo (PS): — O Governo já aceitou o desafio e colocou em marcha uma estratégia

integrada de valorização do interior,…

O Sr. Nuno Magalhães (CDS-PP): — Isso é o que parece!

O Sr. Pedro do Carmo (PS): — … com medidas concretas e recursos efetivos, mas sabemos que não será

possível fazer em anos o que não foi feito em décadas.

O PS fala com quem lá vive, dialoga e aprende com quem sabe e, por isso, fez as suas jornadas

parlamentares em Beja e Évora, no interior do País. E porque sabe bem que a agricultura é fundamental para o

interior e para a fixação de pessoas, tomou a decisão de, só no Alentejo, aumentar em 50 000 ha o regadio do

Alqueva.

O Governo abriu candidaturas para projetos turísticos nas zonas de baixa densidade, com um pacote de 25

milhões. Por isso, está em marcha um processo de descentralização, porque é com quem lá está, com quem lá

vive, que se tomam as decisões que fazem falta.

Agora, vem o CDS, já depois do Movimento pelo Interior apresentar as suas 24 propostas, falar na ocupação

do território. Pergunto: com quem falou o CDS? Falou com os municípios? Falou com as associações

representativas?

O CDS propõe — e pergunto também sobre isto — a aplicação da redução da taxa de IRS. É para todos os

escalões? É só para alguns?

Por isso lhe digo, Sr.ª Deputada, o CDS e as suas propostas estão para o interior como o verão está para

este ano: tem dias, e tardios.

Aplausos do PS.

O Sr. Presidente: — Tem a palavra, para responder, a Sr.ª Deputada Cecília Meireles.

A Sr.ª Cecília Meireles (CDS-PP): — Sr. Presidente, Sr. Deputado, queria agradecer as suas perguntas e,

até, utilizar as suas palavras na minha resposta.

O Sr. Deputado disse que as desculpas não se pedem, evitam-se.

O Sr. Nuno Magalhães (CDS-PP): — Ora, bom conselho!

A Sr.ª Cecília Meireles (CDS-PP): — Sr. Deputado, creio que se equivocou. Talvez queira dizer isso à

bancada do Governo, porque, certamente, vários Ministros do PS, que já lá estavam no Governo do PS que

levou Portugal à bancarrota,…

O Sr. Nuno Magalhães (CDS-PP): — Ora!

Risos do PS.

A Sr.ª Cecília Meireles (CDS-PP): — … poder-se-ão agora lembrar de que as desculpas não se pedem,

evitam-se!

Aplausos do CDS-PP.

É precisamente para evitar…

Páginas Relacionadas
Página 0071:
7 DE JULHO DE 2018 71 «A participação portuguesa nos Jogos do Mediterrâneo, que dec
Pág.Página 71
Página 0072:
I SÉRIE — NÚMERO 104 72 procedendo à 8.ª alteração à Lei n.º 35/2014,
Pág.Página 72